[ editar artigo]

As grandes redes querem derrubar seu minimercado e você precisa se preparar para esta batalha

As grandes redes querem derrubar seu minimercado e você precisa se preparar para esta batalha

Se você é dono de um minimercado, uma mercearia ou um pequeno comércio de alimentos e bebidas, posso apostar que o título desse artigo te assustou. Pois é, era essa a intenção, mesmo porque a afirmação presente no título não é uma invenção minha. A notícia que circula é que o segmento de comércio de vizinhança, dominado pelas pequenas lojas independentes, começa a sentir a concorrência dos gigantes varejistas cada vez mais perto.

Quem disse isso foi a consultoria Nielsen, gigante especializada em pesquisas de mercado. Segundo eles, entre janeiro de 2014 e agosto de 2017 cresceu 55,5% o número de lojas de vizinhança de cadeias organizadas: o aumento foi de 1.735 para 2.698. O ritmo de crescimento chega a ser similar ao registrado pelo "atacarejo" — aquela mistura entre atacado e varejo — que teve um avanço de 55,8% no mesmo período.

Esse movimento não está acontecendo à toa. Entre os principais motivos é possível destacar a dificuldade enfrentada na locomoção dentro das cidades, a praticidade que esses estabelecimentos oferecem, o envelhecimento da população que encontra dificuldades para se locomover, entre outros.

Especialistas da área citam ainda que a redução da informalidade desses pequenos negócios e a melhoria do serviço, como o aumento na aceitação de pagamento com cartão, fizeram com que as grandes redes passassem a olhar para esse segmento.

Como já era de se esperar, muitos empreendedores de pequenos comércios, mercearias e mini-mercados não estavam preparados para esta concorrência. O resultado? O fechamento de muitas pequenas lojas independentes de vizinhança. Para evitar que você passe por isso no seu negócio eu resolvi reunir aqui algumas dicas para você se preparar para esta batalha com os gigantes.

1. Invista no atendimento personalizado

Concorrer em condições de igualdade com uma grande rede não é uma tarefa fácil, em especial pois dificilmente um minimercado vai conseguir atrair mais clientes por conta do preço dos produtos. Por outro lado, uma grande rede nunca irá ter o nível de personalização no atendimento que um pequeno comércio pode oferecer.

Portanto, se você deseja se manter ativo nesta batalha é muito recomendável que você se dedique à personalização no atendimento e no treinamento dos funcionários para tratar cada cliente de forma única.

2. Mantenha um relacionamento próximo à comunidade

Em um negócio desse tipo a escolha da localização é determinante para definir toda a estratégia do negócio. Diante desse contexto é muito importante manter uma boa e próxima relação com a comunidade onde o minimercado está localizado. Mesmo porque, por conta da comodidade, a maioria dos seus clientes deve ser de pessoas do entorno.

Em geral esse trabalho envolve ações que aproximem o próprio empreendedor dos seus potenciais clientes. Elas passam uma imagem positiva da empresa e criam na cabeça dos clientes uma sensação de exclusividade, já que passam a ter seu atendimento feito pelo próprio dono do negócio.

3. Fique atento ao planejamento visual do negócio

Planejamento visual significa estar atento aos elementos de comunicação do negócio. Neste caso, especificamente, é um trabalho essencial que inclui a escolha da fachada, das cores, e da tipografia do logo, por exemplo. No entanto, não é só isso.

A disposição da loja, o formato como os produtos estão expostos, o posicionamento dos corredores e dos caixas fazem toda a diferença para que o empreendimento tenha sucesso. Na hora de planejar isso pense como consumidor e imagine qual a experiência ideal que você deseja que eles tenham durante o tempo em que estão na sua loja.

4. Tenha atenção com a limpeza e conservação

Cuidado e conservação são dois pontos muito importantes para qualquer estabelecimento que tenha relação com alimentação. Quando falamos de limpeza, esse fator fica ainda mais evidente. Pense bem: quando foi a última vez que você comprou alimentos em um minimercado que estava sujo?

Para ter um trabalho eficiente nesse sentido, no entanto, não basta apenas ter uma equipe de limpeza eficiente. É preciso que as pessoas envolvidas nesse trabalho tenham consciência que a limpeza não pode atrapalhar o fluxo de clientes dentro da loja.

5. Capacite bem seus funcionários

Por um lado, você não poderá estar presente em todos os momentos em que seu cliente tiver contato com os funcionários. Por outro, o bom atendimento costuma ser fator de escolha do consumidor entre uma marca e outra. No mundo dos minimercados essa lógica faz ainda mais sentido.

Diante desse contexto surge a última dica que posso trazer: nunca deixe de investir no treinamento dos seus funcionários. Lembre-se: quando você não estiver presente eles é que serão as pessoas que vão transmitir os valores da marca para seus clientes e prospects.

O mercado de varejo de alimentos e bebidas, apesar da concorrência forte das grades redes, permite que pequenos empresários invistam para oferecer alguns diferenciais para seus clientes. São pontos de diferenciação que os grandes varejistas não conseguem combater.

Espero que com essas dicas você possa preparar seu negócio para bater de frente com a concorrência e garantir uma sobrevivência eficaz e sustentável. Ah, e depois não deixe de compartilhar com os leitores aqui do Clube qual foi a estratégia que você usou para não permitir que seu pequeno comércio perdesse espaço no mercado.

Clube Sebrae
Marcus Pereira
Marcus Pereira Seguir

Mkt Digital e Conteúdo @ Beracode

Ler matéria completa
Indicados para você