Qual a melhor máquina de cartão para o seu MEI?
[ editar artigo]

Qual a melhor máquina de cartão para o seu MEI?

É uma facilidade entrar num estabelecimento e adquirir os produtos desejados pagando com cartão de débito ou dividindo em parcelas no cartão de crédito. Uma situação muito chata é se interessar por algum produto e não conseguir comprar, pois a empresa só aceita pagamento em dinheiro. E, pior ainda, a empresa ficar sem vender por não possuir máquina de cartão.

Os Microempreendedores individuais (MEI) podem contar com diversos direitos e benefícios assegurados por esse programa do governo Federal. Dentre as benfeitorias financeiras mais vantajosas, está a possibilidade de adquirir máquinas de cartão de débito e crédito por meios menos burocráticos e sem pesar tanto no bolso.

Você se encaixa na categoria MEI e ainda não proporciona essa opção de pagamento aos seus clientes? Saiba que essa atitude acaba afetando as chances do seu empreendimento alavancar e gerar maiores lucros.

Esses ganhos podem se tornar bastante significativos com a inclusão de uma simples máquina de cartão. Já que, devido à enorme praticidade encontrada, a maioria das pessoas tem preferido finalizar suas compras via cartão de crédito ou débito. 

Existem no mercado atual diferenciados modelos de máquinas de cartão, cada um com serviços e tarifas particulares. Por isso, é preciso bastante cautela na hora da escolha desses aparelhos. Veja, a seguir, tudo o que você precisa saber sobre o assunto!

Como faço para obter uma máquina de cartão?

A aquisição das máquinas de cartão de crédito/débito é uma tarefa que, na verdade, não demanda muito esforço, mas, sim, pesquisa. Para ter a sua, basta escolher uma, dentre as várias empresas que trabalham hoje com o serviço, e fazer o seu cadastro no site ou demais centrais de atendimento indicada pela marca desejada. Boa parte delas já comercializam essas maquinas sem exigir do MEI numerosa quantidade de documentação ou mesmo conta em banco.

O recomendado é verificar os prós e os contras, principalmente, com relação aos custos das taxas de aluguel ou compra da máquina. Porém, antes de fechar negócio com alguma operadora - e, assim, evitar prejuízos no futuro, busque informações também nas unidades fazendárias do seu estado ou município. Elas irão informar se na região onde você mora existem outras exigências que o MEI deve cumprir para ter uma máquina de cartão de débito/crédito.

Escolhendo o equipamento certo para o seu MEI

Nessa hora, um dos fatores mais importantes a ser considerado é quanto à proporção entre os custos e benefícios que você terá com a máquina de cartão. Os modelos disponíveis no mercado variam bastante de preço, tamanho e funcionalidades, partindo das convencionais, conectadas por rede elétrica e telefone, às atualizadas com conexão para celulares e tablets por wifi, GPRS (internet 2G a 4G) ou bluetooth. Além disso, possuem mensalidades de aluguel ou compra que diferem de acordo com os tipos de serviços agregados.

Muitas das empresas de máquinas de cartão oferecem custos menores para quem é MEI. O ideal é avaliar bem os tipos encontrados no mercado e optar pelo que melhor se adapta ao seu orçamento e atenda às necessidades do seu negócio. Veja, abaixo, dicas eficientes de como escolher o equipamento certo para a sua microempresa:

Taxas, tarifas e mensalidades

Antes de aderir à determinada administradora de cartão, verifique atentamente todas as taxas, tarifas e mensalidades embutidas nos serviços e produtos que elas concedem aos seus consumidores, para não acabar levando gato por lebre. Analise com calma cada uma das operadoras e leve em conta a que mais se adequa ao seu planejamento financeiro. 

O ideal é optar pelas máquinas que reúnem maiores possibilidades de serviços por custos acessíveis, como aceitar mais bandeiras e opções de parcelamento nas vendas, ter taxas menores de juros em cima do que você comercializar.

Qualidade e atendimento

Investigue através de conhecidos ou na internet, as qualificações que essas empresas receberam de seus clientes e qual delas realmente presta um serviço de qualidade e assistência eficiente. Saber desses detalhes fará toda a diferença no rendimento do seu negócio.

Também evite operadoras muito baratas ou que oferecem promessas duvidosas. Pois elas podem esconder juros e taxas que, mais adiante, podem não mais se encaixar no seu orçamento e se tornar um verdadeiro desserviço ao seu MEI.

Comprar ou alugar?

As máquinas de cartão de crédito e débito podem ser alugadas ou compradas. Dessa forma, o MEI pode comprar um aparelho de cartão por um plano fixo ou optar por pagar mensalidades do aluguel da máquina. Cada estilo de adesão requer obrigações diferentes ao seu consumidor: as máquinas com aluguel, por exemplo, exigem que se tenha conta corrente. Ao contrário das sem aluguel, que não fazem essa demanda aos seus usuários.

Tenha sempre em seu estabelecimento dois exemplares diferentes de máquinas de cartão.Pois, caso uma se encontre fora de serviço no momento da venda, a outra irá auxiliá-lo e evitar que você perca vendas e não fidelize fregueses importantes por falta desse equipamento.

Principais máquinas de cartão do mercado

Para dar entrada na sua máquina de cartão, é preciso ter em mãos alguns documentos, a exemplo do CNPJ, CPF, Identidade, comprovantes de residência e do local onde está instalado o microempreendimento. Confira, a seguir, uma lista com as máquinas de cartão mais recomendadas para o MEI:

  • Sum Up;
  • Minizinha e moderninha (máquina do PagSeguro);
  • Izettle;
  • Zoop;
  • BIN;
  • Cielo;
  • PayLeven;
  • Point Mini (máquina do Mercado Livre);
  • Soul Pay;
  • conta.MOBI.

Limite de enquadramento no MEI

Os microempresários que já fazem uso ou estão iniciando suas vendas por meio da máquina de cartão, precisam estar atentos quanto ao total de faturamento estipulado pelo MEI, para não ultrapassar o teto tributário anual e mensal do programa. 

A partir de janeiro de 2018 as regras do programa foram alteradas e os valores limite concedidos foram ampliados. A tributação anual do MEI passa agora para R$ 81 mil e o limite mensal de faturamento se encaixa em até R$ 6.750,00.

Caso os limites de enquadramento sejam excedidos, o microempreendedor individual será obrigado a pagar uma multa referente a esse montante, calculada com base na porcentagem relativa ao estilo de atividade em que ele se cadastrou (comércio, serviços e indústria).

As informações de como fazer esse cálculo e qual o valor exato da multa a ser paga, podem ser conseguidas por intermédio dos postos de atendimento e suporte online disponibilizados pelo Sebrae.

Clube Sebrae dispõe do melhor conhecimento em empreendedorismo. Cadastre-se e tenha acesso à maior rede de empreendedores do BrasilEntre para o Clube Sebrae.

Clube Sebrae
Malanny Serêjo Seguir

Formação em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo. Experiência com assessoria de imprensa e produção de conteúdo para web.

Continue lendo
Indicados para você