[ editar artigo]

Os 5 fatores-chave de sucesso para minimercados

Os 5 fatores-chave de sucesso para minimercados

Minimercados são lojas de pequeno porte, com no máximo quatro caixas, uma variedade menor de produtos e uma organização que possibilita uma compra diferenciada e muito mais conveniente para seus clientes. Por conta dessa natureza rápida e focada na comodidade, este tipo de comércio vem ganhando cada vez mais espaço, a ponto até de chamar a atenção das grandes redes de varejistas.

Inclusive, esse é um segmento que também chamou a atenção de outras pessoas aqui no Clube — você pode conferir os outros conteúdos aqui neste link. Não é à toa.

Geralmente localizados em bairros ou ruas que garantem a visibilidade do negócio, esses comércios têm a capacidade de oferecer produtos de reposição rápida, que atendem consumidores que buscam agilidade e comodidade sem precisar se deslocar muito.

Engana-se, no entanto, quem pensa que os minimercados conquistam consumidores apenas pela localização e conveniência. Em geral esses estabelecimentos também fidelizam seus clientes por ofertarem produtos com alto valor agregado, por vezes até já processados e divididos em porções menores.

No entanto, isso não basta. É por isso que resolvi fazer este apanhado com os 5 principais fatores-chave de sucesso para minimercados, que encontrei em um dos materiais ofertados para download pelo Sebrae/MG. Veja só!

1. Análise do sortimento de produtos

O ambiente de atuação de um minimercado é um cenário de grande competição e uma variedade grande de concorrentes. São diferentes tipos e formatos de varejo, com a redução das fronteiras e a inserção de novos canais de venda com o crescimento dos ecommerces.

A solução para que o minimercado enfrente esse cenário com mais competitividade é focar naquilo que é sua natureza: menor variedade de produtos e mais profundidade naquilo que oferta.

Ou seja, o minimercado deve oferecer tudo o que é possível da mercearia básica, por exemplo, mas sem um grande sortimento de opções dentro de um mesmo segmento, como cereais, por exemplo. Afinal de contas a intenção não é conquistar consumidores que façam suas compras do mês, mas sim aqueles buscam opções mais pontuais.

Lembrando sempre que não adianta nada ter esse foco se o gestor do minimercado não mantiver uma atenção grande com os produtos em estoque. Valores investidos em estoque são quantias que poderiam ser empregadas em outras áreas, e por conta disso é um capital que o empreendedor não pode se dar ao luxo de deixar parado.

2. Gestão de estoque

Por sua natureza comercial muitos minimercados trabalham com produtos perecíveis e/ou de validade controlada. Por conta disso é evidente que um dos fatores-chave de sucesso para minimercados é justamente a gestão do estoque.

Para isso, uma das primeiras tarefas necessárias é a administração dos prazos de validade dos lotes de produtos, se possível dentro do próprio depósito. Controlar a entrada de novos produtos por meio de um sistema e ter compras reguladas e bem dimensionadas já é um excelente começo.

Além disso, se ampliarmos o escopo para gestão do estoque como um todo, vamos ver que existem cuidados essenciais que os profissionais responsáveis devem ter para garantir o sucesso desse trabalho.

Conferir, armazenar e registrar os produtos em estoque; desenvolver estatísticas de consumo de produtos para auxílio na previsão de compras; e garantir a instalação adequada do estoque para movimentação e retirada de produtos são apenas alguns deles.

3. Posicionamento dos produtos

Em um estabelecimento como um minimercado, a compra é feita pelo consumidor diretamente na prateleira. Isso quer dizer que a posição dos produtos deve ser pensada de forma estratégica e não aleatória. Com isso é possível criar um dinamismo muito maior nas vendas, o que potencialmente pode gerar um giro maior de estoque.

Ninguém gosta de se abaixar demais ou se esticar muito para cima para alcançar produtos. Por conta disso a posição de maior destaque, e consequentemente a mais valorizada, é aquela situada na altura dos olhos. Produtos de maior margem de lucro e valor agregado devem, portanto, ser posicionados nestas prateleiras.

Além disso é sempre bom lembrar que a exposição dos produtos deve ter um cuidado visual especial. Nenhum cliente gosta de comprar produtos que pareçam ser o resto do estoque. As prateleiras devem ter boa quantidade de produtos, sem buracos pela falta de itens, com tudo organizado, visível, bem iluminado e mostrando o melhor lado daqueles produtos.

4. Promoção no ponto de vendas

Segundo uma pesquisa apresentada na edição de 2015 da Superminas, maior congresso de supermercados de Minas Gerais, compras planejadas representam apenas 25% do total da compra no mercado. O restante — 75% — é de compras por impulso. Explorar a promoção no ponto de vendas é, então, um fator-chave de sucesso para minimercados, pois é o estímulo que pode motivar uma aquisição não planejada pelo consumidor.

Isso quer dizer separar bem os produtos em categorias, manter uma boa iluminação, promover a degustação de alguns produtos, além de utilizar cartazes atrativos que contenham informações sobre os itens e os preços com visibilidade. Usar a entrada para produtos de validade mais curta e sazonais também é uma boa estratégia, assim como a utilização das extremidades das gôndolas para os produtos que precisam de mais destaque.

5. Identificação do perfil de consumo do seu público-alvo

Toda vez que um produto é comprado no seu minimercado, uma demanda do seu consumidor é atendida. Isso significa que compreender as necessidades do seu público-alvo é um trabalho essencial para seu sucesso, e não há como ficar por dentro dessas necessidades sem entender qual o perfil de consumo destas pessoas.

No estudo apresentado pelo Sebrae/MG são classificados quatro perfis diferentes, e cabe a você compreender qual deles é o mais comum em seu minimercado. Os primeiros são os apressados, aqueles que tem pouco tempo para comprar e precisam entrar e sair rápido. Na sequência identificamos os exploradores, que procuram novidades, gostam de andar na loja para buscar inspiração e adoram ser encantados.

Em seguida vêm os planejados, que sempre fazem compras organizadas e têm como objetivo apenas finalizar sua listinha. Por fim estão os caçadores de ofertas que, como o próprio nome já diz, buscam sempre os menores preços com as melhores ofertas e promoções.

Fatores-chave são aqueles que têm uma influência gigantesca na capacidade que um negócio tem de prosperar ou não diante do seu mercado de atuação. Seja para empresas grandes ou pequenas, é fundamental ter atenção com os pontos que podem impactar na competitividade do negócio.

Meu objetivo com esse texto foi chamar a sua atenção para essas questões, de forma que o seu pequeno varejo seja ainda mais forte em um futuro próximo. A oportunidade na sua mão: é pegar ou largar!

Faça também seu cadastro aqui no Clube e conte sua história de sucesso ao empreender. Ela pode servir de inspiração para novos empreendedores!

Clube Sebrae
Marcus Pereira
Marcus Pereira Seguir

Mkt Digital e Conteúdo @ Beracode

Ler matéria completa
Indicados para você