[ editar artigo]

Capital de Giro: o que fazer quando minha empresa está no vermelho?

Capital de Giro: o que fazer quando minha empresa está no vermelho?

Antes de explicar o que é e o que fazer quando o capital de giro do seu negócio está no vermelho, convido a você refletir se a causa deste resultado negativo é exclusivamente do mercado (concorrência, crise, governo, etc) ou se você, empreendedor, tem sua parcela de responsabilidade. Por exemplo, reflita se tem acompanhado as alterações e demandas do mercado para atender da forma adequada seus clientes, se tem um plano de ação para melhorar pontos de controle e gestão do seu negócio em que há oportunidade de melhorias e se tem buscado se capacitar para se desenvolver e, consequente, melhorar os resultados do seu negócio.

O capital de giro de uma empresa tem a função de financiar a continuidade das operações do negócio, seja para o estoque ou para despesas operacionais (folha de pagamento e encargos, pró-labore, aluguel, telefone, internet, etc). Pode-se dizer também que o capital de giro indica a necessidade do montante de recursos que a empresa precisa para financiar suas despesas mensais, ou seja, o valor dos recursos que o seu negócio precisa para que seus compromissos sejam pagos nos prazos de vencimento no período.

Avaliar o saldo disponível para que haja sempre capital de giro na empresa, seja para aplicação, para provisionamentos e reserva de caixa, investimentos ou gastos é uma ação imprescindível para garantir a saúde financeira do seu negócio.

Caso ocorra de ficar com saldos negativos, a primeira providência é descobrir as causas: atraso nos recebimentos, alta taxa de inadimplência, queda repentina nas vendas, estoque encalhado, etc. Este problema também ocorre se as diferenças entre os prazos de recebimentos dos clientes e pagamentos dos fornecedores, colaboradores e outras despesas forem altas, e a empresa não se planejar, ou seja, deve-se organizar o calendário de pagamentos e recebimentos de tal forma que os recebíveis ocorram nos períodos adequados para os pagamentos.

Lembre-se também de adequar sua retirada mensal de pró-labore para datas que haja maior saldo em caixa. Independentemente de você ser um MEI (Microempreendedor Individual), microempresa ou empresa de pequeno porte, este valor de pró-labore deve ser definido para lhe auxiliar na separação do dinheiro da empresa das contas pessoais, caso contrário você pode se perder no controle financeiro do seu negócio.

 

Fiquei no vermelho, e agora!?

Fechar o mês no vermelho não é o fim do mundo, o importante é entender a causa e tomar ações para amenizar o saldo negativo, tais como:

1. Renegociar com fornecedores para prorrogar prazos de pagamentos de dívidas já existente;
2. Fazer antecipação de recebíveis;
3. Fazer liquidação de produtos parados no estoque há muito tempo;
4. Eliminar qualquer tipo de desperdício;
5. Fazer empréstimo para capital de giro, desde que a taxa de juros gere uma dívida inferior aos juros do não pagamento de contas.

Muitos donos de pequenos negócios acabam recorrendo ao banco para buscar dinheiro para seus negócios em último caso, porém quando o fazem, boa parte escolhe as modalidades mais caras como cartão de crédito e cheque especial. Desta forma, acabam aumentando ainda mais suas dívidas, tornando-se uma bola neve, devido à ausência de planejamento e de gestão do fluxo de caixa de forma eficiente, além do desconhecimento da existência de linhas de crédito específicas para capital de giro, como por exemplo, para quem é MEI tem linhas de microcrédito específicas.

 

Busque conhecimento e capacite-se!

Diante deste cenário, torna-se imprescindível que você empreendedor tenha no mínimo um conhecimento básico sobre controle diário de caixa, fluxo de caixa, capital de giro, ponto de equilíbrio, margem de contribuição, lucratividade e rentabilidade para, desta forma, conseguir fazer a gestão financeira do seu negócio e tomar decisões de forma assertiva. No caso de quem tem um microempresa ou empresa de pequeno porte que muitas vezes tem um colaborador, administrador ou sócio que faça o controle e gestão financeira do seu negócio, é importante que você tenha o conhecimento mínimo para tomar decisões estratégicas para sua empresa, sendo isto possível por meio de capacitações e treinamentos.

Clube Sebrae
Rafael Souza
Rafael Souza Seguir

Analista de Negócios e Palestrante do Sebrae-SP no Escritório Regional de São José dos Campos, Empreteco, Agente Local de Inovação, formado em TI, especialista em Gestão de Pessoas e em Gestão Estratégica de Negócios.

Ler matéria completa
Indicados para você