[ editar artigo]

Como empresas pequenas podem inovar e crescer?

Como empresas pequenas podem inovar e crescer?

O empreendedorismo vem sendo uma alternativa bastante utilizada por pessoas que não pretendem mais trabalhar como empregados para terceiros e querem, por meio do esforço, ter um negócio próprio e conseguir ganhar dinheiro. De acordo com o Relatório Executivo, divulgado pela Pesquisa 'Global Entrepreneuship Monitor', em 2017 foram mais de 22 milhões de novos empreendedores no Brasil.

Abrir uma empresa, atualmente, não é tão complicado como já foi há alguns anos. Para ser MEI (Microempreendedor individual), por exemplo, basta realizar um cadastro pela internet, sem sair de casa. Você conseguirá ter o CNPJ, emitir notas fiscais e dar início ao seu negócio. Isso vem facilitando para que muitas pequenas empresas surjam no Brasil.

Porém, gerir um comércio envolve inúmeros desafios. Ter ideias para se estabelecer em um mercado repleto de concorrentes, conseguir controlar e administrar o dinheiro para investimentos (que nem sempre se tem muito à disposição), lidar com fornecedores, clientes e outros. Mas, o principal desafio que todo empreendedor - principalmente os iniciantes - possuem é: como inovar para manter a empresa sempre atualizada?

A inovação é fundamental para o crescimento de novas organizações, novos empreendimentos. Afinal, é pelo "fato novo" que você conseguirá fazer com que o seu negócio seja visto pelo mercado e se destaque em meio à concorrência.

Inovação é a palavra-chave

A palavra "inovação" significa aquilo que é novo, uma novidade. O conceito já é mais do que suficiente para entendermos o porquê de inovar ser tão importante para as empresas, ainda mais para os iniciantes e pequenos negócios.

Se a ideia que você tem para a sua empresa é algo comum, será bastante improvável que ela consiga algum sucesso. Todo novo negócio deve partir de uma ideia inovadora, buscar resolver um problema já existente de forma que ainda ninguém pensou.

Isso continua servindo para depois da empresa já estar consolidada no mercado. Se ela deixar de inovar, outros concorrentes conseguirão ser mais rápidos, pensarão em novas ideias e, assim, tomarão para si os clientes.

O mundo muda muito rapidamente, influenciando diretamente no mercado de trabalho. É preciso acompanhar de perto essas mudanças e evoluções para ter um negócio de sucesso. Se, em determinado momento a solução de vendas era buscar o contato dos clientes, captar seus e-mails e enviar conteúdo, hoje em dia isso não é mais o suficiente. É preciso ir além, oferecer conteúdo que enalteça não só os seus produtos e serviços, mas que atendam ao que o público-alvo está procurando.

Portanto, já entendemos que o processo de inovação é fundamental para qualquer empresa, seja ela nova ou antiga, grande ou pequena. Mas o que realmente essa inovação deve significar dentro do contexto de trabalho do negócio? A resposta não é tão complexa quanto poderia parecer. Inovar é melhorar a forma de trabalhar da sua empresa, identificar antigos problemas e resolvê-los de tal maneira que o próprio desenvolvimento dos processos internos e externos aconteça naturalmente e com mais agilidade, buscando gastar menos e lucrar muito mais.

Não importa o segmento do seu negócio. Inovar é possível e necessário. Microempreendedores, autônomos, gerentes de grandes organizações, enfim, todos os envolvidos devem pensar a inovação como um elemento fundamental para o crescimento das suas empresas.

Com a inovação, novas portas serão abertas, oportunidades criadas e, até mesmo, o antigo negócio poderá ser totalmente repensado, visando alcançar expectativas que anteriormente não eram possíveis.

E os processos de inovação não vão atingir apenas parte da empresa, mas o negócio por inteiro. Trabalhando para melhorar um setor, todos os outros serão beneficiados. Buscando maneiras de renovar os departamentos da empresa, todo o modo de produção evoluirá para adequar os negócios aos novos modelos que o mercado exige. Dessa forma, é preciso tratar a inovação como a chave para o seu negócio se destacar.

Em resumo, a inovação é fundamental para criar processos que tornem o trabalho ainda mais eficiente ou também para aprimorar processos que já funcionam, mas que estão ficando defasados com as atualizações impostas pelo mercado.

Onde a inovação deve ser trabalhada

Ao falar sobre inovação, o pequeno e microempresário acaba por ter inúmeras dúvidas. O que deve ser o foco das inovações? Quais setores devem ser priorizados? A inovação deve acontecer de uma vez só ou por etapas? De fato, todos esses questionamentos precisam ser estudados antes de colocar em prática as medidas necessárias para implantar as novidades na empresa.

