[ editar artigo]

Empreendedoras de flores e plantas criam alternativas ‘verdes’ para o perecível

Empreendedoras de flores e plantas criam alternativas ‘verdes’ para o perecível

Reusar, reciclar, reutilizar, recompor, compartilhar e recuperar são algumas das maneiras contemporâneas de buscar um novo propósito para o consumo. Além de ser eticamente correto, o consumo consciente significa que podemos optar por adquirir produtos que causem menos danos e impactos sócio ambientais. Na semana passada, tivemos o prazer de ter aqui no Clube Sebrae um conteúdo sobre negócios inteligentes que oferecem opções para esses consumidores mais focados no futuro da sociedade. Leia Aqui

Nessa pegada, descobrimos duas empresas que estão apresentando maneiras sustentáveis de oferecer o seu trabalho mediante o reaproveitamento de recursos ou mais durabilidade àquilo que é perecível. É o caso da Borealis - Plantas em Casa e da florista Manu Daher. As duas empreendedoras trabalham com objetos vivos, plantas e flores. Entretanto, ambas encontraram belíssimas maneiras de reaproveitar e preservar ainda mais suas criações. :)


A Borealis Plantas em Casa é uma loja de Curitiba especializada em plantas para interiores e que requerem baixa manutenção. Os conjuntos de plantas foram idealizados para pessoas que moram em apartamentos e que não têm o hábito de cultivar plantas dentro de casa. Muitas das opções ofertadas pela loja têm durabilidade grande e seus cuidados são bem básicos. Mesmo assim, a proprietária da loja, Patrícia Belz, além de tirar todas as dúvidas dos clientes quanto aos cuidados, também oferece oficinas e mini cursos para ajudar os menos habilidosos. 

Na palestra que eu assisti, realizada há algumas semanas em parceria com a Oslo Design, aprendi que a Espada de São Jorge, por exemplo, pode e deve ser colocada no quarto, pois ela tem o poder de retirar impurezas do ar e permite um sono mais saudável. Foi uma dica valiosa para mim, pois reaprendi que as plantas podem ficar no quarto porque não retiram o oxigênio do ar. Isso mostra que podemos dar mais vida às nossas casas sem ter a sensação de tirar da natureza algo que logo poderia morrer. Além disso, a função de apenas embelezar o ambiente supera seu propósito de gerar mais saúde ao morador. Há também outras diversas opções de plantas com funcionalidade, beleza e durabilidade.  
 

Já a florista Manu Dayer, concorrida por cerimonialistas de casamentos, constroi arranjos de flores de uma forma mais artística do que o convencional. Especialista em esculturas de flores, Manu também utiliza materiais sem vida ou já não tão belos, e que seriam descartados facilmente. Entre esses materiais, além das flores, Manu usa fios de gravetos secos, flores secas, caule de trigo, canela e bambu. É uma forma de resignificar o elemento natural através da beleza da transformação. Mesmo sem vida, o ser continua existindo de outra forma. 


A última novidade da florista foi usar arranjos de flores descartados de um casamento para criar uma opção para perdurar um pouco mais a vida dessas flores. Em muitas situações, Manu inclusive faz a doação das flores usadas nos casamentos para asilos.


Uma das suas marcas registradas são as esferas de vidro com flores submersas que têm longa durabilidade e após 30 dias o cliente ganha um refil cortesia.Essa é uma linda opção de presente, inclusive para amigo secreto, para aqueles que são simpatizantes dos arranjos, mas gostariam de ter a beleza das flores por mais tempo. 

Clube Sebrae
Suzane Marie
Suzane Marie Seguir

Sou jornalista, MEI e gerente de comunidades do Clube Sebrae!

Ler matéria completa
Indicados para você