[editar artigo]

Foco nos problemas

Muitas startups tem foco em resolver problemas comuns de pessoas, por isso tem potencial de alcance em grande escala e o número de usuários na casa dos bilhões. Buscadores, redes sociais, aplicativos de mensagens, de locomoção por táxi ou carro próprio, de aluguel de quartos, entre outros, são os exemplos mais conhecidos.

À medida que o número de clientes aumenta, mais investimentos chegam. A estrutura cresce de acordo com a demanda. Só se gasta quando é necessário, daí serem conhecidos como escalonáveis.

Exemplos não faltam:

Google: começou numa garagem, a partir de uma tese acadêmica de dois jovens universitários. O alvo era um só: crescer muito rápido em capacidade de processamento de dados, cujo custo despenca ano a ano. Foco nas pessoas: ser uma máquina de respostas precisa com alto grau de confiabilidade dos dados entregues. Só depois criaram nichos específicos, como o Google Acadêmico, Google Imagens.

Facebook: nasceu também da cabeça de universitários. À semelhança do Google, seu pioneiro observou o comportamento das pessoas e focou apenas nas principais necessidades de interação social. Transportou para o online o que já era feito off-line.

Easy Táxi: aplicativo pioneiro no Brasil. Seu criador observou o desconforto das pessoas em busca de um táxi fora dos pontos tradicionais e questionou-as, uma a uma, se pagariam uma pequena porcentagem da corrida pela vantagem de ter ao celular um sistema acionador do taxista mais próximo. Percebe-se aqui mais um diferencial das Startups: identificar oferta e demanda e criar soluções ainda desconhecidas.

AirBnb: organizou uma demanda tão antiga quanto a civilização: pessoas precisando de hospedagem e moradores que se utilizam das próprias residências como fonte de renda, alternativa a hotéis que sempre existiu, porém pulverizada, inclusive em cartazes em pontos chave de cidades turísticas e pontos de grande circulação nas cidades exportadoras de turistas. Fez do cartaz “Aluga-se Casa para Temporada” um aplicativo com alcance mundial.

WhatsApp: com apenas 55 funcionários alcançou bilhões de usuários antes de ser comprado, a bilhões de dólares, pela antes Startup Facebook. O potencial escalável veio pela redução de funções em relação aos concorrentes estabelecidos como MSN, Skype e o próprio Google Talk, hoje Hangout. Com aplicativo leve, expandiu sua escala a usuários de celulares mais simples, de sistemas operacionais que não os dominantes Android e IOS. Integrou ao leque de clientes em potencial os locais servidos por conexões mais lentas, onde mora a maior parte da humanidade, como é o caso da Índia, China, Indonésia.

E sua empresa? Está resolvendo que problema? Alimentação, vestuário, beleza? Esta fazendo isso com presteza e qualidade?

Luciano Kalil
Luciano Kalil Seguir

CEO - Beracode - Plataforma para você criar comunidades e ambientes colaborativos de produção de conteúdo.

Continue lendo!

Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso
aos conteúdos exclusivos.

Entrar
Indicados para você