Quanto é o custo fixo?
[editar artigo]

Quanto é o custo fixo?

Um dos mais recorrentes questionamentos que recebo ao iniciar meus processos de consultoria é: afinal qual é o custo fixo ideal para a minha empresa?

Bem, para responder a esta questão precisamos analisar alguns outros fatores básicos para pensar antes de falar sobre qualquer índice. São variáveis que impactam neste valor, e das quais o cálculo do custo fixo ideal vai depender. Veja o detalhamento:

1. Depende do tipo e porte de empresa

Cada tipo e porte de empresa pratica índices diferenciados pois estes valores estão diretamente associados a fatores inerentes à natureza do negócio. Quanto mais técnica for a atividade maiores serão os custos com salários, estrutura para desenvolvimento (equipamentos, softwares, materiais de apoio), tipo de atividade (quanto mais especializada for a atividade) e porte da empresa (associado ao volume de faturamento).

2. Depende do segmento de negócios

O segmento de negócios determina uma grande ou menor concorrência. Consequentemente o cálculo dos preços poderá sofrer influência do segmento. Esse impacto é natural já que a formação do preço é determinante (seguramente não é o único ou o principal fator) para o sucesso de vendas.

3. Depende dos concorrentes diretos

É necessário conhecer os concorrentes diretos, aqueles que “disputam” a conquista do mercado, para saber como eles atuam. São muitas análises possíveis, como por exemplo, se são agressivos nas vendas através da dinâmica dos preços, se frequentemente realizam promoções, se os preços representam o seu grande argumento de vendas, entre outras.

4. Depende do seu volume de faturamento

O montante ideal de custo fixo está associado diretamente ao faturamento da empresa. Porém existem padrões mínimos requeridos especialmente para as empresas de baixo volume de faturamento, onde a tendência é que os custos fixos percentuais se tornem elevadíssimos mesmo em se tratando de uma estrutura mínima de custos.

Neste caso entra em cena outro grande fator chamado PONTO DE EQUILÍBRIO que nada mais é que um volume mínimo de faturamento necessário para cobrir todos os custos.

5. Depende do padrão de empresa que você deseja ter

Neste ponto refiro-me ao estilo de empresa que você tenha estruturado. Tomemos como exemplo as classificações de hotéis por meio de estrelas. Partindo deste princípio quando comparamos um hotel de 3 estrelas com um de 5 nitidamente iremos perceber diferenças, começando pela apresentação visual, pelas comodidades oferecidas, pelo número de funcionários disponíveis, entre outros.

Neste caso é lógico que o preço cobrado será em função do tipo de serviço oferecido. Isso quer dizer que o produto/serviço de um hotel 3 estrelas é absolutamente distinto em relação ao de 5 estrelas. Isto é para mostrar que é necessário saber avaliar e ajustar o seu padrão ofertado para saber qual estrutura de custos fixos a adotar.

Diante de todos esses argumentos, ainda permanece a grande dúvida: mas, afinal, qual é o índice de custo fixo adequado para a minha empresa?

Podemos traçar alguns parâmetros de mercado. Para isso devemos levar em consideração índices de custo fixo que possibilitem a competitividade de preços.

INDÚSTRIA de pequeno porte ………………….: 15 a 20%

INDÚSTRIA de médio e grande porte …………: até 15%

COMÉRCIO de pequeno porte …………………: 10 a 20%

COMÉRCIO de médio e grande porte …………: até 10%

SERVIÇOS de pequeno porte …………………..: 15 a 25%

SERVIÇOS de médio e grande porte …………..: até 15%

Lembrando sempre que:

1. Quanto maior o porte da empresa, conforme o volume de faturamento, menor deverá ser esse índice.

2. São índices meramente indicativos, portanto observe-os APENAS como referencial, especialmente porque eles devem estar associados às dependências mencionadas.

E como calculá-lo?

O cálculo é realizado pela relação direta do montante dos custos fixos em relação ao faturamento – neste caso, SEMPRE calculado pela média mensal praticada. Para determinação desta média mensal é ideal que se obtenha o cálculo da média dos últimos 12 meses.

Veja o exemplo:

OBS: Um detalhe muito importante é saber que o custo fixo deve ser estabelecido pela sua média porque muitas contas que o compõe tem valores variáveis ao longo dos períodos. Porém, são classificados como CUSTOS FIXOS porque não estão associados ao volume de produção e vendas. Exemplos típicos são: água e esgoto, telefone, energia elétrica (não se refere ao consumo da produção), etc.

Ao realizar seus cálculos é bem provável que permaneça a grande dúvida: O custo fixo percentual da minha empresa é X%. Afinal de contas, será que ele está adequado?

Quer tirar sua dúvida? Calcule e comente neste post que poderei te dar dicas mais específicas. Pense nisso!

Edmilson Tanaka
Edmilson Tanaka Seguir

Consultor - TH Thop

Continue lendo
Indicados para você