[editar artigo]

Roteiro para criar uma franquia

Se você tem um negócio, ou pelo menos uma ótima ideia para um negócio, já deve ter pensado em franquear. Possivelmente não sabe bem por onde começar e nem o que é preciso para criar uma franquia de sucesso.

Quer saber mais sobre isto? Sente-se confortavelmente na sua poltrona e leia com atenção porque neste post vamos fazer barba, cabelo e bigode no que se refere a criação de uma rede de franquias.

A primeira reflexão é:

Será que micro e pequenas empresas podem ser franqueadoras ou isto é coisa para as grandes?

Podem sim! Inclusive o Sebrae tem como uma de suas ações estratégicas apoiar o crescimento de Micro e Pequenas Empresas através do Franchising.

O que define se uma empresa pode ou não ser franqueável não é o seu porte e sim o seu potencial para expandir através do sistema de franquias de maneira sustentável do ponto de vista financeiro e de modelo de negócio, sendo uma parceria positiva para franqueador e franqueados.

Para identificar este potencial deve ser realizada uma análise de franqueabilidade.

Passo 1: Analise de Franqueabilidade

Esta analise envolve três aspectos: Mercadológico, Financeiro e Organizacional.

1.1 Aspectos Mercadológicos:

É importante identificar qual a situação do mercado para o negócio: Está em crescimento? Como é a concorrência? Qual o posicionamento da marca? entre outras questões. Na análise das questões relativas ao mercado, é importante definir a proposta de valor da franquia e do produto/serviço oferecido ao consumidor final. Para ajudar nesta etapa uma boa ferramenta é o Canvas.

1.2 Aspectos Financeiros:

Negócio é para ganhar dinheiro. Franqueado e Franqueador devem ser bem sucedidos para que a rede seja forte. Na análise dos aspectos devem ser realizadas duas simulações financeiras: uma da unidade franqueada e outra da empresa franqueadora.

Nestas simulações devem ser identificados os valores de investimento, lucratividade, rentabilidade, necessidade de capital de giro e prazo de retorno do investimento.

Na simulação da unidade franqueada, mesmo descontando os valores de royalties e de contribuição para fundo de publicidade o resultado financeiro deve ser atraente e sustentável para o franqueado.

Na simulação da empresa franqueadora, deve ser identificado o número de unidades franqueadas necessárias para que seja atingido inicialmente ponto de equilíbrio e posteriormente o lucro desejado para que ser um franqueador seja interessante.

Por exemplo, pode se chegar a conclusão que são necessárias 80 unidades para que a franqueadora tenha um lucro de 40.000,00/mês. Se uma unidade deste negócio tem um potencial para ter um lucro estimado mensal de 10.000,00 provavelmente seja muito menos trabalhoso e arriscado o empresário abrir 4 filiais do que vender 80 franquias!

Existem outros elementos envolvidos, como a força que a marca ganha com 80 unidades e os ganhos de economia de escala proporcionados, mas coloco este exemplo para demonstrar que nem sempre a franquia é a melhor estratégia para expansão.

1.3 Aspectos Organizacionais:

São importantes, porém são os mais fáceis de serem resolvidos. Se a empresa não uma boa proposta de valor, ou se a "conta não fecha" na analise financeira, serão necessários ajustes relevantes no modelo de negócio para que a marca seja franqueável. No caso dos aspectos organizacionais que são aqueles relacionados em como a organização está estruturada: processos, manuais, ferramentas, etc. se tiver uma boa orientação e comprometimento com a execução dos ajustes necessários não existe segredo. Existe trabalho, conhecimento e dedicação.

Você pode receber gratuitamente um relatórios sobre o potencial para transformar seu negócio em uma rede de franquias. Basta preencher o formulário de ANALISE PRÉVIA DE FRANQUEABILIDADE.

Quando o seu negócio tem condições para franquear começa deve começar a estruturar o processo de transferência do know-how.

2. Transferência de Know-How

Um dos pilares do franchising é transferência do Know-How que significa passar para o franqueado a forma de trabalhar desenvolvida pelo franqueador. Normalmente esta forma de trabalhar é resultante da conhecimento adquirido pela atuação no mercado.

Para transferir todo o conhecimento são usadas várias ferramentas:

  • Manuais
  • Treinamentos
  • Consultoria
  • Projetos
  • Fichas
  • Planilhas
  • Modelos
  • Vídeos
  • Etc.

2.1 MANUAIS

Os manuais são importante para consolidar o conhecimento do negócio e servem como base para toda a transferência de know-how. Não devem contudo ser superestimados. Não basta ter bons manuais para a rede ser bem sucedida e também não é adequado afirmar que uma rede sem manuais não possa ser um sucesso.

Para saber quais os manuais são os essenciais para a estruturação da franquia acesse este outro post Manuais de Franquia.

2.2 SUPORTE

Para que a rede funcione o franqueador deve ter uma equipe de suporte que atenderá os franqueados orientando tanto nas questões de gestão como de operação do negócio. Os canais de suporte podem ser presenciais na figura do Consultor de Campo, por telefone, videoconferencia, email, e até whatsapp.

2.3 TREINAMENTOS

Devem ser desenvolvidos treinamentos para os franqueados. Os treinamentos tem como objetivo permitir que o franqueado tenha condições para gerir e operar o negócio nos padrões definidos pelo franqueador.

3. Registro da Marca

O outro pilar do sistema de franquias é a MARCA. A marca deve ser registrada no INPI e ser sempre protegida e promovida.