O que é preciso ter em mente é que inovar é algo fundamental - não somente para uma pequena empresa se estabelecer no mercado, mas com o intuito de conseguir sobreviver nesse mesmo mercado. Quem aposta em inovação, apresenta constantes novidades ao consumidor. E, se tem algo que atrai o mercado, principalmente clientes, são coisas novas. Não apenas produtos, mas formas de comunicação, outras maneiras de fazer as vendas, de se apresentar, entre outros aspectos.

No entanto, como muitos empreendedores focam apenas no crescimento do negócio oferecendo produtos mais baratos ou então não se planejam a ponto de colocar na inovação um fator importante para a sua empresa - não é anormal vermos esses negócios fechando após um curto período de sucesso. Em pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgado em 2016, referente ao ano de 2014, seis a cada dez empresas fecham antes mesmo de completar cinco anos.

Certamente, boa parte desses empreendimentos fechou por não conseguir se sustentar em meio a um mercado bastante competitivo, com muitos concorrentes que conseguiram inovar. Isso é um sinal claro de falha de planejamento.

Por onde uma empresa deve iniciar o seu processo de inovação? Não há dúvidas de que o setor de criação é de onde devem vir as primeiras ideias de formas diferentes de trabalhar. Como pequenas empresas geralmente não possuem tanto material humano para trabalho, uma dica é fazer reuniões de brainstorm para compartilhar ideias e, com isso, desenvolver as melhores estratégias de inovação.

Confira uma lista do que pode ser inovado dentro da sua pequena empresa:

  • Processos de produção do trabalho;
  • Comunicação e relacionamento com os clientes;
  • Formas de prospecção de novos clientes;
  • Política interna;
  • Cultura organizacional;
  • Adoção de novas tecnologias.

Erros que comprometem a inovação nas pequenas empresas

Inovar sempre envolve riscos. Muitos empreendedores, por medo de ousar ou buscar uma forma diferente de trabalhar, optam por se distanciar da inovação e adotam a mesma proposta de trabalho por muitos anos. Não são poucos os casos de empresas que funcionaram bem durante algum tempo, mas depois ficaram defasadas e encontraram o caminho da falência.

Além do medo de arriscar no "novo", outro erro fatal para que, principalmente as pequenas empresas tenham insucesso, é a acomodação. Se no futebol a frase "em time que está ganhando não se mexe" é uma máxima, no mundo empresarial isso não se aplica. É sempre importante fazer pontuais mudanças para se manter em alta. Não é porque determinada estratégia está funcionando atualmente que ela seguirá boa para daqui a seis meses, por exemplo.

Há também os casos onde a empresa está tão convicta de que está com as melhores situações de trabalho que insiste fielmente naquela proposta. Essa insistência, quando descabida, provoca o fechamento de muitas das pequenas empresas.

Tanto o medo de arriscar, como a acomodação e a insistência são problemas que afetam diretamente o funcionamento dos negócios, no decorrer do tempo. Não se pode perder tempo achando que sempre as estratégias darão certo. É preciso se antecipar ao mercado, encontrar alternativas que ninguém está usando, perceber quando determinada atitude não irá ser benéfica mais e saber agir diante desse cenário.

Como deve funcionar o processo de inovação?

Isso pode variar de acordo com a proposta da empresa, o que ela busca, o contexto em que se encontra. São muitas variáveis para determinar o modo como a inovação será aplicada. De forma geral, deve-se primeiro estudar a fase atual do negócio. Quais são os pontos mais lucrativos? O que não vem funcionando? Onde se encontram os maiores problemas? Resolvendo essas questões, passa-se a buscar informações sobre o mercado e a concorrência. O que a empresa X, meu concorrente, está fazendo que a credencia a ser mais requisitada que a minha? Como a empresa Y conseguiu crescer? E a empresa Z é conhecida por se relacionar bem com os clientes, o que posso fazer para seguir esse caminho?

Em seguida, você deve criar planos de ação. Encontrar as alternativas desejadas para começar a inovação e estabelecer metas e prazos para que sejam dados os pontapés iniciais. Um período de testes é sempre bem-vindo. Testar se determinada ferramenta para facilitar as vendas vai comunicar bem com o cliente, se as estratégias nas redes sociais vão ter bom engajamento, entre outros métodos para inovação.

Se após os testes a sua pequena empresa notar que os resultados estão sendo positivos, é a hora certa de investir na renovação total da forma de trabalho da organização. Se ainda houver dúvidas, mais um tempo de testes. Se for constatado que não funciona, retoma a análise do início e recomeça o processo de inovação.

É preciso passar por todo esse procedimento porque inovar é fazer um investimento na empresa. Ainda que não seja totalmente uma aplicação financeira, envolve tempo, trabalho, esforço e ideias para buscar a renovação. Por isso, na hora de inovar, não faça de qualquer forma. Somente com muita dedicação a empresa conseguirá evoluir o seu patamar.

