[ editar artigo]

5 passos que você NÃO pode esquecer na hora de empreender no digital

5 passos que você NÃO pode esquecer na hora de empreender no digital

Certamente você já pensou em diversas formas de como poderia ganhar algum dinheiro com a internet, certo? Na verdade são pouquíssimas pessoas que se arriscam a investir em algum negócio online. Dessa forma, é possível afirmar que existem muitas oportunidades no mundo online esperando por você - e o melhor: com os mais diversos graus de envolvimento. Você pode tanto encontrar fontes de renda extra, quanto negócios mais complexos que exigem dedicação exclusiva e que podem se tornar a sua renda principal. Tudo depende do momento de vida que você está e onde quer chegar.

Trabalhei com e-commerce nos últimos 10 anos e deixo aqui algumas dicas que são fruto de todo aprendizado que obtive vendendo todo tipo de produto pela internet.

Você pode e deve começar a divulgar seu site com pouco dinheiro

Mesmo que você tenha dinheiro para investir em um e-commerce, a melhor forma de começar sempre será montando algo preparado para render caso você não tivesse. Ficar refém de mídia paga é perigoso para a saúde financeira do seu negócio. Pense no longo prazo e dedique algum tempo para construir formas de conseguir que o seu site tenha relevância de forma orgânica.  

Quando os mecanismos de busca reconhecem que seu conteúdo é de qualidade e corresponde ao que o usuário está procurando vão te cobrar menos para anunciá-lo em todos os seus formatos de anúncios pagos.

Aprenda sobre o funcionamento do mecanismo de busca orgânica do Google (SEO, ou Search Engine Optimization, em inglês). O Google representa praticamente 90% de todas as buscas feitas no Brasil, e se você fizer um bom plano para alcançar as primeiras páginas da busca orgânica dele, provavelmente o mesmo acontecerá nos outros buscadores.

Você pode encontrar muito conteúdo sobre o SEO na própria internet. Há milhares de vídeos no Youtube, textos no próprio Google e, se preferir ler um livro, eu recomendo o SEO Made Simple do autor Michael H. Fleischner.

Redes sociais são um bom começo?

É natural que muita gente queira começar a investir em marketing online a partir das redes sociais, afinal elas costumam ser a porta de entrada para grande parte dos usuários de internet e também é por lá que as pessoas passam o maior tempo quando estão fazendo uso da internet.

O Facebook é a maior dentre as redes sociais, apenas no Brasil são 120 milhões de usuários, e muitas pessoas só usam a internet para acessar o Whatsapp, Facebook, Instagram e outras mídias sociais.

As redes sociais podem sim ser um alavancador para o seu negócio, mas vale lembrar que (na maioria das vezes) quando as pessoas estão numa rede social elas não estão lá com o objetivo comprar algo, e sim para interagir socialmente.

Se você pensar na compra como uma consequência de algo maior que vem desde uma descoberta, que desperta um interesse, que faz uma pessoa levar em consideração uma possibilidade, que por sua vez encadeia uma intenção e avaliação de todas as alternativas possíveis. A rede social é o local no qual você alcança as pessoas na descoberta.

A maior dificuldade é que, mesmo criando um perfil muito focado no seu público-alvo, você vai precisar alcançar muitas pessoas até conseguir fazer com que uma passe por todo o percurso do funil de conversão.

Uma dica importante que você precisa ter em mente na hora de traçar uma estratégia que utilize as redes sociais é entender que elas servirão como um veículo de propaganda online para o seu site ou app. Sendo assim, é imprescindível que você tenha o pixel do Facebook instalado dentro do seu site, pois só com ele você vai poder explorar todos os recursos da divulgação por meio das redes sociais, analisar todos os dados de tráfego gerado a partir de lá e explorar importantes formatos de anúncio, como por exemplo, o remarketing (que é aquele formato que fica perseguindo as pessoas mesmo depois que elas abandonarem o seu site).

Porém, ter uma página do seu negócio nas redes sociais que tenha boas avaliações (no caso do Facebook) e interações positivas com clientes, pode ser uma boa forma de passar boas referências da sua empresa.

É a hora do smartphone!

A audiência da internet por meio de dispositivos móveis (celulares e tablets) cresceu de forma muito rápida nos últimos 5 anos e.já ultrapassou os acessos via notebook e desktop O Brasil já tem mais de 200 milhões de celulares isso quer dizer que tem mais de 1 smartphone por habitante.

Na hora de construir um negócio online, é importante ter em mente que a navegação precisa ter dois tipos de navegação diferentes: uma a partir de dispositivo móvel e outra notebook/desktop. Isso garantirá que se o cliente abrir um e-mail marketing da sua loja no smartphone e quiser clicar numa de suas ofertas, ele conseguira ser jogado numa página ajustada para esse tipo de dispositivo e, consequentemente, não encontrará dificuldades para finalizar a compra. E esse é apenas um dos diversos exemplos nos quais a adaptabilidade da tela podem ser cruciais para que ocorra ou não uma venda.

