[ editar artigo]

5 Dicas de empreendedorismo para quem está começando

5 Dicas de empreendedorismo para quem está começando

Sabe aquela sensação de que você teve uma ideia tão interessante que ela pode acabar virando um negócio lucrativo? Esse é o primeiro passo de todo mundo que resolve empreender. Seguir o rastro de um pensamento pode levar alguém a enxergar inovação e propósito em algo criado por si mesmo.

Contudo, ter a ideia é só a ponta do iceberg. Não há absolutamente nenhuma garantia de que ela vá dá certo só porque foi concebida. Portanto, a primeira dica de empreendedorismo que te damos nesse texto é: tenha paciência.

Não há registros de nada, nadinha mesmo, que viu a luz do mercado em um dia e se tornou milionário no outro. Isso pode acontecer com pessoas físicas, que ganham na loteria ou recebem heranças polpudas, mas as pessoas jurídicas – ou seja, as empresas – precisam andar alguns quilômetros para ir de 0 a 100.

Portanto, ao desenvolver sua paciência empreendedora, você está oficialmente pronto para passar pelas etapas a seguir e provar, finalmente, o alcance da sua ideia.

#1 – Documente seu modelo de negócios

Uma ideia não tem potencial se não for executada. Essas palavras não são nossas, mas de Thomas Edson, o famoso inventor americano.

Isso significa que, o que quer que esteja aí na sua cabeça, precisa ir para o papel. A essa migração se dá o nome de modelo de negócios.

O modelo de negócios é a separação de uma grande ideia em seus principais pontos estratégicos, como público-alvo, as metas financeiras, o valor dos produtos ou serviços que vai comercializar e sua projeção de futuro, dentre outros itens.

Ele é muito importante tanto para empreendimentos erguidos de forma lógica e com capital interno, seja uma cafeteria ou um escritório (ou home office) de design, quanto para aqueles que demandam investidores externos. É o caso, por exemplo, das startups.

#2 – Teste o que for possível

Imagine que você é a mente por trás do Uber: em um mundo onde os táxis eram a grande opção de deslocamento por carros alugados, você imaginou como seria ter um negócio onde pessoas poderiam oferecer caronas pagas, cujo valor seria pré-estipulado pela distância a ser percorrida.

Pensar agora, sobre isso, é moleza, certo?

Agora, imagine todos os gastos que o Uber tem para manter o negócio rodando: desde servidor para sua gigantesca base de dados até a programação básica do aplicativo, tudo custa muito dinheiro. Impossível bancar uma estrutura como essas sem saber se realmente ela vai funcionar.

É por isso que, lá no início, até o Uber foi testado como MVP (produto mínimo viável, em bom português) para provar aos investidores que havia demanda e que as pessoas gostariam de utilizar esse serviço. Dessa forma, ele foi testado em escala baixa, mas com capilaridade suficiente para servir de modelo.

Faça a mesma coisa com a sua ideia: teste o quanto for possível, ao menor valor encontrado, antes de apostar todas as suas economias nela.

A mesma coisa vale para o freela: antes de sair do emprego que paga as contas para se jogar na ideia de negócios de meia-calça de lã rosa, pesquise o mercado e teste seu público para saber se essa é uma escolha realmente viável.

#3 – Tenha um bom discurso de vendas

Isso não pode faltar nunca.

Primeiro, porque se você tem uma ideia de startup, provavelmente irá buscar recursos financeiros em agentes externos. A apresentação para investidores precisa ser convincente. Portanto, não saia de casa sem ter seu discurso de vendas bem escrito e embasado.

Segundo, porque mesmo que não tenha que pedir ajuda financeira a ninguém, você ainda assim vai precisar vender seus produtos e serviços aos clientes. Para ver rentabilidade na sua escolha, o freela precisa administrar com cuidado suas técnicas de negociação e vender com seu melhor sorriso.

Atendimento pós-venda também faz parte desse discurso, e não pode ser negligenciado por quem quer ter uma empresa querida pelo público.

#4 – Atualize-se em seu mercado

Não importa se você chegou no mercado já fazendo grana: se não continuar estudando e se aprofundando na área em que escolheu investir, rapidamente será engolido pelos concorrentes.

É preciso buscar qualificação constante, dentre cursos, palestras, livros e fontes de informação que te mantenham sempre atualizado do que acontece e que pode afetar não a sua empresa, mas o público que dela consome.

#5 – Viva a verdade da empresa

Nenhuma empresa nasce (ou, pelo menos, não deveria) da vontade do empreendedor em ser desonesto com as pessoas. Nada no estilo “vou fundar uma loja de eletrodomésticos que só venda produtos falsificados ou estragados porque hoje é dia de maldade”.

O exemplo parece absurdo, mas o que quero mostrar é que as empresas nascem, genuinamente, através do propósito de seus fundadores em prestar melhores serviços ou resolver com mais agilidade os problemas de um público.

Portanto, o propósito que faz o empreendedor passar por todas essas etapas, de validação, teste, aprendizados e muito estudo deve ser refletido em cada ação ou posicionamento do negócio.

A preocupação com o que vem por aí, e como esse futuro será entregue, é a arma que muitas empresas têm para sobreviver ao mercado, cada vez mais competitivo.

E, quando falamos “empresa”, englobamos aqui a ideia de empresas grandes, microempresas, startups ou freelancers: se não houver ligação entre o serviço prestado e seu propósito, aquilo que realmente move quem trabalha rumo a melhores perspectivas, não haverá, também, sucesso perene.

Aliás, sucesso é uma dessas coisas que vão demoraaaaar a chegar, então exercite a paciência e se console com o ditado de que “tudo que vem fácil, vai fácil”.


É – e sempre será – melhor trabalhar em algo que te preenche profissionalmente, porque é exatamente a paixão pelo que fazemos o grande motor das metas e objetivos da nossa vida, inclusive ganhar um tantão de dinheiro.

Da próxima vez que te disserem que “o futuro a Deus pertence”, permita-se discordar um pouquinho: ele também pode pertencer a você, e não há nenhuma placa, em nenhum local, que possa te sinalizar do contrário.

“Trabalho e resiliência” é o nome do jogo. Tudo pronto para começar?

 

Fonte: 

https://www.profissas.com.br/5-dicas-de-empreendedorismo/

 

 

Clube Sebrae
Ler matéria completa
Indicados para você