[ editar artigo]

Minimercados tem espaço garantido no coração dos clientes.

Como um minimercado pode competir com as grandes redes?

Um minimercado não precisa competir e nem deve cair no erro de competir com grandes redes de varejistas. Apesar do poder econômico das grandes redes, os minimercados não só tem se mantido, como tem registrado crescimento em suas vendas. As mudanças de hábitos do consumidor, buscando mais comodidade e atendimento personalizado, beneficiam os pequenos mercados que estão nos bairros, próximos aos seus clientes.

Na Feira do Empreendedor em São Paulo, conhecemos o minimercado modelo, e lá pegamos dicas quentíssimas com a Natália de Cássia Monteiro Bosco - Gestora de Projetos do Sebrae/SP, para um minimercado garantir sucesso em vendas.

Competir no preço com o grande é um erro fatal!

Como falei anteriormente, um grande erro de empresários desse segmento é ter foco em preços baixos. “O modelo de negócio de um minimercado não vem para competir com os grandes varejistas”. São outros os diferenciais que um minimercado e o empresário do minimercado precisam se destacar. Esta é a lista de diferenciais que um minimercado deve focar para encontrar o Oceano Azul.

a) Localização:

A grande maioria dos clientes de um minimercados são moradores próximos ao estabelecimento. Mais do que vender bens duráveis, você vende comodidade. Lembre-se disso para definir seu mix de produtos e o cuidado com o atendimento.

Além disso, será que não tem fornecedores do seu bairro que você pode privilegiar? É importante cuidar não só da porta para dentro. Qualquer melhoria para a região, necessariamente você está cuidando do desenvolvimento do seu negócio.

b) Atendimento:

Cuide do ambiente: uma área confortável contribui para um atendimento mais agradável e favorece um maior tempo de permanência do cliente dentro da loja. Quanto mais tempo o cliente passa dentro do estabelecimento, mais resultados positivos o empresário tem. Existem algumas coisas que são essenciais para garantir o bem-estar: disponibilidade de banheiro e limpeza, climatização da loja, aspecto agradável e aromas adequados.

O atendimento tem que ser algo próximo de individualizado. São clientes recorrentes. É importante aquela conversa no caixa para conhecer melhor as pessoas. Perguntar sobre a familia, etc. Segundo Natália, " o pequeno empresário deve investir em ações de marketing de relacionamento.”

c) Mix de produtos:

Um dos principais desafios para o empresário de minimercado é oferecer um mix de produtos necessários e atraentes. A base de tudo está em conhecer as necessidades do seu cliente. Isso é consequência do que falamos anteriormente sobre um atendimento personalizado.

É um segmento que mesmo em tempos de crise, tem muita oportunidade por ser de menor porte, acaba tendo mais flexibilidade para inovar. Quer saber mais dicas de estratégias para seu minimercado conquistar espaço no coração de seus clientes?

Assista o vídeo da conversa com a Natália.

O Sebrae tem uma série de materiais com informações estratégicas para minimercados. Você pode baixá-los gratuitamente aqui. São mais práticas mais detalhadas para você, empresário do segmento. Recomendo

Até a próxima!

Clube Sebrae
João Guilherme Brotto
João Guilherme Brotto Seguir

Sou um jornalista curioso que descobriu que viajar é uma valiosa fonte de boas histórias. Aqui no Sebrae, meu objetivo é contar histórias inspiradoras sobre empreendedorismo, marketing, vendas, inovação e tendências a partir do que vejo pelo mundo.

Ler matéria completa
Indicados para você