Para saber mais sobre o registro da marca, leia este post: Como fazer o pedido de registro da Marca no INPI

4. Processos do Franqueador

Para prestar um bom suporte e fazer que o negócio "franqueador" seja efetivamente um bom negócio é necessário definir e mapear diversos processos de operação e gestão que serão desempenhados.

Os processos do franqueador podem ser divididos em dois grandes grupos:

1. Processos de Expansão

2. Processos de Gestão e Suporte

4.1 PROCESSOS DE EXPANSÃO

Todo o franqueador é expansionista, se a intenção for "crescer pouco" o melhor não é a franquia. Franquia é para crescer muito e ser forte.

Para crescer bem deve ser compreendido que o processo de expansão envolve dois aspectos: Seleção de Franqueados e Venda de Franquia.

Não basta vender para qualquer um que tenha dinheiro e também não adianta esperar que sem divulgar e mostrar os benefícios do negócios conseguirá ter muitas unidades.

Deve ser preparado um bom plano de expansão. Vale a penas dar uma olhada neste vídeo que publiquei no meu canal mostrando 4 sacadas do McDonalds para você acertar na hora de expandir.

Para continuar crescendo é preciso oferecer um excelente suporte e fazer uma ótima gestão.

4.2 PROCESSOS DE SUPORTE E GESTÃO

A rede precisa de suporte e assim devem ser estruturados os processos para prestar suporte com qualidade. Além dos itens já citados na transferência de know-how é preciso também definir alguns outros processos como:

  • Homologação de Fornecedores
  • Supervisão da Rede
  • Suporte para escolha do ponto e implantação da unidade

A empresa franqueadora é um outro negócio e assim deve ser gerida como tal. Desta forma deve ser definidos os processos de:

  • Pessoas
  • Finanças
  • Logística
  • Marketing

5. Formalização da Franqueadora

Ser franqueador é um outro negócio. Hoje você vende seus produtos/serviços, como franqueador você venderá "negócios".

O ideal é abrir uma nova empresa específica para este fim. Não misture os negócios.

Sempre me perguntam: não posso apenas incluir a atividade de franqueador no contrato social da empresa que já tenho? - Pode. Mas não deve.

Não precisa abrir esta nova empresa por enquanto, o processo de formalização está cada vez mais rápido. Quando estiver tudo pronto para lançar a franquia no mercado aí sim é hora de formalizar.

Para abrir esta empresa você precisa saber duas coisas:

1. O objeto da empresa franqueadora é: Gestão de Ativos Intangíveis Não Financeiros.

2. Esta atividade é permitida no Simples Nacional, porém a alíquota já começa alta, fica quase igual a tributação no lucro presumido. Deve fazer uma analise mais detalhada para ver o que é melhor para o seu negócio. Na maioria dos casos é melhor no Simples mesmo.

6. Documentos Jurídicos

Existe uma lei de franquias (Lei 8955/94) que regulamenta o funcionamento do franchising no país.

A lei é bem curtinha, LEIA!

Do ponto de vista jurídico para atuar como Franqueador é necessário apenas ter uma empresa franqueadora (item anterior) e seguir o que diz a lei. Não é obrigatório ser associado ou registrado em nenhum órgão específico ou agência. Recomendo fortemente, mesmo não sendo obrigatório, que se associe à ABF - Associação Brasileira de Franchising.

Os documentos essenciais previstos para o funcionamento da franqueadora são: a Circular de Oferta de Franquia, normalmente chamada de COF; o Pré-Contrato de Franquia e o Contrato de Franquia.

6.1 COF: A Circular de Oferta de Franquia é um documento que faz parte do processo de venda de franquia. A lei define uma série de informações que devem constar na COF. Este documento é obrigatório e nenhum compromisso pode ser firmado ou pagamento realizado antes de passados 10 dias após a sua entrega formal ao interessado.

Mais informações sobre a COF:

6.2 Pré-Contrato

Depois dos 10 dias a partir do recebimento da COF é possível assinar o Contrato ou o Pré-Contrato de Franquia.

A relação entre franqueador e franqueado é uma relação de pessoa jurídica com pessoa jurídica. Como normalmente o franqueado ainda não tem uma empresa formalizada, é assinado um Pré-Contrato. Neste pré-contrato é descrito como acontecerá todo o desenvolvimento dos trabalhos até a assinatura do Contrato, quando então não terá mais validade.

6.3 Contrato de Franquia

Quando a empresa do franqueado está formalizada pode ser assinado o Contrato de Franquia, normalmente no período de inauguração da unidade. Este Contrato terá validade durante um prazo pré-definido. Não existe um prazo padrão, mas na maior parte dos casos é de 5 anos.

Lançamento da Franquia

Depois de realizar todo este trabalho o negócio poderá ser lançado no mercado. Para isto é importante planejar bem a divulgação e a estratégia de comercialização.

Espero que este roteiro tenha lhe dado uma visão geral sobre o processo de formatação de franquia.

Se gostou, compartilhe com aqueles que você acha que podem se interessar também pelo assunto.

Um clique no coração sempre me faz bem :)

Para saber mais sobre este assunto acesse meu site FRANQUEADOR.COM e meu Canal no Youtube!

Sucesso e até a próxima!

Erlon Labatut
Erlon Labatut Seguir

Consultor Franquias - FRANQUEADOR.COM

Continue lendo!

Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso
aos conteúdos exclusivos.

Entrar
Indicados para você