[ editar artigo]

Como criar autoridade com as mídias sociais?

Como criar autoridade com as mídias sociais?

Como criar autoridade com as mídias sociais? Essa é uma pergunta muito recorrente dentro do meu universo de comunicação. Os meus clientes chegam até mim sempre com essa dúvida, seja no âmbito pessoal ou no aspecto da marca.

No entanto, construir autoridade ainda é um esclarecimento para poucos empreendedores, empresários e investidores. Aqui trago 10 insights para os negócios diretamente associados à construção de autoridade, independente se esta estratégia de comunicação foca no empreendedor ou na marca da empresa.

Estes 10 insights são motivadas pela produção de conteúdo em vídeos. E quanto maior o ecossistema relativo a esta produção de vídeos, maior será a sua amplitude de escala e sua velocidade de resultados.

O que é e quem é o evangelizador para a geração de autoridade?

Evangelizador é a pessoa que se apresenta como protagonista daquele vídeo. Ele é o narrador ou o argumentador pela perspectiva do discurso formado de comunicação. Este evangelizador pode ser o especialista que também cria o conteúdo ou aquele que está apenas transmitindo a mensagem formulada no vídeo.

O evangelizador pode ser também materializado na forma de locutor. Assim, não existe a exposição de uma imagem deste evangelizador, mas será também o foco de atenção como o transmissor da mensagem que poderá impactar as pessoas.

Vale ainda alguns esclarecimentos antes de começar a descrever os insights. Quando eu foco minhas observações baseadas na presença de um evangelizador, entendo que a autoridade seguirá para a pessoa que estiver como protagonista no vídeo. Independente se ele seja especialista ou não, se seu argumento for bastante crível para o público, ele será o vetor de autoridade.

No caso de estratégias aonde os evangelizadores são em maior número, essa admiração pode pulverizar e o valor agregado passará para a marca produtora do conteúdo vigente no vídeo.

Há formas de não usar um evangelizador nas estratégias de produção de conteúdo?

Empresas que não queiram desenvolver autoridade focada numa pessoa, usam esta tática com mais evangelizadores. Desta forma, a empresa não fica refém de uma figura que, posteriormente, poderá deixar o vínculo com a produção de conteúdo, arrastando esta autoridade para outro canal, outra rede social ou outro segmento.

No caso do foco estar sobre o empreendedor, CEO ou diretor de equipe ligado aos interesses da empresa, ele poderá ser o evangelizador constante agregando valor e força de fidelização ao público alvo. E este tipo de autoridade cria vínculos emocionais mais rápidos. Porque pessoas compram de pessoas. Eu até fiz um vídeo falando a este respeito.

Sugiro que você acompanhe os outros vídeos na PLAYLIST que produzi no canal da I Ação falando bastante a respeito da construção de autoridade e como gerar mais negócios com produção de conteúdo em vídeos para sua empresa.

Agora vamos aos insights que ajudará você agora a mudar sua realidade e transformar sua empresa num vetor de seu segmento com produção de conteúdo com vídeos.

1) Autoridade destrói a concorrência

Quem constrói a autoridade está criando o seu parâmetro sobre uma série de critérios que os clientes, fãs, inscritos ou seguidores têm quando precisam tomar uma decisão de compra ou de consumo.

Quem detém da autoridade para seu network não sente as interferências de uma concorrência, porque os clientes respondem a seus estímulos vinculados a um elo emocional.

Com a autoridade, o cliente compra seu produto ou contrata seus serviços porque ele confia, gosta e identifica sua necessidade baseado no seu aconselhamento.

Um grande exemplo disso é o canal do Tecmundo no YouTube. Com os reviews em seu canal, o Tecmundo é uma referência sobre a avaliação de uma série de produtos. E o interessante é que os produtos estão disponíveis para compras em diversas outras lojas de e-commerce.

No entanto, a empresa tem grande poder de vendas; simplesmente, porque em cada review dos produtos; e cola o link de compra. O cliente na hora clica ali, faz sua aquisição e o Tecmundo ganha sua comissão neste processo. Agora multiplica esse processo pelo volume de conteúdo disponível nas redes sociais desta empresa.

2) Criar autoridade é como pagar a conta da luz

Toda empresa ou todo empreendedor que leva a sério a produção de conteúdo e a sua comunicação, ganha projeção e perspectiva de durabilidade dentro do seu segmento.

Quem coloca como prioridade a produção de conteúdo em suas redes sociais, evidentemente, fazendo adaptações sobre as características de cada plataforma, cria um ambiente de sucesso para seu negócio.