Ferramentas que ajudam na inovação das empresas

Buscar a inovação pode ser um processo mais simples se adotarmos o uso de algumas ferramentas. Desde atitudes que podem ser tomadas até o uso de algumas tecnologias, sua empresa deve inovar, pois isso atrairá uma série de benefícios, como por exemplo, maior velocidade na produção e estimulo para aumentar a produtividade.

  • Computação em nuvem

Uma das palavras mais importantes da atualidade para as empresas é otimização. Facilitar os processos de trabalho é fundamental para aumentar a produtividade e a agilidade. Isso é um dos grandes objetivos alcançados com a computação em nuvem. Tirando-se a necessidade da presença física nos ambientes, você ganha tempo e a possibilidade de trabalhar de onde estiver. Você, microempresário, não precisa estar no escritório para ter acesso a todas as informações de vendas, gastos, entre outros itens importantes. Com o acesso por meio da nuvem, é possível - estando em casa ou, até mesmo, viajando - conferir tudo por meio de poucos cliques no computador ou celular.

  • Inteligência artificial

Antes vista como "algo para o futuro", a inteligência artificial já é uma realidade atual e presente na maioria das empresas que se destacam no mercado. Ela é essencial, principalmente, para estabelecer uma relação de comunicação mais próxima entre cliente e empresa. Pelos chamados "chatbots", que são robôs programados para conversar com pessoas por meio da internet, muitas pequenas empresas têm conseguido fidelizar clientes. Uma comunicação mais eficiente proporciona mais agilidade, mais vendas e mais conversão de leads. Tudo que uma empresa precisa para evoluir. Existem muitas outras áreas em que a inteligência artificial pode ser aplicada - desde os processos de produção, com a diminuição da mão de obra humana e o uso de máquinas - até os sistemas de gestão, conseguindo produzir relatórios detalhados para entender os trabalhos da organização.

  • Análise SWOT (ou Análise FOFA)

Quem já trabalhou com gestão de negócios conhece esse termo. Esse tipo de análise foca na descoberta geral dos pontos fortes e fracos, das oportunidades e das ameaças. Ou seja, o que é positivo e negativo para a empresa. Descobrindo quais setores precisam de maior atenção, você conseguirá adotar melhores estratégias de inovação. Essa noção de onde aplicar as primeiras mudanças é muito importante para empresários que precisam de ações mais enérgicas em seus negócios.

  • Mapa da Empatia

Uma das dificuldades que os pequenos empresários têm para inovar é o medo de arriscar, como já citamos anteriormente. Esse medo pode acontecer pelo fato de acreditarem que já conhecem todas as necessidades dos seus clientes e que agir da forma atual é o suficiente para mantê-los. No entanto, assim como o mercado se altera, os clientes também mudam. Seja pelo contexto social e econômico, as necessidades de determinado tempo. Por isso, compreender essas mudanças da clientela é importante no processo de inovação. O Mapa de Empatia funciona dessa forma. Ele é um mapa visual que permite entender o que o cliente diz, o que ele vê, como ele pensa, o que ele faz, o que ele quer e se ele é favorável a comprar ou não determinado produto. É uma ferramenta importante para reuniões de brainstorm, fazendo com que o empresário tenha a perspectiva do cliente.

  • Design Thinking

Uma metodologia que permite encontrar os caminhos para inovar focando no que realmente são as necessidades do mercado e dos clientes. A ferramenta de Design Thinking auxilia as pequenas empresas a entenderem os processos de experiência de consumo dos clientes, entendendo seus contextos culturais, econômicos e pessoais. A partir disso, ajuda a elaborar projetos voltados para os clientes de forma direta, não em estatísticas ou nos produtos. É importante também para fazer com que a empresa conheça mais sobre o público-alvo, ampliando as possibilidades de transformá-lo em clientela.

  • Abordagem dos 4Ps

Estratégia já conhecida em setores de marketing, mas que pode ser muito bem utilizada para inovação nas empresas. Aqui utiliza-se o foco em quatro itens: pessoas, políticas, processos e propósitos. Diferente do item anterior, que focava no estudo do consumidor e suas necessidades, neste se faz um estudo da empresa, seus valores e o que precisa ser feito para que cada um dos "Ps" seja mais forte, o que é preciso mudar para tornar isso possível.

  • Técnica Scamper

Ferramenta que tem como objetivo enxergar o que é preciso ser substituído na empresa. Essa substituição pode ocorrer das seguintes formas: adaptando o que já é usado, modificando totalmente o que já é feito, combinando duas ou mais estratégias, pesquisando novas maneiras de agir, eliminando processos que já não são mais rentáveis e reorganizando o que precisa ser organizado com mais atenção. O foco dessa estratégia é questionar a forma de atuação da empresa e seus produtos e serviços. A partir daí é possível tomar decisões voltadas ao que deve ser inovado.

