[ editar artigo]

Canvas de Finanças: uma ferramenta simples, visual e prática para a sua empresa

Canvas de Finanças: uma ferramenta simples, visual e prática para a sua empresa

Você já se perguntou: Quanto resta de lucro na sua empresa? Por onde começar um planejamento financeiro?  Como enxergar de forma simples, visual e prática tudo que diz respeito as finanças da sua empresa?

Então conheça agora o Canvas de Finanças, inspirado no Business Model Canvas.

O Canvas de Finanças é uma ferramenta que permite ao empresário visualizar em um único quadro, o resumo do plano financeiro do seu negócio, de uma forma estruturada, organizada e visual com objetivo de saber quanto tem de lucro.

Antes de iniciar o seu Canvas de Finanças, é importante que você conheça e faça o Canvas de Marketing da sua empresa. Nele você construirá e visualizará as estratégias de marketing que funcionarão como norteadoras dos objetivos da empresa, criando sinergia com seus objetivos financeiros.

O preenchimento do Canvas de Finanças pode ser feito com post-it em cima de uma folha (sugestão de tamanho A2) ou diretamente no computador.

A ferramenta é composta por 15 blocos:

  1. Regime Tributário;
  2. Forma Jurídica;
  3. Investimentos;
  4. Capital de Giro;
  5. Entradas e Saídas de Caixa;
  6. Custos Fixos e Variáveis;
  7. DRE – Demonstrativo de Resultados;
  8. Preço de venda;
  9. Meios de pagamento;
  10. Fluxo de Caixa;
  11. Estoque ;
  12. Indicadores financeiros;
  13. Ponto de Equilíbrio;
  14. Rentabilidade e;
  15. Lucratividade.

A seguir, vamos conhecer detalhadamente como preencher cada um dos blocos, sendo que a numeração indicada é a sugestão de sequência a ser trabalhada dentro do Canvas de Finanças.

1 - Regime Tributário

Se você já tem empresa constituída, pode perguntar ao seu contador qual o Regime tributário e percentual de impostos que precisa pagar. Se você pretende constituir procure sabe mais sobre os regimes existentes, como Simples Nacional (MEI, ME e EPP), Lucro Real ou Presumido e suas respectivas tributações, de acordo com o seu segmento e faturamento, se for MEI pesquise direitos e deveres no site.

2 - Forma Jurídica

Descreva aqui como sua empresa está ou será formalizada como: Empresário Individual, MEI, Eireli ou com Sociedade Empresarial, devendo observar que para a constituição de sua empresa, deverá informar o capital social investido.

3 - Investimentos

Descreva os principais investimentos realizados em um determinado período, exemplo: Estrutura física (reformas /construção), Equipamentos, Tecnologia, Estoque inicial, Treinamento de pessoas, Divulgação/Marketing, etc. Agora some o valor investido e anote, para que possa calcular a lucratividade a seguir.

Estabeleça a(s) meta(a) de venda específica(s) relacionada(s) ao retorno do investimento, de tal forma que possa mensurá-la e que seja relevante, temporal (data de início e término) e alcançável (mas que te desafiem). Utilize o método SMART para isso!

Exemplo: Recuperar meu investimento de R$10.000,00, no período de 12 meses. Período de 01/01/2021 a 31/12/2021.

https://56e9af4bb89f1d73465cbd39.static-01.com/l/images/995754f7a4f22ebbad24534c1b9b9729ad690f85.png

 

4 - Custos Fixos

São os custos que independente de venda, tem que pagar. Relacione e some todos os custos relacionados, exemplo: Despesas com estrutura, aluguel, internet, pró-labore, material de limpeza e administrativos, para que facilite na hora de precificar seus produtos/serviços. Agora relacione e some todos os custos fixos para que possa calcular sua margem de contribuição a seguir.