Empresas e empreendedores que colocam sua comunicação em mesmo peso de relevância que a conta da luz ou de telefone, prosperam em qualquer cenário sociopolítico ou econômico.

Quando a conta da luz não é paga, significa que não há viabilidade para mais nada. Sem luz não há como ligar o computador, o ventilador, o carregador de telefone. Como trabalhar assim? É inviável, não é mesmo? A empresa que coloca sua produção de conteúdo audiovisual em redes sociais como a conta da luz, cria prosperidade.

3) Autoridade valida a ideia do negócio

As empresas que estão construindo autoridade através de redes sociais, diminui o espaço dele com os clientes. A empresa ou o empreendedor fica muito próximo do cliente porque as ferramentas de interatividade são essenciais neste processo de comunicação. A produção estimula o cliente em lhe dar feedback, porém, sem produção não há feedback.

Há inúmeros cases de empresas que hoje são expoentes no segmento, mas conseguiram entender e ajustar seu posicionamento de comunicação levando em consideração a audiência.

O canal Porta dos Fundos começou testando vários formatos de esquetes de comédia. Basta você olhar os primeiros vídeos do canal de YouTube do grupo fundador. Em plena crise econômica brasileira, o canal surgiu criando um conteúdo ousado, mas testados em outros canais de YouTube.

O surgimento do canal Porta dos Fundos foi a junção das produções do canal Anões em Chamas e do Kibe Loko. Consequência? O canal foi vendido para a Viacom rendendo R$ 8 milhões para cada um dos fundadores. Isso só foi possível com a geração de autoridade no segmento de humor e entretenimento para a sua audiência.

4) Autoridade faz o cliente se apaixonar

O cliente procura algo para se sentir seguro sobre suas escolhas. Ele entende que seu dinheiro pode ser valorizado quando orientado sob suas necessidades.

Quando ele tem o desejo, porém, não se sente confortável ou seguro para tomar a decisão de compra, ele fica como uma pessoa carente. Este cliente, fã, inscrito ou seguidor fica carente e quer ser acolhido ou orientado a tomar a decisão mais coerente e correta.

Você pode se basear pela sua própria experiência. Você enquanto consumidor também tem os mesmos comportamentos que seus clientes têm. Neste entendimento, você pode se aproximar bastante das expectativas que eles nutrem quando são impactados por uma orientação baseada nas suas dificuldades, objeções ou medos.

Quando a pessoa se sente orientada pelo evangelizador, sabe o que acontece? Admiração, gratidão, necessidade de ser orientado pela pessoa cuja opinião ou esclarecimento foi fundamental para sua escolha e satisfação. E este vínculo se torna tão sólido quanto uma amizade ou uma paixão.

Por isso, entendo que o cliente realmente deseja se apaixonar pelas pessoas que o orientam. Porque elas estão carentes de segurança. Lembra do posicionamento do quesito segurança na perspectiva da pirâmide de Maslow?

Vale a pena compreender este gráfico para perceber como a sua orientação poderá fazer a diferença no universo do seu público.

5) Autoridade evangeliza o segmento

Quando existe autoridade, as pessoas começam a ser impactadas pela visão do evangelizador. E esse processo define uma série de elementos pertencentes a determinadas formas de concorrência no mercado. Aliás, este aspecto também pode ser entendido como uma nova formatação do segmento.

O que significa isso? Significa que você se torna vetor de qualidade para o segmento. Aquilo que você valoriza pela sua visão de negócios e pelos seus valores atribuídos em sua proposta de valor, serão também valorizados pelo público.

Sua opinião deixa de ser avaliada pelas pessoas como mais uma dentro do espectro comercial e passa a ser lei. As pessoas agora terão o cuidado de ouvir sua mensagem para gerar uma ação. Suas palavras serão estímulos para a tomada de decisão das pessoas. E isso se transforma numa corrente de consumo que você controla em algum aspecto.

Exemplo disso é o canal do YouTube de Nando Moura. Apesar dele ter um posicionamento bastante claro do ponto de vista político, ele é um agente de evangelização para seu público. Afinal de contas, Nando Moura usa sua audiência também para fins comerciais. Ele, portanto, torna-se afiliado de alguns produtos, usa sua autoridade para provocar o consumo destes produtos, lucra sobre estes relacionamentos comerciais e continua sendo importante para sua audiência.

Eu avalio o case de Nando Moura, independente de seus posicionamentos políticos, como um grande canal evangelizador. Ele sabe de forma bastante competente usar sua força de autoridade para provocar o consumo de produtos que ele acredita, e isso é importante também.

