[ editar artigo]

Da ideia à execução

Da ideia à execução

E tudo começa em 31 de Dezembro, a beira da praia, quando o intervalo entre os últimos minutos do ano anterior e os primeiros do novo trazem uma inspiração fantástica e surgem desejos e pensamentos mirabolantes de uma ideia incrível que não há dúvida de que dará certo. Este momento tão comum e tão repetidas vezes vivenciados por nós faz parte do nosso ritual, seja na praia, no campo ou em qualquer outro lugar. A energia positiva do momento e a sensação de transformação nos fazem sonhar e nos permitem determinar os próximos passos de nossas vidas.

A cena descrita mostra uma situação tradicional na vida de qualquer pessoa, que, em algum momento, por alguma razão, resolve empreender. Ao iniciar a concretização da sua ideia, se depara com dificuldades de inúmeras ordens: financeira, tecnológica, operacional, pessoas e por aí vai. Para superá-las, é fundamental planejar, pois, em outras palavras, é isso que te dará o mínimo de segurança para seguir adiante e te mostrará o caminho a ser percorrido. Mas e como fazer isso? Quais as ferramentas? Por onde começar? Planejamento é amplo e envolve muitos assuntos, mas seguem algumas recomendações básicas para este estágio inicial:

  • A primeira questão para reflexão é...você! O que você gosta de fazer? Quais são as suas habilidades? O que faz seus olhos brilharem? Quais são os seus limites e o que não abre mão? Vamos exemplificar. Você possui programas com os amigos e familiares nos finais de semana que não pode deixar de participar. Não gosta de acordar cedo. Não tem habilidades para lidar com pessoas. Minha sugestão é que você descarte atividades que vão te exigir a disponibilidade de tempo ou de se comunicar com equipe e clientes o dia inteiro, como uma padaria.  
  • O segundo ponto é se o seu produto ou serviço tem mercado. As pessoas estão dispostas a comprar o seu produto ou serviço dentro das características que pretende comercializar, como preço e formato? Em outras palavras, tem público? Tem pessoas dispostas a pagar o preço que você quer cobrar pelo serviço?
  • A terceira reflexão diz respeito ao seu diferencial. Se você quer abrir um salão de beleza, lembre que as pessoas não estão deixando de cortar o cabelo porque você não existe. Vai entrar em um mercado com concorrentes e terá uma missão especial: Fazer o cliente parar de ir no salão que frequenta para começar a ir no seu. Para isso acontecer, só oferecendo diferenciais que serão percebidos e valorizados.

              Ótimo! Numa primeira análise, a ideia parece boa, está de acordo com o perfil, tem mercado e conseguirá se destacar. Agora é hora de modelar o negócio – o Canvas funciona muito bem -  e se possível testar no mercado. Após, com o uso de outras ferramentas, irá desenvolver todos os demais temas importantes e presentes num plano de negócios, como custos, projeções financeiras, estratégias comerciais, processo de contratação e desenvolvimento de equipe. Isso dará consistência no seu planejamento e será um “manual” a ser seguido.

              Planejar é um desafio e dá trabalho. Não garante que tudo dará certo, mas com certeza reduzirá bastante o risco, irá proporcionar muita reflexão a respeito de diversos aspectos do negócio e te deixará com um domínio amplo da atividade.

              Sendo assim, vale a pena se dedicar a este tema. E atenção ao recheio de tudo isso: Informação!!! Com informação, você terá uma leitura assertiva do mercado, vai acompanhar as tendências e as novidades do setor e criará musculatura no seu negócio para, num processo mais natural, apresentar diferenciais constantes que serão valorizados pelos clientes. E aí é sucesso!!!

Grande abraço

Clube Sebrae
Marcelo Cantero de Castro
Marcelo Cantero de Castro Seguir

Consultor - SEBRAE/PR

Ler matéria completa
Indicados para você