[ editar artigo]

Marketing viral: como viralizar nas redes sociais?

Marketing viral: como viralizar nas redes sociais?

No dia 29 de janeiro de 2017 foi publicado no Youtube um clipe de uma artista até então desconhecida. Menos de um mês depois, o seu clipe já tinha passado de 100 milhões de visualizações e a música acabou virando o hit do carnaval.

Estou falando de Jojo Todynho.

Mas o que explica um conteúdo viralizar e ganhar tamanhas proporções?

Por que alguns conteúdos decolam e outros não?

A palavra, obviamente, vem de vírus, pela característica que esses conteúdos tem de dissipar em alta velocidade. Em muitos casos, eles vão de zero a milhões de visualizações em menos de 24 horas. Além da velocidade, como ele é compartilhado múltiplas vezes, é quase impossível saber quem espalhou. Por essas características semelhantes ao que ocorre na biologia, passou a ser usado o termo viralizar.

Ao contrário do que se acreditava há um tempo atrás, viralizar um conteúdo não é questão de sorte. Existem características em comum à esses conteúdos, e o campo do marketing que se dedica a estudar quais são essas características em comum aos conteúdos virais é chamado de marketing viral.

O marketing viral trouxe um lado científico para a busca dos aspectos que fazem um conteúdo ser compartilhado milhões de vezes e ser, portanto, um conteúdo viral. Esse conhecimento já se expandiu e hoje conseguimos saber quais os elementos necessários para que um vídeo, artigo ou imagem ganhe milhões de visualizações.

As premissas de um conteúdo viral

Por mais óbvio que isso pareça, a premissa #1 para que um conteúdo ser viral é que ele as pessoas compartilhem. Segundo um artigo da Harvard Business Review, o conteúdo precisa ter pelo menos um quociente de 1 para 1. Ou seja, cada visualização deve gerar uma nova visualização.

Outra descoberta feita por Kevin Allocca, head de cultura e tendências do Youtube é que 80% das visualizações vem dos chamados SuperReach, que são os grandes influenciadores. Na sua palestra do TED em que analisa os vídeos virais, ele observa que todos estes vídeos tiveram um momento que “bombaram”, e estes momento ocorreu quando o conteúdo foi replicado por um grande influenciador. Ele chama este papel de Tastemaker, ou saborizador. Ele dá esse nome porque essa pessoa dá um sentido ou aplica seu conteúdo para um contexto mais amplo. Kevin exemplifica na sua palestra o sucesso do clipe Friday (sexta-feira) da artista Rebecca Black. Aparentemente, um vídeo sem-graça, mas que tomou proporções depois que um comediante compartilhou o clipe em uma sexta-feira. Ele mostra que depois disso, o clipe teve diversos picos de visualizações, todos em uma sexta-feira.

 

 

Ok, então quais as características que um conteúdo precisa ter para viralizar na internet?

Existem várias teorias. Como disse anteriormente, muitos estudam a fórmula mágica para criar um conteúdo viral. E é lógico que dependendo do tipo de midia, ou seja, vídeo, facebook ou Instagram, o comportamento do usuário muda e por consequência, as característica para um conteúdo de sucesso em cada uma dessas plataformas varia.

Nesse artigo, eu compilei os principais aspectos apontado por todos os especialistas como essenciais para um conteúdo viralizar.

Vamos a eles:

#1 - Efeito surpresa

Umas das principais características apontadas é a imprevisibilidade do conteúdo. Isso não funciona apenas para vídeo. Nós, como seres humanos, gostamos de ser supreendidos o tempo todo. Isso também traz autenticidade e realidade para o conteúdo. Se for pensar, um dos princípios do humor é que haja momentos surpresa nas histórias. E já que estamos falando disso

 

#2 - Humor

Uma pesquisa do Youtube demonstrou que entre as 3 principais características dos maiores Youtubers estava o fator humor. Convenhamos, grande parte do tempo estamos navegando na internet buscando coisas engraçadas. Ou sou só eu?

 

#3 Simplicidade

Gostamos de conteúdos que simplifiquem nossa vida e sejam simples em consumir. Nosso cérebro utiliza a lei do menor esforço sempre que estamos navegando na internet. Portanto, quanto mais fácil o conteúdo melhor. Este é o motivo pelo qual gostamos dos conteúdos em lista, e eles estão entre o formato de conteúdo com maior quociente de viralização.

 

#4 Mensagem positiva

Quem não gosta de uma história com final feliz? Isso é inerente do ser-humano, porque dá a sensação de ciclo fechado. Por isso, somos tocados e compartilhamos histórias de resgate de animais, de gestos de boas ações, pessoas que se uniram para realizar algo. tudo isso são história que alimenta os nossos sentimentos positivos.

 

#5- Provoque emoções

Deixei por último, porém este merece grande destaque. O ato de compartilhar não está ligado com o conteúdo, mas com o sentimento que está por trás. A editora do site BuzzFeed, Dao Nguyen compartilhou em um Ted Talk como eles planejam conteúdos para viralizar. Nessa palestra ela contou que não importa tanto o conteúdo, mas sim o objetivo que ele cumpre na vida da audiência. Segundo elas, alguns tem o objetivo de divertir, de conectar com família outros em descrever ou resumir quem somos.

Um exemplo simples que ela trouxe é quando precisavam planejar um conteúdo que era uma receita de cozinha.  Em vez de pensarem primeiro na receita, eles pensaram em qual o objetivo essa receita iria cumprir. Nesse caso o objetivo era uma receita que unisse pessoas. Depois de ter esse objetivo claro, eles levantaram os ingredientes e só então chegaram em qual receita seria.

Uma companhia chamada Chartbeat, especializada em medição de tráfego online — fez um estudo que reforça essa ideia. Segundo a empresa, um estudo realizado no Twitter mostrou que as pessoas fazem mais postagens referentes a leitura de um artigo do que realmente leram.

“Descobrirmos que não há relação entre o quanto o artigo é compartilhado e quanto tempo e atenção foram realmente depositados na leitura do conteúdo.

Esta última regra é a razão porque este texto que você está lendo não tem a mínima chance de viralizar.

Vou te explicar o por quê

A empresa Smart Insights desenvolveu uma matriz que traz diversos formatos de conteúdos possíveis e existentes. Essa matriz é dividida em quatro quadrantes comparando os eixos Razão - Emoção e Informar - Vender.  Alguns conteúdos funcionam melhor atingir o nosso lado emocional que outros. Um artigo como esse, tem o papel de informar sobre as características que fazem um conteúdo viral do que necessariamente viralizar.

Os formatos de conteúdo com mais chance de viralizar são vídeos, imagens, quizes e jogos.

 


Como disse o Head de Tendências do Youtube, viralizar não é uma questão de sorte, mas sim uma questão de criar experiências valiosas para sua audiência.

Escreva nos comentários o que achou desse conteúdo, ou quais outras táticas você utiliza para tornar seus conteúdos mais compartilháveis.

Um grande abraço

Clube Sebrae
Matheus Ferraz
Matheus Ferraz Seguir

Escritor e consultor de SEO @Upwell

Ler matéria completa
Indicados para você