{{ warning.message }} Ver detalhes
Post
Link
Pergunta
RH: 5 dicas de ouro para contratar gente ruim.
[editar artigo]

RH: 5 dicas de ouro para contratar gente ruim.

Não vou perder seu tempo explicando como ter as pessoas certas dentro da sua empresa faz a diferença, isso você já encontrou por aí no Club Sebrae. O fato é que o cenário de negócios atual está cheio de incertezas e mudanças, e organizar uma equipe para navegar por esses mares é o que vai garantir que você veja seu sonho virar realidade. Pela minha experiência na Aldeia Coworking, acabei trabalhando por 5 anos com uma equipe Geração Y e encontrei alguns padrões que podem ajudar a entender o que não fazer para começar a construir uma equipe transformadora e motivada. Nas próximas linhas explico como você faz para ENXOTAR os melhores candidatos do seu processo seletivo e DIFICULTAR muito qualquer plano legal para seu projeto.

1. Quando for abrir a vaga, descreva muito bem o que a pessoa precisa saber, e apenas isso. Enfatize como a pessoa precisa saber coisas como Photoshop, Word, Google Analytics para se encaixar. De quebra, esqueça de mencionar os objetivos e propósito da atividade. Empresas de sucesso sabem que o cenário vai mudar e que as ferramentas importam menos do que o objetivo final. Elas estão mais interessadas em entender como uma pessoa faria para chegar naquele objetivo, e menos interessadas em garantir que a pessoa siga o que é esperado.

2. Na entrevista, procure pessoas que sabem onde querem estar daqui a 30 anos. Isso mesmo, finja que você acredita que alguém tem certeza absoluta do que quer nessa vida e exija isso do seu entrevistado. Se ele mentir que quer trabalhar no seu projeto até a morte, mais pontos para ele. Recrutadores de sucesso entendem que parcerias e contratos de trabalho são um acordo temporário. Muitas vezes os melhores candidatos são aqueles que sabem apenas o que querem aprender nos próximos anos e estão colocando muita energia nisso. Evite toda essa energia.

3. Não leve em consideração o que o candidato espera da empresa. Uma vez, ouvi de um empreendedor admirável a seguinte frase: “Minha primeira venda foi para meu sócio”. Se para os altamente produtivos o contrato de trabalho é uma troca, você quer passar longe disso. Passe a entrevista inteira escrutinando a pessoa e não se permita ser questionado. Assim, você não vai ter nenhuma ideia de se e como conseguirá motivar o candidato se ele for escolhido. E isso importa muito.

4. Não ouça histórias. As histórias da vida da pessoa revelam muito mais sobre a maneira que ela age e toma decisões do que o currículo. Demonstrar empolgação sobre um hobby e ouvir as grandes aventuras da vida do candidato vão mostrar como ele é sob pressão, como procura soluções e o que faz quando o bicho está pegando. Considere isso tudo perda de tempo e, durante a entrevista, discuta currículo à exaustão, sem nunca pedir exemplos reais.

5. Faça da contratação a grande vitória em si. Não tem nada mais desmotivador do que jogar um jogo que você já ganhou. Processos seletivos altamente eficazes deixam claro que a contratação, sim, é uma vitória, mas que o trabalho come a genialidade no café da manhã. Os melhores chefes que já tive, na hora de fazer o acordo de trabalho, apresentavam os próximos desafios do novo membro da equipe, e certificavam-se que o jogo sempre tinha fases mais difíceis e desafiadoras ao término dessa. NÃO FAÇA ISSO!

TAGS
Ricardo Dória

Ricardo Dória

fundador - Aldeia

Fique informado sobre as novidades da comunidade
Cadastre-se aqui
Gostou desse artigo? Escreva o seu também!
Nova publicação

Artigos relacionados

Continue lendo!

Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso
aos conteúdos exclusivos.

Entrar