[ editar artigo]

Dicas para calcular o giro de estoque

Dicas para calcular o giro de estoque

Muitas novas empresas enfrentam problemas com a falta de produto ou o excesso deles, isso é normal quando iniciantes estão no controle, mas é um problema que pode acarretar sérios prejuízos a longo prazo. Nesse post vamos explicar tudo sobre giro de estoque para que você possa aplicar no dia a dia do seu negócio.

Existem análises que são feitas por empresas para avaliar suas vendas, assim como ocorre com o giro de estoque. Essa medida mostra o quanto a instituição vendeu das suas mercadorias durante um certo período de tempo, independentemente da quantidade de dias.

Com esse cálculo é possível adquirir o volume correto de mercadorias e evitar o gasto excessivo com elas, colocando as vendas no eixo, proporcionando uma quantidade maior de dinheiro em caixa e controlando as operações como um todo. Mas assim como em qualquer outra atividade, no começo da efetivação do giro de estoque é muito comum que ocorram erros. Sendo assim, não se preocupe caso isso se repita por algumas vezes, pois os iniciantes estão mais propensos a esse desacerto.

Entenda o que é o giro de estoque

O giro de estoque é um cálculo que auxilia no controle da entrada e saída de produtos do estoque, funcionando basicamente como um fluxo de caixa. Esse processo pode ser considerado simples, mas sua eficácia depende inteiramente da sua aplicação correta. Os erros comuns do giro de estoque podem ocasionar prejuízo, como por exemplo, o excesso de mercadorias ou, até mesmo, a falta delas.

Não é necessário ser um “gênio” da matemática para realizar as operações básicas, mas essas contas devem ser realizadas com atenção para evitar erros. Algumas vezes, os cálculos não irão bater, o estoque sairá do controle, novos produtos aparecerão sem registro e a falta de alguns itens pode chegar a prejudicar as vendas, mas com foco, logo os problemas serão contornados, dando lugar para soluções rápidas e medidas de emergência.

As cinco etapas do giro de estoque

O giro de estoque pode ser realizado em cinco etapas e cada uma delas possui características fundamentais para esse processo. Para que esse controle ocorra de forma correta, é de super importância seguir à risca cada uma delas. Confira abaixo:

1 - Controle de entrada e saída de produtos: Defina todos os itens comercializados por sua empresa e demarque os "carros chefe" - aquelas mercadorias que caíram no gosto do cliente e que são mais vendidas. Com a definição é importante delimitar a quantidade de cada um dos produtos dentro do estoque. Lembre-se que os mais vendidos e os que fazem as vendas girarem são os primeiros que devem ser repostos;

2 - Organize em uma planilha: Não existe nada mais antiquado do que anotar em um caderninho a saída e entrada de produtos. Seguindo a modernidade, abandone essa técnica e adote uma planilha que, por mais simples que seja, é muito mais efetiva para essa tarefa. Crie uma planilha simples no Excel e estipule os produtos, valores (referente à venda e compra) e suas quantidades;

3 - Registro de caixa: Depois de pronta, a planilha deve ser utilizada para controlar a entrada e saída da mercadoria. Então, após qualquer venda, é necessário registrar, assim como deve ocorrer após as compras de produtos. Sem dúvidas essa é a principal função para o controle de estoque e deve ser aplicada em empresas de pequeno, médio e grande porte;

4 - Cálculo: A matemática para definir o estoque é muito simples, mas não pode ser realizada sem um controle prévio dos produtos, quantidades e valores. O cálculo é feito da seguinte maneira:

Se uma empresa possui em média 200 produtos em seu estoque e vende 800 por ano, essa empresa gira quatro vezes ao ano.

Para chegar ao valor basta dividir as vendas (800) pelo estoque médio (200), para obter o giro de estoque (4);

5 - Periodicidade: Esse cálculo deve ser realizado de tempos em tempos, geralmente quinzenalmente ou mensalmente, pois mudanças podem ocorrer todos os dias devido às crises, clientela e tendências de mercado. Vale lembrar que, novas compras só devem ser realizadas após o resultado do cálculo, para verificar a necessidade de cada item e não lotar o estoque.

Três maneiras de otimizar o estoque e arrecadar com as vendas

Cada uma das dicas citadas acima deve ser seguida e nenhuma das etapas pode ser pulada. Assim, após a finalização dos passos, o estoque estará otimizado. Entretanto, outras atitudes também podem alavancar a empresa como um todo e elevar as vendas.

As soluções devem ser criadas para diminuir o risco de prejuízo e podem ser promoções para eliminar o excesso de produtos ou, até mesmo, para efetuar novas compras e turbiná-lo. Confira:

  1. Negociação - Negociar com os fornecedores pode ser uma solução para produtos que demoram para girar, um desconto na compra converte-se em um valor menor e mais acessível para o cliente, ganhando a sua atenção e ocasionando a compra;
  2. Venda promocional - Os produtos que passam muito tempo armazenados tendem a prejudicar as atividades da empresa, pois cada espaço do estoque significa um gasto a mais com aluguel, armazenamento, limpeza e organização. Para evitar esse transtorno, estimule um tempo máximo para a permanência no estoque, caso o produto ultrapasse o período deve entrar em promoção para liberar espaço e arrecadar com a venda;
  3. Especialistas em venda - Investir em uma descrição melhor das funções do produto pode alavancar as vendas. Em lojas virtuais o conteúdo pode ser mostrado em vídeo ou descrição, já nas lojas físicas, é importante contar com funcionários treinados para a execução dessa tarefa. Vale salientar que, periodicamente, os produtos devem ser atualizados com as novidades do mercado.

Essas dicas simples podem tirar uma empresa do caminho da falência e melhorar o seu desempenho em diversos setores. Independentemente do nicho de mercado, o estoque deve ser controlado, seja por um funcionário específico para o ofício, por um aplicativo ou, até mesmo, pelo empresário. Essa é uma função fundamental que separa o lucro do prejuízo, impede que produtos fiquem encalhados, mostra as preferências dos consumidores e ainda evita fraudes de caixa.

Gostou das dicas? Deixe seu comentário e não deixe de conferir as outros conteúdos no Clube Sebrae.

Clube Sebrae
Ler matéria completa
Indicados para você