[ editar artigo]

A marca "no name" e a tendência por trás disso

Você já deve ter escutado alguma vez a expressão "menos é mais". Pois é, nos últimos anos ela tem sido repetida mais e mais. Mas o que está por trás disso?

Uma grande rede de supermercados no Canada exibe em suas prateleiras os produtos de sua marca própria: no name, tradução literal, sem nome. Uma embalagem amarela, simplista, onde consta apenas o nome do produto.

Chegamos ao ponto em que uma embalagem minimalista se destaca nas prateleiras justamente por ter menos apelo visual?

Embalagens simples

Não dá um alívio quando você olha para uma embalagem como essa que mostrei acima? Esse é o efeito provocado em nosso cérebro ao receber menos informação do que nossos olhos estão acostumados a receber.

Pense como são as embalagens que geralmente encontramos no supermercado. Cheias de rótulos, cores, fontes, informações do produto, receitas, etc.

Por isso, para conseguir a atenção dos consumidores, marcas estão se comunicando de forma mais direta. Produtos já consolidados estão se reinventando e trazendo "caras" novas.

De volta à essência?

Em estudo de tendências, é avaliado não apenas o fato em questão, mas o que há por trás dele. Quais os ideais e valores no comportamento do consumidor que provocam esse movimento de sermos atraídos, de repente, por embalagens minimalistas?

Uma embalagem minimalista pode remeter a velhos tempos. Tempos dos nossos avós que produtos eram menos industrializados e, portanto, mais saudáveis. Sabemos que o consumo torna-se cada vez mais consciente com relação aos danos causados na cadeia produtiva e aos ingredientes utilizados. Por isso, remeter a "outros tempos" é uma forma de relacionar com esses valores da busca da nossa essência.

Inconsciente coletivo

Pessoas estão deixando empregos bem remunerados para fazer o que amam, famílias estão deixando as cidades para criar seus filhos em fazendas no melhor estilo "simple life", pessoas estão produzindo suas próprias bebidas, torrando o próprio café e plantando orgânicos em hortas nas varandas dos seus apartamentos.

Pode parecer em um primeiro momento que essa história de embalagens minimalistas sejam algo momentâneo para se diferenciar na prateleira e chamar a atenção do consumidor. Mas quando avaliamos todo esse contexto, parece fazer parte de algo maior. Um inconsciente coletivo que tem como valores a busca pela nossa essência, por transparência e por verdade.

Do ponto de vista do estudo de tendências, estamos falando de uma mudança muito grande no comportamento do consumidor e merece ser estudada com muito carinho. A marca "sem nome" é só a ponta do iceberg.

Clube Sebrae
Matheus Ferraz
Matheus Ferraz Seguir

Escritor e consultor de SEO @Upwell

Ler matéria completa
Indicados para você