O que é Growth Hacking?
[editar artigo]

O que é Growth Hacking?

De tempos em tempos nos deparamos a novos conceitos, como brand content, storytelling, inbound marketing, etc. Agora (nem tão agora assim, vem lá de 2010) é a vez do Growth Hacking ganhar espaço.

Assim como os antecessores, não é nada tão novo ou inovador: consiste de técnicas já aplicadas há algum tempo e que foram encapsuladas em um conceito com um nome mercadológico.

No caso do Growth Hacking, o termo surgiu em 2010, quando Sean Ellis teve que fazer um job description para contratar alguém para o seu lugar, e se deparou com algumas particularidades:

Não é um profissional de marketing, embora marketing esteja profundamente envolvido.

Não é um profissional de vendas, embora tenha que vender e conhecer as técnicas.

Não é um profissional de planejamento, mas faz benchmark, análise de mercado, planos de ação, etc.

Não é um profissional de BI, mas tem que ser "analytic first".

Não é um programador, mas vai conviver com termos como lógica, algoritmos, APIs, sandbox, etc.

Para definir esse profissional surgiu o Growth Hacker.

Resumindo: O Growth Hacker deve ser um profissional T-Shaped, isso significa que ele deve ter habilidades e conhecimentos em diversas disciplinas e, ao mesmo tempo, ser expert em outras – o suficiente para formar um profissional T-Shaped sólido.

Se formos sintetizar em uma frase o que é Growth Hacking, podemos citar a descrição que Sean usou em seu anúncio: "A growth hacker is a person whose true north is growth" (“Um Growth Hacker é uma pessoa cujo verdadeiro norte é o crescimento”).

Independente dos KPI's, o objetivo sempre é fazer a empresa crescer, seja em tráfego, usuários, downloads, vendas ou reservas. Ele fará de tudo para atingir esses objetivos, será obcecado por isso, testará diversas táticas, métodos e alternativas até a meta ser alcançada. Podemos separar quatro características que formam a base das estratégias de Growth Hacking:

Inicialmente aplicado a startups, significa que funciona sem um time de marketing formado e sem um grande orçamento;

O marketing não é feito apenas por profissionais de marketing, tem muito mais métricas, análises, criatividade e desenvolvimento envolvidos do que um especialista em marketing tradicional domina;

Utiliza métodos inteligentes, criativos, baratos e não convencionais para fomentar o crescimento da empresa ou produto;

É focado em análise de dados, métricas, potencial de viralização e escalabilidade.

Para que as táticas funcionem, elas devem estar amparadas em estratégias sólidas e mensuráveis, pautadas em:

Um bom produto;

Foco no crescimento;

Retenção e otimização como KPI's principais;

Conversão dirigida com base em BI.

Embora o termo tenha surgido, e as táticas aplicadas, em decorrência da necessidade das startups de inovação, para crescerem rapidamente e se tornar lucrativas – há diversos casos de sucesso, como o Twitter, Facebook, Airbnb e Dropbox –, o conceito está sendo exportado por vários segmentos de negócios, por empresas já estabelecidas, sempre em busca do crescimento, nem sempre a um baixo custo, mas sempre com ROI definido, que não é necessariamente financeiro.

O Growth Hacking não é nada de outro mundo, muitas vezes usamos estratégias muito similares sem percebermos. Compreendendo o conceito, e o que ele engloba, fica mais racional estabelecer estratégias de Growth Hacking para sua empresa ou cliente sempre em busca do crescimento.

Clube Sebrae
Silvano Gurski
Silvano Gurski Seguir

Coordenador digital - CCZWOW

Continue lendo
Indicados para você