[ editar artigo]

Como um mini mercado pode ser mais competitivo

Vamos falar de processos para competitividade no pequeno negócio. Pequeno mesmo, daqueles que são uma portinha e servem a vizinhança. Cujo foco do empresário é ser um pequeno comércio regional mesmo, daqueles que trabalha para viver. 

Para tornar nosso exemplo mais tangível, vamos dizer que nosso pequeno negócio é um mini mercado em um bairro de classe média. Ele abre a porta todos os dias pela manhã, espera pelos clientes e fecha um pouco após o final da tarde. Tem um mix de produtos variado entre alimentos, alguns artigos de higiene e alguns produtos de hortifruti, dentro daquilo que o empresário acredita ser o de maior demanda na base do "olhometro".

Infelizmente, nosso pequeno empresário tem grandes chances de ir a falência. Contra ele, vem as grandes redes de supermercado com agressivas campanhas de marketing, preços impossíveis de ser superados pelo pequeno empresário e a facilidade para o consumidor de ter tudo em um só lugar, além de provavelmente haver um supermercado desses disponível a poucas quadras de distância.

Além disso, há um mini mercado similar por quadra no mesmo bairro. A gestão do estoque gera outro problema, pois não raro os clientes (cada dia mais raros) reclamam de ter comprado produtos vencidos que precisam ser trocados. Aparentemente, tudo o que nosso empreendedor tem a seu favor é o intenso movimento próximo ao seu ponto de venda e o poder aquisitivo de sua vizinhança.

O que nosso empresário pode fazer para reverter suas fraquezas e capitalizar suas forças?

Em primeiro lugar, usar o poder da Estratégia de Marketing. Por menor que seja o negócio, o empreendedor deve tomar a iniciativa no processo de captação de clientes e deve ter uma postura ativa na angariação desses clientes. Se o mini mercado depender apenas de quem passa na porta e entra, ele não vai sobreviver as mudanças de comportamento do consumidor e ao ambiente mercadológico hiper competitivo.

A força da Marca

Qual a proposta de Valor única desse mini mercado para seu consumidor, em relação aos demais? E que o diferencia dos supermercados? E como isso pode ser utilizado para construir uma Marca consistente que comunique essa proposta de Valor ao mercado?

Sinalização do Ponto de Venda

Essa Marca consistente está explícita em uma sinalização suficientemente visível na fachada no estabelecimento? Parece obvio, mas quantos empresários deixam de colocar uma placa na porta com o nome da empresa e com qual problema ela se propõe a resolver?

Internamente, o ambiente é bem organizado e sinalizado para expor devidamente os produtos ao cliente? Os produtos que geram maior ganho para o negócio são exibidos de forma privilegiada em relação aos produtos que geram menor ganho? Os produtos de um mini mercado são em sua maioria perecíveis e precisam de giro.

Presença Digital

Uma vez resolvido o ponto de venda, o mini mercado "existe" para quem não está fisicamente nele? Se alguém procurar por um mini mercado na região antes de se deslocar, vai encontrar esse mini-mercado específico?

A empresa precisa constar nas principais ferramentas de presença digital, como Google Meu Negócio, Yelp e Facebook. Além disso, a empresa precisa dedicar especial atenção e recursos na construção de um website que atenda critérios de otimização para exibição orgânica no Google e que dê suporte a políticas de Marketing de Conteúdo, que explicarei a seguir.

Marketing de baixo investimento? Tem que ser digital

Uma vez que o mini mercado tenha resolvido o que chamo de "infra-estrutura básica de marketing", é necessário que tome ações ativas, efetivas e bem planejadas para ser visto pelos seus consumidores em potencial.

O caminho mais usual é a produção de conteúdo relevante para os consumidores difundido via redes sociais e propagado utilizando as ferramentas pagas das redes sociais e do google, cujo investimento pode ser equivalente ao de uma panfletagem e cuja performance - se feito corretamente - é costumeiramente superior.

Não basta fazer propaganda, tem que interagir com o cliente

Se suas ações forem eficientes, invariavelmente clientes entrarão em contato com sua empresa (no nosso exemplo, o mini mercado) por meio de suas plataformas digitais. Enviarão mensagem privada no facebook perguntando o preço do biscoito X, por exemplo. Ou farão avaliações da empresa. E isso requer respostas adequadas, educadas e coerentes com a personalidade da marca.

Excelência no atendimento

Um fator altamente relevante em qualquer pequeno negócio é manter  a humanização no atendimento. Prestatividade, educação e conhecimento dos clientes habituais sempre ajudam a fidelizar consumidores. Procure conhecer os hábitos de consumo dos seus clientes corriqueiros e oferecer produtos de acordo com suas demandas habituais.

Marketing não é tudo

Nosso mini mercado não pode esquecer que além de vender com eficiência, comprar com eficiência e controlar custos é altamente relevante para a lucratividade do negócio. Uma gestão otimizada - auxiliada por um ótimo sistema de automação computadorizada - é fundamental para o sucesso do negócio.

Se você gostou desse artigo, deixe seu comentário e compartilhe sua opinião comigo.

Clube Sebrae
Frederico Burlamaqui
Frederico Burlamaqui Seguir

Consultor - Marketing+Estratégia

Ler matéria completa
Indicados para você