O evangelizador que não acredita na eficiência de seus produtos ou serviços, não consegue sustentar a veracidade de suas escolhas e tudo pode ruir quando este vínculo emocional se esvair ou enfraquecer por conta de argumento superficial.

Trago o exemplo do canal de Nando Moura porque entendo ele como uma pessoa bastante radical que teria tudo para desenvolver dificuldades sob algum aspecto comercial. No entanto, ele conseguiu criar um relacionamento com seus inscritos capaz de trazer esta atmosfera de afiliado sobre produtos que ele considera ser interessante oferecer.

Portanto, fica a dica: não existe dificuldade que a autoridade não possa derrubar.

6) Autoridade evita a crise no segmento

Quando existe autoridade, não existe crise. Isso porque sempre teremos necessidades de consumo em todos os segmentos. A dificuldade num contexto de crise pode ser pela luta de um mercado em retração. Isso quer dizer que o poder de consumo do segmento diminui, mas não para.

E como temos o entendimento de que há procura, mesmo na crise, você ou sua empresa, ou seja, o protagonista da produção de conteúdo em vídeos, torna-se o vetor desta demanda. Portanto, não há crise para os produtores de conteúdo que apostam na autoridade para fazer a diferença.

Além disso, há também o estímulo de outras oportunidades que você não vislumbra num primeiro momento, mas acaba se materializando a partir deste contexto produtivo de conteúdo.

E estas oportunidades podem potencializar aquilo que você já usa como resultado para a conversão de negócios ou novas atividades, sejam elas satélites de seu segmento ou não.

Com a autoridade em evidência, a empresa fideliza os clientes que estão procurando aquele produto ou contratação. Desta forma, seu negócio sempre está aquecido, enquanto o mercado pode estar em retração.

7) Ecossistema para autoridade também deve ser produzido

Mesmo entendendo a relevância de produzir conteúdo em vídeos, existem caminhos de produção que poderão ampliar mais ainda este ecossistema de comunicação para geração de autoridade. Uma estratégia bastante usada é o inbound marketing.

Quando você constrói outros processos de engajamento usando esta produção de vídeos, existe a potencialização de inúmeros aspectos intrínsecos ao resultado a ser estimulado. Há condições, portanto, de definir melhores conteúdos, melhores estratégias para escala de audiências, melhores feedbacks e inúmeras oportunidades para construir o resultado.

Inclusive, você pode desenvolver conteúdo com outras estratégias como email marketing, marketing digital e outros mecanismos para criar oportunidades de curto, médio e longo prazo.

O que eu entendo por ecossistema para a produção de conteúdo audiovisual?

• site do projeto;

• redes sociais do projeto (Facebook, Instagram, Pinterest, Linkedin, Twitter, Reddit, Google +, etc.);

• Página para captura de leads e construção de lista de email;

• Conteúdo exclusivo para as diversas frentes de comunicação;

• Comunidade do projeto;

Entre outros elementos do ecossistema. Aqui estou resumindo o resumo, se é que exista também este tipo de expressão.

O objetivo aqui é você compreender que não basta um canal de comunicação. Até porque seus clientes ou possíveis públicos dentro do espectro de seu segmento, eles querem ser atingidos, porque eles querem conhecer você ou sua empresa. Mas para isso, seu projeto precisa encontrar o ponto de contato deste relacionamento.

8) Autoridade cria necessidades para o cliente

A autoridade, quando atuante dentro de um campo de argumento, buscando efetivamente a solução para a necessidade ou desejo daquele segmento, cria a necessidade aonde antes não estava explícito.

Eu quando era produtor de conteúdo, tanto como roteirista quanto produtor e apresentador, inclusive de um dos programas de rádio mais importantes dos últimos anos no Paraná, sentia a audiência, sentia o carinho dos meus seguidores nas redes sociais. Eu vivi o rádio antes do YouTube.

Hoje em dia, se as rádios não estão totalmente inseridas nas redes sociais em áudio e vídeo, inclusive com transmissão online ao vivo, as rádios não são concorrentes.

Eu não peguei essa nova forma de comunicação no rádio, mas admiro demais o ajuste que o rádio fez usando aquilo que poderia ter destruído o segmento de comunicação tão tradicional na sociedade, ou seja, a internet.

Programas de rádio como o 3 em 1, Pingos nos Is, O É da Coisa, e tantos outros programas de rádio, hoje fizeram jornalistas e analistas políticos se tornarem autoridades. E por que isso? Porque eles criaram a necessidade de se discutir política a partir do fenômeno da polarização que a sociedade mundial demonstrou nos últimos anos.