Antes de se tornar um empreendedor digital é preciso ter em mente que a qualidade na velocidade da nossa conexão ainda é muito inferior se comparada com países mais desenvolvidos. Por isso, vale a pena mais ter uma versão do site leve e simples, mesmo que isso signifique abrir mão de imagens super bonitas e funcionalidades sofisticadas.

Muitas pessoas falam em fazer sites responsivos, que é aquele formato que se adapta ao tamanho da tela de quem está acessando. Esse formato tem algumas vantagens por manter um único site quando acessado a partir do smartphone ou do computador, no entanto também tem pontos contra porque quando a pessoa acessar de um telefone celular será necessário carregar todos os elementos que seriam exibidos nas telas maiores (mesmo que alguns deles não apareçam para o usuário).

Outra alternativa seria fazer um site para acesso de notebook ou desktop (versão “www.”) e outro site para acesso de smartphones ou tablets (versão “m.”). Diante desse cenário, você terá o desafio de montar dois sites totalmente apartados, e não pode esquecer que há formas de fazer com que os buscadores interpretem que eles são diferentes versões do mesmo site para que sua relevância não venha a cair em comparação com a versão responsiva.

Ter um app instalado no smartphone do seu potencial cliente também sempre é algo que vale a pena ter em mente desde o começo. Aqui o primeiro ponto de atenção é que você precisa ter uma versão específica para cada sistema operacional (Android, IOS, Windows, etc), ou seja, é preciso construir uma versão para cada um desses dispositivos respeitando o padrão de navegação de cada um deles Ter um app é pensar no futuro do seu negócio, mas vale ressaltar que possui um investimento alto e nem sempre traz o retorno que você espera.

Não gaste todo seu dinheiro contratando apenas um fornecedor de um sistema

Um erro muito comum das empresas é entrar gastando todas as suas fichas contratando a melhor plataforma que o dinheiro pode comprar. Quando percebem que estão sem dinheiro, o empresário se dá conta que ainda tem necessidade de investir em capital de giro, investimento em marketing e custos operacionais, como o frete, por exemplo.

Se o que vai vender é um produto, é preciso lembrar que necessariamente terá custos para formar um estoque, um local para armazená-lo, gastos de envio. E para qualquer negócio que for montar certamente precisará de um orçamento para divulgá-lo, e o investimento muitas vezes exige capital suficiente para a tentativa e alguns erros, até alcançar a rota do sucesso.

Hoje em dia temos muitas boas opções de plataformas de e-commerce. Algumas muito acessíveis e oferecendo possibilidade de conexão com outros sistemas, como ERPs, por exemplo.

Quando puder mensurar, utilize todo seu potencial de venda

Se você tem uma plataforma de e-commerce, estratégia para alcançar as primeiras posições na busca orgânica, versões do seu negócio compatíveis com dispositivos móveis, e já conquistou alguma reputação entre as pessoas que te seguem nas redes sociais, enfim chegou a hora de investir para trazer clientes e escalar seu negócio.

No entanto, se você não se preparar para mensurar algumas informações, a partir do momento que você começar a tirar dinheiro do próprio bolso para colocar no seu negócio começará a se questionar::

“Será que eu estou fazendo a coisa certa?”

“Como saber se devo colocar mais dinheiro ou não”

“Como saber se a venda que surgiu é por conta do investimento que fiz”

E isso começa a ficar ainda mais complexo dependendo da quantidade de ações simultâneas. Mas fique calmo, pois se você chegou até aqui provavelmente falta pouco para que você consiga estabelecer uma operação de e-commerce de forma realmente profissional.

O Google criou algumas ferramentas que podem te ajudar a registrar muitas informações da origem do cliente até a sua última interação com o e-commerce. Trago aqui dois, o Google Tag Manager e o Google Analytics, que podem auxiliá-lo a mensurar todo tipo de informação que você precisa para otimizar seu investimento e saber exatamente qual é o tipo de investimento que está valendo a pena e por onde seu dinheiro está escorrendo pelo ralo.

O Google Tag Manager serve para que você possa implementar tags ou pixels de outros veículos de mídia. Com ele, é possível saber exatamente qual é o anúncio do Facebook (dentre vários que você tenha ativo) que está performando bem e qual está indo mal. Com essa informação você poder ir refinando o público-alvo para o qual está direcionando o anúncio até que ele passe a ser rentável para o seu negócio.

O Google Analytics, por sua vez, permite que você monitore todo tipo de comportamento dos usuários uma vez que eles estejam dentro do seu e-commerce. Assim, você pode saber em qual página eles estão dedicando mais tempo, por exemplo, ou também pode identificar em qual página eles estão abandonando o seu site, o que pode ajudá-lo a encontrar locais que apresentam algum problema para que você possa atuar na correção de forma rápida.

Uma das maiores vantagens de criar uma loja virtual é o fato de que se pode mensurar praticamente tudo.

Clube Sebrae
Pedro Correa de Souza
Pedro Correa de Souza Seguir

Empreendedor, investidor e entusiasta do mercado digital. Profissional com 10 anos de atuação no e-commerce de grandes empresas, como o Magazine Luiza. Vivenciou processos de turn around, fusões de empresas, aquisições e de transformação digital.

Ler matéria completa
Indicados para você