[ editar artigo]

[Campus Party 2017] Omelete: como trabalhar conteúdo nas redes sociais sem cair em armadilhas

Olá, pessoal. Não sei se vocês sabem, mas nessa semana está rolando a 10ª edição da Campus Party em São Paulo. O evento é a maior experiência tecnológica do mundo e envolve milhares de pessoas em torno de um festival de Inovação, Criatividade, Ciências, Empreendedorismo e Universo Digital.

Eu tive, pela primeira vez, o privilégio de participar do evento e pensei: porque não dividir tudo o que eu aprendi com a galera do Clube? Principalmente, porque acompanhei a maioria dos bate-papos sobre produção de conteúdo através da internet, que é exatamente o que fazemos aqui no Clube.

Um dos primeiros bate-papos que acompanhei foi com a galera do Omelete, o maior portal de cultura pop do Brasil. Eles são especialistas em falar sobre cinema, HQs, música, televisão e jogos eletrônicos em diversas redes sociais como Youtube, Facebook, Twitter, Instagram e Snapchat.

A reflexão que eles trouxeram para nós foi: como trabalhar o mesmo conteúdo em várias plataformas e para públicos diferentes?

Evite armadilhas

  • Sensacionalismo: cuidado com o tom utilizado ao falar sobre algo. Esconder informações ou tendencia-las não vai garantir a fidelidade do seu público. Seja sincero e você vai atrair um público realmente engajado.
  • Clickbait: é uma técnica utilizada para “fisgar” cliques, normalmente às custas da qualidade e da precisão da informação. Existem diversas formas de instigar a curiosidade do público. Se você quer, realmente, se tornar referência essa técnica não vale a pena.
  • Cópia de conteúdo: simplesmente não o faça. Coloque-se no lugar de quem se esforçou para produzir algo interessante e original. Se você quer utilizar o conteúdo de alguém, peça e cite a fonte.
  • Ser refém dos números: cuidado! Os números nem sempre refletem a qualidade do que você está fazendo. Atente-se às métricas certas para cada rede social.

Desenvolva diferenciais

  • Linguagem dedicada para cada rede: entenda as particularidades de cada rede social para depois definir o formato de linguagem a ser utilizado. Você só vai saber se seu público no Facebook prefere ler uma notícia ou assistir um vídeo se testar os dois formatos. Então, experimente! Abuse do método “tentativa e erro”.
  • Análise de comportamento: após testar diferentes formatos é hora de analisar o desempenho do conteúdo. Cada métrica permite uma análise diferente. Se seu conteúdo é em vídeo, por exemplo, o número de views é muito importante, mas você já parou para observar o tempo de engajamento do público? Essa métrica permite uma análise mais qualitativa do conteúdo que você produz.
  • Conteúdo original: a internet está povoada de pessoas falando sobre as mesmas coisas. O que vai distinguir você dos outros é a sua essência e a autoridade com que fala daquilo que acredita. Aproprie-se do conteúdo.
  • Ousar e inovar com análise: após aplicar os três diferenciais acima é hora de sair da zona de conforto. Analise as tendências e fique atento às mudanças. Busque novas formas de levar seu conteúdo ao público.

Entenda que as redes sociais são prioridade

  • Não são suporte ou muleta.
  • Agregam valor ao conteúdo.
  • São tão ou mais importantes que a base.
Clube Sebrae
Juliana Soares
Juliana Soares Seguir

Gestão Site - SebraeMS

Ler matéria completa
Indicados para você