9) Autoridade é procurado para criar parcerias

O produtor ou os produtores de conteúdo, num primeiro momento, não prevê o interesse de parcerias diante de seus objetivos. No entanto, é natural que haja parcerias ao longo da produção de conteúdo, à medida que haja a construção de audiências.

O crescimento exponencial de canais de produção de conteúdo é bastante interessante e provoca a atenção de todos os agentes do segmento no mercado. Por isso, as parcerias são naturais, afinal de contas, os parceiros se prevalecem já de determinada audiência constituída pelo canal de comunicação.

Fornecedores ficam interessados em entrar neste ecossistema de comunicação. Investidores também querem estar presentes de alguma forma neste processo. Parcerias de sucesso são grandes oportunidades para escala de audiências, crescimento exponencial e geração de autoridade.

Um grande exemplo disso foi a parceria entre Cauê Moura, Rafinha Bastos e PC Siqueira. Novamente não fazendo juízo de valor sobre a ideologia empregada na produção, os três tradicionais produtores de conteúdo, principalmente no YouTube, trouxeram uma parceria para ganhar força de interesse sobre os públicos já construídos em sua carreira.

Este projeto dos três produtores materializou no nome Ilha dos Barbados, um canal de YouTube que promove este colab, ou seja, esta espécie de colaboração de produção de conteúdo em vídeos e postados no canal.

10) Autoridade precisa ter manutenção

Mesmo que seu projeto de conteúdo em vídeo seja extraordinário, ele precisa ter uma periodicidade e uma constância. Isso porque as pessoas começam a se interessar e querem mesmo consumir este conteúdo. No entanto, quando elas percebem que não há uma regularidade, descola com grande facilidade.

Claro que o vínculo emocional não se desconstrói, porém, esta audiência carente pode criar frustrações e tentar se distanciar para não ter mais frustrações.

Quando você cria este projeto para produção de conteúdo em vídeos, precisa também prever uma produção contínua. Assim existe a possibilidade de criar engajamento ao público que se interessa.

Caso contrário, você pode ter dificuldades de gerar interesse nas pessoas por ter pouca adesão sobre a periodicidade.

Montar uma equipe de produção pode fazer a diferença para derrubar estas dificuldades para manter a periodicidade. Com equipes ajustadas e orientadas a um projeto de produção, o conteúdo não precisa parar. No entanto, você deve lembrar do compromisso sobre esta periodicidade, tal como um calendário de veiculação do conteúdo vigente num canal de televisão.

Dois quesitos são fundamentais para este aspecto de produção de conteúdo: periodicidade e honestidade.

Periodicidade na produção de conteúdo

Quando você se propõe a construir autoridade, precisa definir uma agenda de produção que não traia as pessoas. Isso quer dizer que se você se propõe a produzir um vídeo por semana, e postando automaticamente eles nas suas redes sociais, irá provocar a admiração das pessoas. Porém, se isso não for uma produção constante, você sempre terá a impressão de que seu conteúdo parece não ter relevância ou força de tração para o público.

Quando as pessoas começam a se identificar com sua proposta de produção de conteúdo em vídeos, elas irão buscar mais materiais a este respeito. Se você não está atendendo esta demanda, elas irão procurar outros evangelizadores que abordam o tema ou têm o posicionamento que você começou a desenvolver.

Depois que você perdeu a audiência das pessoas, fica extremamente difícil você reconquistar elas. Por isso, cada vez que você começa a produção de conteúdo, irá atingir pessoas novas. E se esse processo é interrompido, você estará sempre começando, e começando, e começando.

Honestidade como espelho do evangelizador ou da marca na produção de conteúdo em vídeos

A honestidade deve ser um valor implícito em absolutamente tudo que você faz, seja no âmbito profissional ou na vida pessoal. O evangelizador não pode ter atitudes visando a conquista de uma audiência e apresentar comportamento contraditório em outros momentos.

Exemplo disso é o pastor e deputado Marcos Feliciano. Novamente deixando claro que eu não estou escolhendo as referências deste post por afinidade ideológica, mas analiso o poder de impacto destes evangelizadores para suas mídias sociais.

Quando Marcos Feliciano prega seus argumentos baseados nos valores que acredita, ele também atinge parcelas contrárias ao seu discurso político. E ao invés de assumir a postura de apaziguador, ou seja, o posicionamento de agradar gregos e troianos, ele sustenta os argumentos que defende em suas redes sociais em outras esferas de comunicação.

