[ editar artigo]

Generalista ou especialista – qual profissional contratar?

Generalista ou especialista – qual profissional contratar?

Pode parecer que não, mas essa dúvida não está presente apenas na cabeça dos profissionais. As empresas também se preocupam com a contratação entre um especialista e um generalista.

Nos últimos anos, temos visto um crescimento significativo com relação à procura de profissionais generalistas no mercado, ou seja, aqueles que apresentam uma visão, de certa forma, mais holística das coisas.

Especialistas e Generalistas: Como são formados

Uma análise feita pela Columbia Business School e a Tulane University por meio de um acompanhamento de mais de 400 estudantes formados nos melhores MBAs dos EUA (2008-2009) que seguiram carreira no mercado financeiro trouxe dados interessantes sobre a base desses profissionais. Isto é, o que os fez ser uma coisa e não outra.

Na divisão entre especialistas e generalistas, foi observado os seguintes aspectos:

O grupo dos especialistas era composto por profissionais que já haviam trabalhado no mercado financeiro antes da formação, estagiaram na área e resolveram aprofundar seus estudos somente nela.

Já o grupo dos generalistas era composto por profissionais que, antes de se formarem no MBA, já haviam atuado em várias outras áreas de conhecimento. Por exemplo, mesmo trabalhando no mercado financeiro estagiaram ou trabalham em consultorias, publicidade, marketing etc. Só mais tarde em suas carreiras profissionais é que decidiram por completo pelas finanças.

E tem mais, ainda segundo esse mesmo estudo o valor que as empresas pagavam aos especialistas chegavam a ser até 36% menores do que aqueles percebidos pelos generalistas.

Já um estudo da Microsoft e da IDC analisou mais de 70 milhões de vagas de emprego no mercado americano com a finalidade de avaliar quais ofereciam mais oportunidades de crescimento profissional e maiores salários entre 2016 e 2024.

O resultado é que as chances mais promissoras do mercado americano requeriam dos interessados habilidades multifuncionais. Ou seja, mais um caso onde os generalistas saem na frente na visão das empresas.

Por outro lado, o perfil profissional generalista nem sempre é levado a sério por algumas companhias. Basicamente, elas consideram que ele é um profissional que não sabia o que fazer e estudou um pouco de tudo.

Mas sinceramente, você conhece algum mortal que conseguiu aprender com profundidade e solidez cada ramo da área de TI? Ou todos os ramos da medicina? Pois bem, não há muito fundamento nesse tipo de avaliação.

Qual perfil contratar

O perfil de profissional generalista pode ser muito interessante para o negócios quando a vaga oferecida precisa de alguém que lide bem com áreas técnicas em vários ramos.

Ou seja, no lugar de contratar um profissional para cada área técnica e mais um que trabalhe como elo entre todos eles, basta apenas um, sem a necessidade de intermediários entre um e outro.

Já se for contratar um profissional especialista, a empresa precisa estar ciente que ela está trazendo para dentro alguém que sabe muito de um tema e quase nada dos outros.

Na realidade, esse é o principal motivo que faz com esses profissionais sejam categorizados como “limitados”.

Por exemplo, seu empreendimento pode ter nas mãos “o cara” que domina as redes, mas se o assunto for virtualização é bem provável que será preciso outro.

Também é preciso ressaltar que não existe nenhum problema em contar com um especialista, como alguns podem sugerir. Em determinados casos eles são essenciais.

Afinal, até mesmo o generalista citado acima pode precisar de ajuda em um determinado assunto que somente o especialista poderá auxiliar.

De uma forma quase que geral, os profissionais especialistas tendem a escolher uma área principal, mas acabam estudando uma segunda para que não sejam muito limitados na questão da oferta de soluções.

O lado bom desse profissional é que ele costuma se atualizar com mais frequência até porque são menos certificações. Ponto positivo, tanto para quanto para a companhia que precise desse perfil.

Mas não importa se a sua empresa busca um especialista ou um generalista, algo que não é possível deixar passar é a questão das certificações. Uma sugestão para decidir entre profissionais da mesma categoria é observar qual deles tem mais certificações atualizadas.

Outro ponto a ser observado é que nunca um desses dois perfis será melhor do que o outro. O que deve ser considerado são as necessidades do negócio, seu segmento e a forma como quer lidar com seus problemas.

Aliás, tem muito profissional especialista no mercado que vem atuando como generalista.

Esses, claro, perceberam a crescente demanda nos últimos tempos, como apontamos no início desse artigo. Por isso, não custa nada trocar uma conversa com o especialista para saber se ele poderá contribuir para sua empresa de outras maneiras.

Qual é melhor?

Você percebeu até aqui que não dá para defender um ou criticar o outro.

Vimos que o fator chave é avaliar sua instituição antes de avaliar o profissional. Por exemplo, sua empresa tem um projeto que envolve a estruturação de um site, vai precisar de um programador. Mas lá na frente também precisará de alguém que entenda de design e SEO.

Se você já conta com o profissional de design e conteúdo, contrate o especialista. Se não, não custa nada procurar um generalista que consiga lidar e transitar bem por todos esses setores de forma eficiente.

A empresa em longo prazo

Para finalizar e ajudá-lo a decidir entre um generalista e um especialista um ponto essencial que temos que avaliar é a atual estrutura da companhia e o que ela precisará em longo prazo.

Um empreendimento que está começando pode ter poucos recursos e talvez avalie que a melhor saída é contratar um especialista especialmente devido à questão salarial.

Por outro lado, pode haver uma área fundamental que será expandida e, nesse caso, mesmo gastando mais com um profissional generalista, no resultado geral, a decisão pode ser a mais correta.

Não tem jeito, é sempre o perfil da empresa vs o perfil do profissional.

Mas como apontamos, pode chegar o momento em que ambos serão necessários. Por isso, não se preocupe em contratar um e depois o outro – ou ambos.

Preocupe-se sim em contratar aquele que resolverá seu problema e trará resultados. Para isso, claro, vamos precisar deixar de lado o “preço” do profissional para nos concentrar no real valor que ele poderá trazer para o empreendimento.

De fato, não é tão simples avaliar a empresa e depois o profissional, ainda mais se o projeto estiver em andamento.

Mas isso é essencial para o sucesso dos negócios. Afinal, o sucesso se faz com ótimos profissionais sejam eles especialistas, generalistas ou os dois!

E você? O que acha de tudo isso? Deixe sua opinião sobre esse assunto em nossos comentários!

Clube Sebrae
Denisson Soares
Denisson Soares Seguir

Analista de Produção de Conteúdo. Atua no mercado de Marketing de Conteúdo e Inbound Marketing. Acompanha de perto tudo que acontece no mundo da tecnologia. Entusiasta de ideias inovadoras que ampliam os horizontes e as possibilidades das empresas.

Ler matéria completa
Indicados para você