[ editar artigo]

A tecnologia invade o agronegócio!

A tecnologia invade o agronegócio!

Papel no bolso da calça, caneta dependurada na orelha e bloco de anotações no bolso frontal da camisa têm sido cada vez menos vistos com funcionários e proprietários de pequenas, médias e grandes empresas rurais.

Os softwares voltados ao agronegócio têm caído no gosto de muitos – um prato cheio para as empresas voltadas a este segmento. Por outro lado, no campo ainda se vê uma certa restrição à adoção de novas soluções.

Parte deste repúdio passa pelo fato de existirem softwares extremamente complexos de se manusear. Eles se propõem a fazer coisas formidáveis, e o produtor adquire o produto seduzido pela promessa de que seus problemas chegaram ao fim. Porém, em um curto espaço de tempo, a utilização é logo abandonada por conta da dificuldade em registrar e, principalmente, em extrair as informações necessárias à gestão do negócio.

Em 2011, um painel de debates realizado pela Embrapa, com foco na pecuária bovina de corte, apontou a falta de foco no cliente, por parte dos desenvolvedores, como o principal fator para esta realidade.

Desde então, este cenário tem mudado. Temos visto uma melhora na qualidade e um aumento na oferta de produtos similares no mercado. Além disso, produtos focados em outros nichos do agronegócio, que se propõem a resolver problemas cotidianos de clientes rurais e urbanos, também ganham notoriedade.

Como bem lembrou o Matheus dos Santos, consultor do Sebrae/PR, um exemplo disto é a startup PepMesh. A empresa criou um aplicativo que liga o produtor agrícola ao consumidor urbano. Fundada pelos empreendedores Felipe Neuwald e Davi Neves, o objetivo do software é entregar ao cliente o produto mais fresco possível, sem intermediários no processo logístico. Por enquanto, o foco de atuação da empresa é apenas nos EUA (caso queira conhecer, clique aqui e acesse o site da PepMesh).

No artigo da semana retrasada, “‘Profissionalizar’ a atividade rural?”, comentei que, no início do desenvolvimento do REDBOV® – Sistema de Gestão Pecuária, software que a Reditus Consultoria desenvolve desde 2012, um dos principais motivos (senão o principal) que nos levou a entrar de cabeça neste projeto foi o fato de, depois de estudar o mercado e testar inúmeros produtos, chegarmos à conclusão de que mesmo os mais conhecidos não tinham o “foco no cliente”.

Bem, antes de continuar, uma pequena explicação e um pedido de desculpas...

Desculpe a citação do case próprio, mas é a experiência em que fui mais a fundo nessa área de Tecnologia da Informação para o agronegócio. Portanto, é a que posso dividir com vocês. Outros softwares eu testei durante a fase do estudo de mercado do plano de negócios da empresa, mas não participei do desenvolvimento.

Voltando então...

Precisávamos de um software para otimizar nosso trabalho junto aos clientes, mas não encontrávamos nenhum que fosse realmente satisfatório. Ou tinham botões demais, ou cores demais, ou figuras demais, ou funções demais...ou essas coisas de menos.

Nossa proposta foi, então, a de criar um programa ágil, prático, simples e eficiente, que pudesse ser o guia do pecuarista mesmo quando ele não está na fazenda.

O REDBOV funciona 100% online!

Como as informações são lançadas diariamente, em tempo real, o usuário sabe, no dia, se choveu na propriedade, se os animais foram pesados, qual é o peso atual e o histórico de pesagens de cada um dos animais, em que área da fazenda os animais se encontram, em qual lote cada animal está, se comeram ração ou se foi fornecido suplementação, se foi feito algum manejo sanitário ou reprodutivo, se comprou ou vendeu animais, se nasceram ou morreram animais, etc.

Tudo isso facilita imensamente nosso trabalho, pois não precisamos mais ficar tabulando dados em planilhas por 7, 8, até 10 horas a cada visita técnica. Agora, antes mesmo de sairmos de nossa empresa, em Curitiba, já sabemos tudo o que aconteceu na propriedade desde a última visita. Sobra mais tempo para planejar e tomar decisões que vão fazer o negócio do nosso cliente crescer!

Estes são apenas alguns exemplos que eu quis apresentar para mostrar que a tecnologia veio pra ficar no agronegócio, e o produtor que se convencer disto com certeza sairá na frente deste mercado tão competitivo e tão importante para o país!

E aí, qual a sua opinião a respeito do uso da tecnologia no agronegócio?

Deixe seu comentário aqui embaixo ↓

Será um prazer conversarmos sobre esta questão!

Aproveite bem o fim de semana, e até a próxima!

Grande abraço,

Gustavo

Clube Sebrae
Gustavo Pedroso
Gustavo Pedroso Seguir

Consultor de Agronegócios | Sócio-administrador e Consultor Técnico na Reditus Consultoria | Economista | Zootecnista | 31 | Curitiba-PR

Ler matéria completa
Indicados para você