  • MEI Tools

O projeto Mobilização Empresarial pela Inovação reuniu um conjunto de ferramentas chamada de MEI Tools. Ele apresenta diversas formas de ajudar os empresários, principalmente aqueles de empresas de menor porte, a desenvolver e estimular a inovação em seus negócios.

Dentre as ferramentas mais importantes temos:

  1. Inova Global: promove intercâmbios profissionais com base em projetos empresariais de inovação. O valor das modalidades das bolsas variam de acordo com a duração (3, 6 ou 12 meses) e o local (Estados Unidos, Europa ou Japão).
  2. Consultoria em Gestão da Inovação: ajuda empresas a desenvolver o seu ambiente interno para promover a inovação. A consultoria é fundamental para estabelecer metas e implantar mecanismos que reforçarão a necessidade de inovar dentro das empresas.
  3. Chamada Nacional de Projetos: assessora empresas a desenvolver competências e aumentar a maturidade na gestão da inovação.
  • Portal da Inovação

O site, de acesso público e gratuito, disponibiliza espaços de interação para ampliação do conhecimento técnico baseado em experiências reais de pequenos e microempresários. Por meio dele é possível buscar novas informações e ajudar outras pessoas inserindo novos conhecimentos. São divulgados conteúdos de ciências, tecnologias e inovação, além de dispor de um calendário de eventos sobre o tema.

  • Poka Yoke

Uma ferramenta japonesa que auxilia empresas a reduzirem suas falhas e defeitos. É subdividida em cinco passos: a definição do problema, a análise do problema, a busca pela solução do problema, o teste para resolver o problema e a implantação da solução para exterminar o problema. É simples, mas eficiente. Foca na organização da empresa, não em seus produtos e serviços ou no comportamento do consumidor. É fundamental para auxiliar nos processos internos de inovação, que vão desde a adoção de uma nova política interna até mesmo a contratação de novos funcionários que melhor se adequem ao que é necessário para um melhor funcionamento do negócio.

Por que pequenas empresas devem inovar?

Entendendo todo o contexto que norteia desde os conceitos de inovação, as formas como ela pode ser aplicada nas organizações e ainda conhecendo ferramentas que auxiliam a empresa a pensar em como agir para inovar, o questionamento que pode ainda existir é: por que pequenas empresas devem se preocupar com isso? Talvez você, empresário, possa pensar que essa relação de preocupação com o mercado e suas exigências constantes, a briga com a concorrência e as inúmeras variáveis que giram em torno do público consumidor estão distantes do seu negócio.

No entanto, basta fazer um breve estudo de mercado sobre a sua própria empresa e perceberá que não é bem assim. Inovar é algo muito importante, principalmente para essas empresas de menor porte. As maiores organizações podem lidar com essas mudanças de forma mais lenta, já que possuem um público mais cativo, seus produtos e serviços são mais conhecidos, mas quem ainda precisa competir com esses e outros menores concorrentes, como angariar seu espaço?

A resposta é: inovando, oferecendo algo que os outros não conseguem oferecer. E somente por meio de muito esforço será possível chegar às tão sonhadas respostas de como inovar. Ter uma ideia é fácil, mas ter uma ideia inovadora requer muito trabalho.

Inovar também envolve mais que apenas vender algo diferente para o público, mas se relacionar com ele de forma mais ágil, se organizar a tal ponto que a produtividade aumente, tornar o seu negócio alinhado com o que o mercado pede, entre outros aspectos.

Diante desse cenário, a importância da inovação para as pequenas empresas é gigantesca, pois além de fazer com que o negócio consiga ser mais produtivo e relevante para o mercado, é o caminho mais eficiente para conseguir ser competitivo e se consolidar perante os clientes.

Você conseguiu perceber o quão importante é a inovação para o futuro da sua empresa? Microempresários podem ter dificuldade para arriscar mudanças nos processos de trabalho dos seus negócios, mas o mercado exige atualizações e nem sempre estamos preparados para lidar com essa agilidade. Por meio do que você aprendeu com esse artigo será menos complicado adotar a inovação como parte fundamental para o crescimento da sua empresa.

Uma maneira de ficar sempre por dentro de tudo que está sendo usado para inovar no universo empresarial é acompanhando os conteúdos publicados no Clube Sebrae. São muitos artigos postados, diariamente, sobre empreendedorismo, com experiências de pessoas que convivem com as mesmas situações que você vivencia. Isso facilita o esclarecimento de dúvidas e apresenta inovações diretamente para a sua necessidade. Conecte-se ao Clube Sebrae!

Clube Sebrae
Heider do Nascimento Mota
Heider do Nascimento Mota Seguir

Jornalista em formação, redator desde 2015. Um jovem em constante aprendizado que usa as palavras para passar suas mensagens.

Ler matéria completa
Indicados para você