Passo a passo para criar autoridade

Eu entendo que depois de todo este conteúdo que organizei aqui, ainda deva existir alguma dúvida sobre o caminho a seguir para realmente construir autoridade.

Por isso, organizo aqui uma espécie de passo a passo para você enxergar de forma prática o fundamental para realmente colocar a mão na massa e tornar sua empresa o vetor deste segmento.

a) Estabeleça um projeto prevendo o segmento, temas, títulos que se associem a resolução das dores e medos do perfil de pessoas a ser atingidas. Preveja neste projeto também a quantidade de temas que serão produzidos em vídeos para determinar uma realidade de produção de conteúdo sem gerar armadilhas e furos da periodicidade almejada.


Vale lembrar que o projeto não precisa ter o nome de sua empresa. Ele, portanto, poderá ter nome próprio entendendo que será também mais um elemento de atenção do público.


b) Organize este projeto em roteiros prevendo cada vídeo com começo, meio e fim. Acredito muito numa ferramenta que criei para produzir roteiros de forma inteligente aos meus objetivos. Use essa ferramenta aqui no link abaixo.


https://docs.google.com/document/d/1OKYbAYkpYbHk69GDJphHUimfE8fXnPMhsuFR0Q8ln2Y/edit?usp=sharing


c) Com os roteiros produzidos, grave seus vídeos. A forma mais inteligente de aliar capacidade de produção com capacidade de gravação é tentar gravar mais que um vídeo num período. A única observação que faço é a sua capacidade de gravação. Não deixe de gravar por falta de estrutura. Grave seus vídeos mesmo que nunca tenha gravado. Use seu celular, use o equipamento que você tiver disponível. Tome certo cuidado somente com o áudio, pois isso pode irritar a audiência e impedir sua adesão por mais tempo nos vídeos. Tome cuidado também com a iluminação para não fazer vídeos escuros. No decorrer do processo você pode melhorar sua capacidade de vídeos, mas não deixe de gravar por falta de equipamento. Tudo pode ser resolvido.

d) Depois de gravado, o correto é editar. No entanto, dependendo da estética que você escolha, você pode postar diretamente no seu canal do YouTube ou sua rede social.

e) Depois de postar, procure posicionar e otimizar corretamente seus vídeos na rede social de sua escolha. Minha sugestão é que você não abra mão do YouTube ou Facebook. Estude, inclusive, como melhor otimizar os vídeos de acordo com as características particulares da rede social para melhorar o compartilhamento orgânico e o engajamento.

f) Crie uma identidade visual para seu canal de comunicação e suas redes sociais. Não abra mão de uma identidade visual que esteja associada a sua empresa e ao público almejado.

g) Mantenha a produção com a periodicidade possível e exponha isso em suas redes sociais para que as pessoas possam se programar quando tiverem contato com seu canal de comunicação.

Alguns cuidados que a produção de conteúdo exige

Não transforme este canal de comunicação num exercício narcisista. O público quer se identificar com seu canal incentivados pela proposta de valor. Portanto, defina esta proposta de valor e use ela para criar os temas, títulos e argumentos para solucionar a necessidade ou desejo das pessoas que se tornarão sua audiência.

Quando você usar referências, informações técnicas ou aprendizado especializado, cheque as informações. Estamos num período delicado, pois as informações podem ser falsas se você não checar a veracidade e a origem disso. Tome cuidado, portanto, com aquilo que você cria, pois sua audiência também acreditará em suas palavras.

Atenda o público que quer interagir. As pessoas querem interagir pelos comentários, dúvidas, críticas. Não se esconda, portanto, faça o canal de comunicação criar um vínculo de comunicação. Isso fará a diferença e potencializará seu grau de escala diminuindo a curva do tempo para crescimento de audiências.

Pratique a produção de conteúdo para melhorar a produção de conteúdo

Espero de verdade que você use todas as informações aqui em sua empresa para criar conteúdo e fazer seu negócio prosperar. Tudo aqui dividido foi com o objetivo de democratizar minhas experiências para você não ficar parado no seu segmento.

Sei que a dificuldade irá surgir, mas não deixe isso impedir. Seja uma pessoa forte, determinada e faça a gentileza de me enviar aqui o link de sua produção para eu conhecer. Serei eternamente feliz se você fizer isso. Até a próxima.

Clube Sebrae
Rafael Cardoso
Rafael Cardoso Seguir

Um cidadão que deixou de ser passivo para trazer luz e ambiente à discussão social e político.

Ler matéria completa
Indicados para você