[ editar artigo]

Empresa familiar? Saiba como lidar com os conflitos

Empresa familiar? Saiba como lidar com os conflitos

Empreender em família é sempre um desafio, por isso, é fundamental saber estabelecer estratégias para evitar conflitos e possíveis dores de cabeça. Na medida em que a organização cresce, novas medidas e decisões precisam ser tomadas, e isso pode impactar a empresa de forma positiva ou negativa. Neste conteúdo, você vai conferir as melhores dicas para lidar com os conflitos dentro de uma organização familiar.

Empresa familiar: o que é?

A organização pertence a uma ou mais famílias, administrada por um membro específico. A maioria das empresas começa com um casal e, aos poucos, novos membros da família vão integrando a companhia.

Entre as principais características deste tipo de negócio, estão:

- Tomadas de decisão são feitas com base na emoção. Ou seja, a emoção predomina em relação à razão;

- As resoluções são feitas de forma centralizada;

- Os problemas e conflitos podem interferir nas relações familiares, inclusive de forma negativa;

- Os funcionários que fazem parte da família são protegidos;

- Dificuldade na resolução dos conflitos.

Como surgem as divergências?

Geralmente, as brigas estão relacionadas à disputa de poder ou dinheiro, influenciando diretamente as relações familiares. Como a empresa expande, as tensões e as discussões também tendem a aumentar.

Por exemplo, os filhos crescem e passam a trabalhar na organização da família ou preferem seguir outra carreira, e nem sempre os pais conseguem entender a decisão. Também podem surgir conflitos por causa da descentralização de processos decisórios por envolver outros gestores, a promoção de mudanças ou a implementação de novas ideias, ou o aumento da família, que pode elevar os custos da empresa.

Além disso, tensões podem surgir:

  1. Por parte de um dos familiares que não trabalha na empresa e se sente no direito de opinar
  2. Um dos membros sentir que trabalha mais que os outros e deveria ser valorizado pela dedicação
  3. Aumento do núcleo familiar, agregando novos integrantes para a organização
  4. Escolha de cargos feita com base em grau de parentesco e não por competência profissional, entre outros.

Outro ponto crítico é que, muitas vezes, um membro na família não quer se especializar ou crescer profissionalmente, ou seja, ele tende a ficar mais estagnado e acomodado na função que exerce.

Por causa do elo de confiança, escolher um parente para trabalhar pode ser mais fácil, porém os desafios podem ser ainda maiores pela dificuldade de implantar uma hierarquia, fazer cobranças ou exigências. Sendo assim, é fundamental encarar o processo de forma profissional e madura, para conseguir os objetivos desejados e não permitir que a relação profissional interfira de forma negativa na familiar.

Empresa familiar: conflitos e soluções

Independentemente de a empresa ser familiar ou não, divergências sempre vão existir, por isso, é essencial saber lidar e aprender com eles. É por meio dos erros que é possível extrair muitas lições. Já pensou nisso?

  • Clareza nos objetivos

Muitos conflitos ocorrem pela falta de informação. Em uma empresa familiar, por exemplo, as regras precisam estar claras e todos os familiares precisam estar envolvidos no processo. Dessa forma, todos os membros devem estar cientes da sua responsabilidade, do cargo que exercem, a sua função, horário de trabalho e também deve ter a conscientização de que todos são responsáveis pela empresa e as cobranças serão constantes.

  • Encontrar o ponto em comum

A empresa deve gerar lucro para família e todos devem ter o interesse comum em fazer a companhia prosperar. Desta forma, é necessário saber escolher bem os colaboradores que realmente vão estimular as finanças na organização.

  • Controle e planejamento financeiro

Um dos maiores conflitos na área é usar os recursos da empresa para pagamentos de dívidas pessoais. Recursos da organização devem ser usados apenas para a empresa. Ter um controle financeiro organizado e planejado é imprescindível para o sucesso da companhia.

Todos os gastos devem ser anotados, assim como, a entrada de receita, lucro, contas, salários, entre outros.

  • Conter as emoções

Em uma empresa familiar, a tomada de decisão geralmente é baseada na emoção, porém, é necessário ser racional. Desta forma, é fundamental evitar tomar decisões em momentos de instabilidade emocional.

  • Cuidar da comunicação

Uma única informação pode ser interpretada de várias maneiras. Sendo assim, a comunicação no ambiente profissional deve ser clara e precisa. Dessa forma, é importante conversar e discutir com racionalidade sobre os conflitos existentes e como evitá-los.

Neste sentido, o foco deve ser a solução do problema. É necessário saber ouvir opiniões diferentes, argumentar de forma coerente e saber expor as ideias. Faça reuniões e crie o hábito específico de conversar, antes que os problemas apareçam.

  • Quando os acordos são necessários

Estabeleça um acordo dentro da empresa para que a família possa cumprir. Escreva sobre as regras e as normas que devem existir entre os colaboradores do núcleo familiar, a empresa e também os sócios.

- Anote quem serão os colaboradores e os tipos de trabalho

- Registre a responsabilidade de cada um dentro da organização

- Defina as remunerações

- Determine o nível de autonomia entre os membros

  • Plano de tomada de decisão

É imprescindível traçar um método com foco na solução de conflito, por meio das divergências comuns dentro da empresa. É fundamental registrar o plano e passá-lo para todos os colaboradores. Isso facilita e otimiza o processo de tomada de decisão.

  • Se adequar às novidades

Uma das maiores dificuldades em empresas familiares é a inovação. Geralmente existem resistências e nem todos têm a mente aberta. É fundamental estar apto para as mudanças que ocorrem no mercado e na área de atuação.

Desta forma, os colaboradores precisam estar atentos e querer as novidades, ou seja, sair da zona de conforto e desejar aprender para ter sucesso. Muitas vezes é preciso uma reestruturação da companhia e até uma mudança na gestão. Abrir a mente para o novo é imprescindível!

  • Estabelecer planos de sucessão

É importante definir quem serão os próximos sucessores da companhia e determinar os papeis ativos e inativos de todos os colaboradores envolvidos no processo. Outra forma de evitar o conflito é buscando opiniões de terceiros, ou seja, de profissionais que não são da família e o foco será auxiliar na busca por uma solução do conflito. Neste sentido, pode-se buscar por gestores, coaching ou outros profissionais da área.

No Clube Sebrae você encontra os melhores conteúdos com dicas sobre empreendedorismo. Aproveite para saber, aprender e conhecer mais sobre essa área que é tão cheia de desafios.

Comunidade Sebrae
Bárbara de Almeida
Bárbara de Almeida Seguir

Biomédica na área de publicidade! rs... Trabalho com produção de conteúdo desde 2012 em vários nichos: empreendedorismo, notícias, cursos, saúde, e muito mais. Adoro escrever, criar e me reinventar por meio das palavras!

Ler matéria completa
Indicados para você