[ editar artigo]

Entenda o que é um marketplace e como sua empresa pode vender nele

Entenda o que é um marketplace e como sua empresa pode vender nele

Nos dias atuais, realizar transações e compras nunca foi tão fácil. Você pode comprar e vender itens em qualquer lugar do mundo e a variedade de produtos e serviços é altíssima.

Dentre as plataformas mais preferidas pelos consumidores estão os marketplaces, sendo um recurso útil para impulsionar as vendas online.

Neste artigo nós iremos explicar o que são os marketplaces, como eles funcionam e como vender seus produtos ou serviços por meio deles.

Muitas lojas, vários produtos

O marketplace é basicamente um shopping ou grande vitrine virtual. Isto é, são plataformas utilizadas como mediadoras para venda de produtos ou serviços. Alguns exemplos de marketplace são empresas como o eBay, a Amazon (que foi a pioneira nesse tipo de serviço) ou o Mercado Livre. Esse local reúne muitas lojas, com produtos diferentes ou iguais e preços variados. Ou seja, em um único lugar o cliente pode encontrar uma variedade enorme de produtos e serviços.

São consideradas plataformas funcionais e práticas, tendo em vista que representam uma maior comodidade para o consumidor na hora de escolher os produtos. Não é à toa que os marketplaces se tornaram uma das opções mais rentáveis para microempresas e empreendedores, cujo funcionamento simples se torna um grande atrativo.

Como funciona

Geralmente, um marketplace possui dois níveis de acesso diferentes: um para os vendedores e outro para os clientes.

Enquanto o vendedor customiza o seu mix de produtos oferecidos e lida com as condições do marketplace, o cliente dispõe de uma variedade de opções para realizar a compra.

As cobranças são realizadas dentro das plataformas, isto é, não é necessário redirecionar o cliente para o site da sua loja ou realizar as cobranças de forma separada.

Vantagens

Existem várias vantagens de vender seus produtos pelos marketplaces. Por isso, listamos algumas delas:

1. Mais visibilidade

Marketplaces como MercadoLivre, Submarino ou Extra possuem um índice alto de visitantes. Isso significa que seu produto ou serviço poderá ser encontrado mais facilmente pelos seus clientes em potencial.

Com o tráfego alto e uma maior exposição dos seus produtos, isso diminui também os investimentos em divulgação.

2. Aumento das vendas

Não há dúvidas que os marketplaces representam uma oportunidade de vendas para as empresas e empreendedores.

A fórmula é simples: se você tem uma alta exposição dos produtos, logo, há um volume de acessos maior e, por consequência, um maior número de vendas.

Além disso, vender por meio dos marketplaces aumenta as chances de recompra quando seus produtos ou serviços são bem avaliados. A chave é investir na experiência de compras e garantir que os produtos cheguem dentro do prazo estipulado.

3. Confiança e segurança para o cliente

Quando se fala de compras online a segurança é um dos fatores principais a serem considerados. As transações são realizadas de forma segura e aliadas à experiência de comprar vários produtos de fornecedores diferentes pelo mesmo checkout.

Além do mais, são negócios bem conhecidos e respeitados, deixando os consumidores mais confiantes e seguros para comprar. Caso sua marca não seja muito conhecida, isso ajuda a quebrar possíveis objeções de compra.

4. Público amplamente diverso

Os usuários dos marketplaces representam um público diversificado e variado, o que indica uma possibilidade de ter novos clientes que talvez não se interessariam pela sua loja.

Significa também a possibilidade de aumentar o leque de produtos e apostar em novos nichos.

Desvantagens

Apesar das vantagens anteriormente citadas, o marketplace também possui suas desvantagens. São elas:

1. Concorrência ampla e forte

Esse fator depende muito do segmento, mas não é incomum encontrar muitos concorrentes oferecendo os mesmos produtos com preços e até condições melhores do que os seus. Esse tipo de situação tende a gerar certas disputas por preços e condições.

Por isso, é importante levar em conta que nem sempre competir pelo preço pode ser vantajoso para o seu negócio.

2. Comissão por venda

Os marketplaces cobram comissões por venda. Por isso, é necessário avaliar bem para não ficar no prejuízo em relação ao seu investimento.

Muitas dessas empresas são criticadas pelo aumento abusivo de taxas ou porcentagens das comissões. Portanto, se você tem um produto com ticket baixo, a opção dos marketplaces pode não ser a ideal para o seu negócio.

3. Dependência do marketplace

Se o marketplace encerrar suas atividades, todas as marcas e empresas envolvidas acabam perdendo de uma vez o seu canal de venda. Ou seja, grande parte do seu negócio pode ir por água a baixo em uma tacada só.

Por isso, não é indicado que os marketplaces sejam sua única e exclusiva fonte de vendas. É essencial apostar na sua própria loja virtual

4. Afeta o seu branding

Sua marca precisa ter uma identidade própria e estar na mente do consumidor. Porém, quando o marketplace é seu único canal de vendas, as chances da sua marca ficar conhecida ficam seriamente comprometidas.

Isso porque embora o cliente compre diretamente de você, na hora de elogiar o produto ele irá se lembrar de algo como “comprei lá no Mercado Livre”, por exemplo.

Para contornar esse problema, aposte em ter seus próprios canais de divulgação, como um blog da sua loja virtual, fanpages e outros perfils em redes sociais - e, claro, investir no marketing de conteúdo. Por meio desses canais é possível criar a personalidade da sua marca e um estilo próprio.

Outro ponto importante é configurar bem os seus anúncios, fotos e informações disponíveis nos marketplaces (ao menos naqueles que permitam essas alterações). Além disso, é interessante usar o e-mail marketing caracterizado com sua logo caso seja possível se comunicar com o cliente no pós venda.

Como vender pelo marketplace

Primeiramente, para vender pelo marketplace você deve analisar bem o seu nicho, o seu modelo de negócios, a sua concorrência e, também, as condições do marketplace que você escolheu (as taxas cobradas e comissões, por exemplo).

Após essa análise, basta fazer o cadastro na plataforma escolhida como fornecedor ou vendedor. Deverá informar os dados da sua empresa e ainda fornecer algumas documentações comprobatórias – as exigências podem variar de acordo com o marketplace.

O passo seguinte é cadastrar os seus produtos e iniciar suas operações de venda. Vale lembrar que nada impede de vender pelo marketplace e manter o seu e-commerce. Nesses casos, uma dica importante é ter cuidados com administração do estoque, de modo a não confundir os pedidos e saídas.

Além do mais, uma das chaves para se destacar da concorrência é apostar na experiência do cliente – para além do bom atendimento, investir em embalagens personalizadas ou algum outro benefício. Com isso, você poderá se beneficiar das suas vendas pelo marketplace de sua escolha.

Agora que você sabe o que é o marketplace e como realizar suas vendas, aproveite para comentar no post e compartilhar suas experiências conosco!

Clube Sebrae
Ludmila Pires
Ludmila Pires Seguir

Graduada em Psicologia. É psicoterapeuta e consultora com experiência nos campos de psicologia esportiva, avaliação psicológica, aconselhamento e orientação. Produtora de conteúdo (redação) e entusiasta do Marketing Digital.

Ler matéria completa
Indicados para você