5 - Custos Variáveis

São os custos que dependem de venda. Como por exemplo a compra de material/mercadorias para venda, taxa do cartão, frete, impostos e comissões (se houver). Dica: faça orçamentos afim de ter informações sobre o melhor custo benefício para seu cliente (qualidade e preço), fatores imprescindíveis para ter um preço justo e é sempre bom ter mais de uma opção de fornecedor, considerando o valor agregado e a lucratividade desejada.  Agora relacione e some todos os custos variáveis para que possa calcular sua margem de contribuição a seguir.

6 - Estoque

A previsão de estoque inicial é necessária para atividades que envolvam comercialização de produtos, devendo ser considerado alguns fatores importantes:

  •  Tenha um estoque inicial mínimo, devendo ser observada a estratégia de venda da empresa e a demanda diária;
  • Fique atento a durabilidade dos produtos e sazonalidade para evitar perda e falta de produtos;
  •  Observe o tempo que os produtos estão parados em estoque, avalie a necessidade de fazer promoções ou a possibilidade de troca com fornecedores;
  • Dica: faça um controle diário e o fechamento mensal, monitore a validade e faça lista de compra ou reabastecimento, relacionando primeiro o essencial e controlando sua frequência para economizar com frete.

📌 Lembre-se do PEPS “Primeiro produto que entra deve ser o primeiro que sai”, estoque parado é dinheiro parado, foco na rentabilidade.

7 - Meios de pagamento

Hoje, considerado decisivo para venda de produtos/serviços, de acordo com seus canais de venda, a diversificação dos meios de pagamento facilita o processo da venda, devendo observar os custos por eles descontados, como taxas nos cartões de crédito e débito, aluguel da máquina, tarifa por emissão de boleto, tarifas bancárias, entre outros.

8 – Preço e venda

Para calcular o preço de venda, será preciso levar em consideração da porta para dentro da empresa os custos fixos e variáveis, o quanto o produto pode representar da venda total da empresa, giro de estoque e margem de lucro. Da porta para fora da empresa o valor agregado (quanto o cliente está disposto a pagar e quais opções são oferecidas pela concorrência e a que preço) e os preços praticados pela concorrência, para ser competitivo e buscar o equilíbrio.

9 - Entradas de caixa

Destaque neste bloco quais serão suas principais fontes de receita (entrada de dinheiro), se serão a vista, a prazo ou parcelado e fique atento ao controle deste faturamento, diário, semanal, mensal e anual. Com o objetivo de garantir o retorno do seu investimento e ter em caixa o capital de giro necessário por período para manter o negócio funcionando, além deste controle precisa defina estratégias para atrair a atenção dos potenciais clientes e monitorar os resultados. Inbound Marketing (SEO, Marketing de Conteúdo, Redes Sociais etc.)

10 - Saídas de caixa

Relacione neste bloco quais serão suas principais fontes de despesa (saída de dinheiro), já provisionando o pagamento dos custos fixos, variáveis e controle de pagamentos, se serão a vista, a prazo ou parcelado e fique atento ao controle, diário, semanal, mensal e anual.

11 - Fluxo de Caixa

Chegou o momento da atenção, agora é hora de saber tudo que entrou e saiu do caixa da empresa, no dia, na semana, no mês e no ano. Servindo como um norteador para equilíbrio das finanças, para que haja liquidez, solidez e crescimento da empresa. Fundamental para contribuir com as apurações de resultado e indicadores financeiros, o Sebrae oferece curso gratuito e ferramentas .

12 - Capital de giro

Esteja pronto para manter o caixa da empresa girando, ou seja, mesmo que esteja positivo, deverá prever e garantir o mínimo para manter a empresa funcionando, devendo levar em conta os prazos de pagamento e recebimento (de acordo com os meios de pagamento e negociação com fornecedores) e o prazo médio de giro do estoque. A previsão deverá cobrir o caixa no período de no mínimo 30 dias, podendo variar de acordo com os prazos e valor de investimento.

