[ editar artigo]

SWOT: a melhor ferramenta para analisar sua empresa

SWOT: a melhor ferramenta para analisar sua empresa

Existem dezenas de ferramentas de análise, mas muitas são difíceis de aplicar ou dependem de apoio externo. Entretanto, uma delas pode ser perfeitamente adaptada a pequenas empresas, a  SWOT. Essa análise é indicada para aprofundar o conhecimento do negócio em quatro grandes dimensões:

Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças).

Trata-se de uma ferramenta  simples, prática e eficiente, criada na década de 1960 por Albert Humphrey, em um projeto da Universidade Stanford. Foi pensada para fazer o planejamento estratégico de empresas de qualquer porte e em qualquer ramo.

Para obter melhores resultados em seus negócios é fundamental ser realista, pois uma análise exageradamente otimista ou pessimista afetará a correta tomada de decisões.

a. Forças

Quais são os pontos fortes da empresa? O que ela apresenta de diferente? O que seus clientes mais elogiam? Pode ser um produto ou serviço difícil de imitar; clientela fiel; boa localização; equipe impecável; serviço excelente; logística rápida, preço competitivo; alta margem de lucros; mercado de difícil acesso para concorrência; distribuição exclusiva de um bom fornecedor etc.

b. Fraquezas

Quais são os pontos fracos do negócio? O que costuma causar problemas ou prejuízos constantes? O que seus clientes mais criticam? Pode ser um produto ultrapassado; localização ruim; preço pouco competitivo; alta rotatividade de pessoal; poucos treinamentos; baixa capacidade de investimento; falta de preparo; relacionamento ruim entre sócios; endividamento excessivo etc.

c. Oportunidades

Quais seriam suas oportunidades para aprimorar o negócio? Isso costuma ter relação com fatores externos, como a falência de um concorrente importante; um novo fornecedor; um grande cliente insatisfeito com a concorrência; interesse de investidores em seu segmento de mercado; aparecimento de novas tecnologias; uma nova metodologia de trabalho; nova legislação mais favorável; um treinamento para melhorar a gestão de sua equipe etc.

d. Ameaças

São ameaças graves à continuidade de seu negócio. Pode ser a entrada de um concorrente poderoso; o desenvolvimento de um novo produto ao qual você não tenha acesso; a descoberta de uma nova tecnologia que mude as regras atuais; imitação de seus produtos; falta de mão de obra qualificada; aumento de impostos ou ainda um aumento de custos que você não consiga acompanhar.

Normalmente, os pontos fortes e fracos estão dentro da própria empresa, enquanto as oportunidades e as ameaças são situações de mercado que não dependem, em princípio, de sua atuação.

Feita a análise, chegou a hora de desenvolver um plano de ação com apenas sete itens.

Ou seja, você precisa explorar ao máximo seus pontos fortes (para convencer as pessoas de que eles existem e são relevantes); consertar ou atenuar seus pontos fracos (saindo de mercados ruins, retirando produtos que geram prejuízo ou contratando gente que faça o que você não sabe ou não gosta de fazer, por exemplo); aproveitar as oportunidades (que não costumam durar muito tempo) e lidar de forma inteligente com as ameaças.

O que será feito para:

1. Potencializar as forças?

2. Neutralizar ou atenuar as fraquezas?

3. Aproveitar as oportunidades?

4. Lidar com as ameaças?

5. Quem fará?

6. Quando fará?

7. Como fará?

Se feita com critério e profundidade, a análise SWOT, além de custar quase nada, lhe dará informações valiosas para planejar ações que aumentem as chances de sucesso da sua empresa.

Se você já aplicou a ferramenta SWOT no seu negócio, compartilhe nos comentários como foi. 

Veja o artigo da Renata Piazza para ver um caso em que a ferramenta matriz swot foi aplicada no restaurante funiculi funicula.

Abraços

Clube Sebrae
Eduardo Ferraz
Eduardo Ferraz Seguir

Consultor e palestrante. Tem mais de 25 anos de experiência e cerca de 30 mil horas de prática com consultoria em empresas e em treinamentos na área de gestão de pessoas. É comentarista em vídeos na EXAME.com e colunista na rádio BandNews.

Ler matéria completa
Indicados para você