Capital de giro e fluxo de caixa: como fazê-los funcionar bem juntos?
[editar artigo]

Capital de giro e fluxo de caixa: como fazê-los funcionar bem juntos?

Não importa qual seja o tamanho da empresa ou sua área de atuação, o dinheiro sempre figura como uma espécie de espinha dorsal do mundo das corporações. Sendo assim, nada mais natural do que a necessidade de que exista uma boa gestão financeira e um ótimo trabalho entre o fluxo de caixa e o capital de giro para que os empreendimentos consigam se manter competitivos no mercado.

Na realidade, não é raro encontrarmos empresas que faliram por não terem cuidado em desenvolver um bom planejamento envolvendo esses dois aspectos. Por isso, qualquer que seja o objetivo da empresa, ele nunca deve ser negligenciado.

Relação entre capital de giro e fluxo de caixa

De forma simples, o capital de giro é o total de todos os recursos financeiros aplicados aos valores que a empresa terá que receber de seus clientes, em seu estoque, no banco e no caixa. Ou seja, chamamos de capital de giro tudo aquilo que apresenta liquidez ou que possa se tornar dinheiro com uma certa facilidade, podendo ser usado na manutenção de atividades operacionais.

Nesse sentido, fica claro que o capital de giro diz respeito aos recursos que serão necessários para que a empresa mantenha suas operações. E é aqui que a relação entre ele e o fluxo de caixa fica mais clara.

Precisamos ter em mente que o capital de giro sempre afeta o planejamento do fluxo de caixa. Por exemplo, caso falte dinheiro em um momento para que empresa pague fornecedores ou funcionários será necessário que investimentos maiores sejam feitos no capital de giro.

Uma dica muito interessante é negociar prazos maiores de pagamento com prazos menores de recebimento. Isso promove o equilíbrio e faz com que ambos trabalhem de forma otimizada. Dessa forma, a necessidade de que investimentos sejam feitos no capital de giro será menor.

Agora que vimos esses aspectos iniciais e importantes, ao longo do post apresentaremos algumas dicas simples e práticas para que sua empresa otimize tanto o capital de giro quanto o fluxo de caixa - fazendo com que ambos trabalhem em harmonia para o crescimento e sucesso dos negócios!

Capital de giro: como manter de forma eficiente

Quando falamos sobre manter o capital de giro eficiente é comum que alguns empresários acreditem que essa é uma tarefa que somente super profissionais são capazes de executar. Na realidade, o que temos que fazer é aplicar pequenas atitudes que produzam resultados positivos - e elas podem ser realizadas por qualquer gestor. Veja como:

1 - Atenção com a quantia atual 

Um dos maiores problemas envolvendo o capital de giro é quando a empresa conta com um dinheiro que ainda não se encontra disponível na conta. O ideal é que seja considerada como receita somente o valor em que já foi feita a emissão de uma nota fiscal ou que os boletos foram aceitos.

No mais, a receita não deve fazer parte do fluxo de caixa projetado e, por consequência, do capital de giro da empresa.

2 - Reponha a quantia usada

Usar o capital de giro para arcar com determinada despesa e não se preocupar em fazer a reposição do valor é um erro muito prejudicial. Para evitar que haja insuficiência desse recurso é preciso que exista um controle rígido, além disso, é interessante que se tenha um prazo muito bem definido para a sua reposição.

3 - Invista

Dinheiro parado é um assunto sensível. Por isso mesmo não podemos nos esquecer de que é sempre melhor pagar as dívidas o quanto antes, além de sempre verificar o estoque e avaliar o que deve ser colocado à venda. É fundamental analisar o plano de contas da empresa, calcular o que será necessário mensalmente para o capital de giro e usar o que sobrar para investir. Fazer isso é um ótimo caminho para manter tudo funcionando.

4 - Planeje a gestão

Não é possível fazer uma boa gestão financeira da empresa se não cuidarmos da administração do capital de giro. Sendo assim, qualquer tipo de planejamento deve considerar dos gastos mais simples aos mais expressivos.

Além disso, planejar e otimizar tudo de olho no fluxo de caixa ajuda a fazer com que as finanças permaneçam em dia. Vale lembrar que boa parte dos problemas envolvendo a parte financeira das empresas se deve, exatamente, ao fato de não haver um planejamento nesse sentido.

Fluxo de caixa: como aliar ao capital de giro

É importante que estas dicas estejam alinhadas com as anteriores para que os resultados sejam promissores.

1 - Faça um levantamento

Não basta apenas fazer um levantamento dos planos de investimento, receitas atuais e futuras e de todas as despesas da empresa. O recomendado é que esse inventário seja alinhando com o Plano de Negócios adotado pela companhia. Uma dica é organizar tudo por natureza, ou seja, investimentos - não operacional e operacional.

2 - Ciclo operacional

O fluxo de caixa sempre deve contemplar o período referente ao ciclo operacional da empresa. Mesmo que exista variação entre uma e outra, o mais comum é que cada ciclo seja de um ano. Entretanto, é necessário considerar que, de acordo com campo de atuação da empresa esse horizonte abrangendo o ciclo poderá ser maior. Por exemplo, empresas que trabalham com safra precisam levar em conta um período próprio.

3 - Impactos no fluxo de caixa

Sempre que possível é recomendado se antecipar aos eventos operacionais que venham a afetar o fluxo de caixa, a perda de clientes ou atraso na implantação de um novo produto. Assim, será possível que a empresa atue de forma proativa em relação ao seu fluxo de pagamentos. Com isso, será possível analisar e negociar com fornecedores a postergação de dívidas, por exemplo.

Por fim, uma dica válida em termos de planejamento, gestão e otimização do capital de giro e do fluxo de caixa é fazer uso de um programa de gerenciamento financeiro. Atualmente, há uma infinidade deles, fato que torna ainda mais fácil a sua utilização, uma vez que sempre há uma opção para o segmento, porte e necessidades que possam ser apresentadas pela empresa.

Essas ferramentas auxiliam bastante na geração de relatórios financeiros, controle de despesas e receitas e, na eficiência e segurança de todos os aspectos envolvendo uma boa gestão para a empresa.

Então, gostou de saber mais sobre a importância de uma boa gestão financeira e a relação entre fluxo de caixa e capital de giro de uma empresa? Que tal aproveitar e compartilhar esse artigo em suas redes sociais preferidas? Assim, você também poderá contribuir para informar e guiar outras pessoas e empresas rumo ao sucesso!

Clube Sebrae
Denisson Soares
Denisson Soares Seguir

Analista de Produção de Conteúdo. Atua no mercado de Marketing de Conteúdo e Inbound Marketing. Acompanha de perto tudo que acontece no mundo da tecnologia. Entusiasta de ideias inovadoras que ampliam os horizontes e as possibilidades das empresas.

Continue lendo
Indicados para você