[ editar artigo]

Por que consumimos?

Por que consumimos?

A pandemia está mudando drasticamente os hábitos diários das pessoas e, consequentemente, isso impactou o consumo de bens e serviços.

Mas afinal, por que consumimos?

As relações de consumo vão muito além de necessidades básicas, por que não existe por exemplo, um vestir genérico, é sempre algo muito especifico, afinal nossas praticas de consumo constituem nossa identidade. 

O consumo está muito ligado também as experiências que queremos viver. Isso fica ainda mais claro quando algumas pessoas optam por comprar uma TV 4K com resolução Full HD e imagem nítida ao invés de trocar a cama que já não está mais tão confortável como antes. Isso acontece, porque com a cama você permanece no mesmo lugar, enquanto que com a TV é possível "viajar".

Nesse momento que estamos vivendo o consumo está em alta em alguns segmentos, talvez o que teve o maior aumento é o de entretenimento. Você já pensou quantas pessoas ficaram desempregadas nesse período? Quantas tiveram seus contratos suspensos junto as empresas que trabalhavam? Isso fez com que ocorresse um aumento expressivo na busca por "válvulas de escape". É possível citar: o acesso a plataforma de vídeos, streaming de música e redes sociais. Olha o Tik Tok aí, fazendo o maior sucesso. 

Outra parte da população no entanto, resolveu investir na educação, muitas pessoas começaram a se sentir atraídas por cursos online. Acesso a plataformas de e-learning cresceram mais de 30% a partir de fevereiro.

É possível analisar que o perfil de consumo muda de acordo com o contexto no qual as pessoas estão inseridas. O setor do turismo por exemplo, foi diretamente afetado, a busca por agências de viagem através do Google caiu cerca de 50%. Países estudam a possibilidade de fomentar esse setor tão importante. A Itália quer pagar cerca de 500 euros para cidadãos fazerem turismo interno.

O consumo durante essa crise sem precedentes não parou, foi readequado de acordo com as possibilidades do consumidor. Acredito que as empresas que irão se beneficiar melhor desse momento são aquelas que geram uma identificação com o cliente.

Estamos iniciando uma "nova era" e sempre é tempo de repensar a sua empresa, entender quais são os novos hábitos dos consumidores, para se tornar cada vez mais competitivo. Pode ser que você tenha a força empreendedora necessária para gerar ainda mais valor aos seus produtos e serviços, mas, para isso, é preciso olhar o que está sua volta.

Blog

Comunidade Sebrae
Diogo Macenhan
Diogo Macenhan Seguir

Administrador, pós-graduado em Gestão de Pessoas com Coaching, consultor de negócios, especialista em MEG - Modelo de Excelência em Gestão, planejamento estratégico, inovação e metodologias ágeis. Palestrante e professor apaixonado.

Ler conteúdo completo
Indicados para você