[ editar artigo]

As transformações da 4a Revolução Industrial na Indústria Têxtil

Existe um termo para o que estamos vivendo tão maluco que parece papo de ficção científica.

Porém, faz tempo deixou de ser ficção. Google glass, carros robôs que dirigem sozinhos, microchips do tamanho de um grão de arroz, realidade virtual. Tudo isso já existe. E o que isso muda em nossa vida? Tudo.

O Netflix recentemente lançou uma série chamada Black Mirror que trata de uma maneira muito crítica como isso nos afeta em todos os níveis. Vale a pena! Eu que não era muito fã de ficção científica comecei a ser entusiasta.

A primeira revolução industrial foi impulsionada pela descoberta de que poderíamos utilizar motores para realizar todos os tipos de atividades operacionais, mas as revoluções que vieram depois aconteceram no âmbito da eletricidade, computação e tecnologias da comunicação.

Atualmente, estamos vivendo a quarta revolução, cuja grande característica é justamente a interseção entre digital, físico e biológico. É o que muitos estão chamando de Internet das Coisas. Não se engane, o nome pode parecer simples, mas vai muito além de microship em jaquetas e relógios. Um dos fundadores do Fórum Econômico Mundial, Klaus Schwab disse: “O grande impacto da quarta revolução industrial é que as transformações não estão ocorrendo nas coisas que fazemos, mas sim, em nós mesmos”.

Mudanças nas relações de trabalho

O trabalho representa grande parte do que fazemos dos nossos dias e por consequência é uma das relações afetadas pelas transformações da quarta revolução industrial. A questão de que o homem será substituído por máquinas é importante, mas não é a principal questão. Construção civil, indústria, serviços médicos, serviços de transporte. Esses setores irão continuar existindo. A principal questão é como será o futuro do trabalho. Como mudaremos a forma que definimos trabalho? Observando um espaço de coworking você pode perceber como essas relações estão se alterando. Há 10 anos atrás, nem se falava nesse tipo de espaço de trabalho. Isso sem falar nos chamados Nômades Digitais, que realizam seus afazeres independente do lugar do mundo que se encontram.

A Quarta Revolução Industrial no Setor Têxtil e de Confecção

Nesse contexto intrigante e empolgante, alguns especialistas na indústria têxtil se reuniram para falar sobre o futuro, refletindo para onde o mercado caminha até 2030. Um dos especialistas presentes, Flávio da Silveira Bruno, é autor de uma pesquisa bastante aprofundada que reúne todo o conhecimento de um estudo extenso, desde 2008 sobre as mudanças da quarta revolução no setor têxtil e de confecção. O estudo completo, você pode acessar gratuitamente nesse link.

O bate-papo você confere no Papo de Especialista organizado pelo Sebrae, filmado em um espaço de coworking no Rio de Janeiro dedicado justamente à cadeia produtiva da confecção e moda. Além do especialista Flávio, estão também o empresário Bernardo Fonseca e Juliana Borges, consultora do Sebrae. Espero que goste!

Clube Sebrae
Matheus Ferraz
Matheus Ferraz Seguir

Escritor e consultor de SEO @Upwell

Continue lendo
Indicados para você