[ editar artigo]

Algoritmo do Instagram: saiba como funciona

Algoritmo do Instagram: saiba como funciona

Há algum tempo, muitos usuários do Instagram ficaram felizes com a possibilidade do tão querido feed cronológico voltar. Isso porque muitas pessoas estão insatisfeitas com o feed atual, já que não sabiam muito bem como o algoritmo do Instagram funcionava.

Bem, pode demorar muito tempo para que, novamente, os usuários possam ver os posts dos seus amigos na ordem que eles postam. A rede confirmou que a nova configuração tem feito os usuários ficar bem mais tempo na rede, além de fazer com que eles vejam até 90% dos posts de seus amigos – o que não acontecia antes.

Pois é, o feed cronológico não vai voltar, mas a rede deu a satisfação de explicar como o misterioso algoritmo do Instagram funciona. Caso você sempre foi curioso para descobrir, hoje nós vamos contar, com base já disse o site TechCrunch.

Conhecendo o algoritmo do Instagram

A maior rede social de compartilhamento de fotos do mundo têm mais de 800 milhões de usuários ativos. Isto quer dizer que, constantemente, essa quase infinidade de pessoas está trocando likes, comentários, visitando perfis, vendo e postando fotos e stories.

O feed de cada usuário é, basicamente, baseado em como ele interage com o conteúdo que vê e quais tipos de conteúdo ele procura. Na verdade, não é tão básico assim.

De acordo com a própria empresa, o algoritmo do Instagram “monta” o feed baseando-se em três fatores principais: Mais Recentes, Interesses e Relacionamento.

Mais recentes: quando o usuário entra na rede, ele geralmente vê o conteúdo que foi postado por último pelos perfis que segue. No entanto, isso não impede que ele veja postagens de dias atrás, desde que elas estejam bem coladas entre seus principais interesses e seus relacionamentos na rede.

Interesses: como o nome sugere, interesses têm a ver com tudo o que gera interação do usuário na rede. O que ele curte, comenta, segue, visualiza com mais frequência, clica dentro da aba pesquisar, etc. Todo tipo de interação que ele pratica gera uma informação para o algoritmo, que vai ler a interação como uma espécie de “aviso” de que o usuário gosta do que está vendo. Quanto mais interação ele pratica por um tipo de conteúdo, mais ele aparecerá.

Relacionamento: isso tem a ver com as pessoas com quem o usuário interage na rede, desde curtidas, comentários, mensagens diretas e visitas no perfil. Quanto mais interações possui com uma pessoa, mais publicações que ela faz aparecerão no feed.

Algoritmo do Instagram se baseia em três fatores principais para escolher o que mostra no feed. Imagem: Tech Crunch.

 

A rede também fez questão de citar alguns fatores secundários que influenciam o que um usuário vê em seu feed. Estes fatores são mais perceptíveis nos feeds de pessoas que não costumam acessar a rede com frequência. São eles:

Frequência: a frequência com que o usuário usa a rede influencia o tipo do conteúdo mostrado. Quem entra pouco vê o que há mais de especial, ou seja, o conteúdo mais bem colocado entre os mais recentes, o interesse e o relacionamento do usuário.

Pessoas seguidas: quanto mais pessoas um usuário segue, mais tipos de conteúdo ele verá. Isso é meio óbvio, já que quando geralmente uma pessoa segue várias, ela estará “consumindo” vários interesses e estabelecendo relacionamentos diferentes.

Tempo no aplicativo: o tempo que um usuário permanece conferindo conteúdos dentro do aplicativo diz para a rede se o usuário está querendo ver apenas o “melhor”, o que mais tem a ver com seus interesses, ou, se eles está usando a rede para conhecer coisas novas, explorando. Este é um outro fator que determina o que é mostrado.

Mitos desmentidos

Além de confuso, o algoritmo do Instagram fez com que muitos usuários desconfiassem de práticas da rede, como diminuir alcance de quem usasse muitas hashtags, por exemplo. Na oportunidade que explicou o feed, a rede também desmentiu estes mitos.

Segundo a rede, nenhum post é escondido, o que quer dizer que se o usuário fuçar bastante o feed acabará achando todos os posts recentes de seus amigos. Além disso, a rede não dá mais visibilidade para fotos ou vídeos, nem para usuários que postam mais stories ou façam lives. Ela usa, acima de tudo, os interesses e uso do usuário como base para montar o feed.

Outro mito importante que foi desmentido é em relação a visibilidade de contas comerciais ou pessoais. Segundo a rede, não há privilégio, ou seja, nenhum tipo de conta ganha mais visibilidade simplesmente por ser particular ou de alguma empresa.

Como fazer sua empresa ir bem no Instagram

Ter consciência de como funciona o algoritmo do Instagram é apenas o primeiro passa para que uma marca possa ter uma boa presença na rede. Agências especializadas em Marketing Digital, como a Projetual, trabalham para que as marcas possam produzir um conteúdo bacana, que interesse usuários, enquanto procuram estabelecer um bom relacionamento com seus seguidores.

A rede é sempre repleta de ferramentas específicas para cada segmento, que podem ser aproveitadas e produzir resultados interessantes, desde que sejam usadas eficientemente.

Confira um vídeo que nós produzimos falando sobre algumas ferramentas úteis para utilizar no Insta da sua empesa. Em nosso canal no Youtube, você encontra vários outros materiais criados para melhorar a presença digital da sua marca.

Para mais informações sobre o mundo do marketing digital, não deixe de acessar nossos materiais gratuitos! Você pode baixa-los e aprender mais como melhorar sua presença na internet. 😉

Clube Sebrae
Milena Mancini
Milena Mancini Seguir

Milena Mancini é designer formada pela UTFPR e especialista em Marketing. Há 13 anos dirige a Projetual, agência de comunicação e marketing. Presta consultoria em Planejamentos de Marketing Digital e Presença Online para pequenas e médias empresas.

Ler matéria completa
Indicados para você