13 - Demonstrativo de Resultados (DRE)

O Demonstrativo de Resultados é uma ferramenta utilizada como termômetro de como vai as finanças da sua empresa. De modo consolidado te permite apurar os resultados gerados em um determinado período, imprescindível para análise mês a mês, afim de identificar a Margem de Contribuição (tem um significado igual ao termo Ganho Bruto sobre as Vendas. Isso indica para o empresário o quanto sobra das vendas para que a empresa possa pagar suas despesas fixas e gerar lucro).

Exemplo:
Valor total das Despesas Fixas dividido pelo valor total das Vendas.
Exemplo: R$36.000,00 ÷ R$240.000,00 = 15%.

Quando o valor da Margem de Contribuição for superior ao valor total das Despesas Fixas, a empresa estará gerando lucro e, quando for inferior, o resultado será entendido como prejuízo.

14 - Ponto de Equilíbrio

O ponto de equilíbrio é uma importante ferramenta de gestão financeira para identificar o volume mínimo de faturamento para não gerar prejuízos. A lógica do ponto de equilíbrio mostra que, quanto mais baixo for o indicador, menos arriscado é o negócio. E quanto menor for o ponto de equilíbrio, mais a empresa possui os seus custos relacionados à operação (custos variáveis) do que à manutenção (custos fixos) - ficando mais competitiva e com melhor rentabilidade. Geralmente, o ponto de equilíbrio é calculado sob a forma de percentual da receita projetada.

Exemplo:

15 – Lucratividade

 É um dos principais indicadores econômicos da empresa, ligado diretamente com a competitividade do negócio. A média para empresas de pequeno e médio porte é uma lucratividade de 5% a 10%. Para calcular a lucratividade, basta dividir o lucro líquido (valor do ganho já subtraído as taxas e impostos da sua empresa) pelo faturamento (valor total recebido por uma quantidade de produtos vendidos) e multiplicar por 100.

Lucratividade (%) = (lucro líquido/faturamento) x 100

Veja o seguinte exemplo: Sua empresa tem o faturamento de R$ 100 mil reais e lucro líquido de R$ 12 mil reais. Logo,

  • Lucratividade = (R$ 12.000,00 / R$ 100.000,00) x 100
  • Lucratividade = 0,12 x 100
  • Lucratividade = 12%

O resultado será sob forma percentual, indicando qual é o ganho da empresa que poderá ser mensal, anual, entre outros.

Não basta que o negócio seja lucrativo, ele precisa também ser rentável. Um empreendimento que demore a trazer retorno do investimento não apresenta rentabilidade atraente do ponto de vista de um investidor.

Para chegar à rentabilidade, basta você dividir o lucro da empresa em um determinado período pelo valor do investimento inicial (ou o valor atual do negócio). O resultado em percentual representará a rentabilidade do seu empreendimento no período correspondente.

Por exemplo, se ele estiver em fase de planejamento, com estimativa do faturamento bruto mensal de R$ 25 mil e lucro líquido de R$ 1.250, o cálculo seria (Lucro/Investimento) 1.250,00/25.000,00. Portanto, o lucro líquido equivale a 5% do faturamento ou a rentabilidade mensal desse negócio é de 5%.

Mão na massa

Agora é hora de colocar em prática o que aprendeu sobre finanças, fazendo uso da ferramenta e depois nos contar aqui nos comentários o que achou.

Para baixar o CANVAS de Finanças, clique aqui!

Agradeço pelo seu interesse e até a próxima :)

Finanças e Tributos

Comunidade Sebrae
Tatiana Amorim
Tatiana Amorim Seguir

Há 09 anos sou analista de negócios do Sebrae-SP, há 5 anos sou empreendedora no segmento de alimentação, com 10 anos de experiência em instituições financeiras, especializada em gestão estratégica de negócios e apaixonada pelo empreendedorismo!

Ler conteúdo completo
Indicados para você