[ editar artigo]

O que fazer com clientes que só querem saber de preço?

O que fazer com clientes que só querem saber de preço?

De acordo com pesquisa realizada por Procon/FGV (2012), preço alto demais corresponde a apenas 9% do porquê empresas perdem clientes, então qual o motivo de tantos clientes reclamarem de preço ou pedirem desconto, mesmo tendo um excelente produto/serviço?

 

Antes mesmo de você conseguir falar sobre sua empresa ou produtos/serviços seus clientes já pedem o orçamento e, quando você envia, falam que têm opções mais baratas no mercado?

 

Antes de responder as perguntas acima, é importante definirmos a diferença entre preço e valor; enquanto o primeiro é o que o cliente paga, o segundo é o que ele percebe que está levando pelo o que pagou, ou seja, analisa a relação custo/benefício.

Quanto maior for a percepção de valor que o cliente tem pelo que comprou maior será sua predisposição para pagar mais. Por isso empresas que oferecem alto valor agregado geralmente são mais lucrativas, com ticket médio acima da média e com maior credibilidade no mercado.

 

Modelo de Negócio baseado em Preço

Negócios baseados em preço não são um erro, porém, principalmente para pequenas empresas, pode ser um grande desafio, visto que precisam atender no mínimo os seguintes pontos:

  • Menor custo da mercadoria: no caso de empresas dos setores de comércio e indústria especialmente, para conseguir menor custo é necessário comprar grandes volumes, o que exige ter capital de giro para isto e espaço para guardar o estoque;
  • Exímio negociador: para conseguir menores custos na aquisição de mercadorias e matéria-prima é necessário fazer pesquisa de mercado constante em busca de melhores preços, além de ser uma empresa excelente em negociação;
  • Eficiência máxima: para oferecer o menor preço o grau de eficiência deve tender a 100%, tendo que evitar qualquer tipo de desperdício de tempo, dinheiro e recursos;
  • Margem de lucro com volume: este tipo de modelo geralmente tende a oferecer margem de lucro pequena por produto/serviço, conseguindo-se alcançar o lucro razoável somente quando vende grandes volumes;
  • Quantidade com qualidade: este ponto é um dos grandes desafios, por ter que produzir/vender grandes volumes, geralmente com equipe numerosa, vender quantidade com qualidade exigirá um controle de qualidade muito eficiente.

Devido aos desafios citados acima, é pouco provável que você consiga enfrentar de igual para igual médias e grandes empresas, conseguir oferecer um produto/serviço de qualidade a um preço que lhe ofereça bons lucros, principalmente se a sua empresa tem pouco tempo de mercado.

 

Modelo de Negócio baseado em Valor

Resultado de imagem para valorAgora, se você deseja trabalhar com um modelo de negócio que favoreça o fato de ser uma pequena empresa, que permitirá seu negócio se diferenciar no mercado e não ter clientes clamando por menor preço ou desconto, agregue valor ao seu produto/serviço. Porém, até mesmo neste tipo de modelo você deve buscar eficiência na gestão e evitar desperdícios.

 

Mas, afinal, como agregar valor ao meu negócio? Veja agora 10 dicas simples que podem lhe ajudar na agregação de valor dos produtos/serviços que sua empresa vende.

  1. Conheça seu cliente e atenda suas dores, necessidades e desejos, e não precisa de bola de cristal para isto, pesquise sobre as ferramentas Mapa da Empatia e Persona para lhe ajudarem nesta tarefa.
  2. Descubra e analise os Fatores Chave de Sucesso do seu negócio tais como atendimento, qualidade, variedade, forma de pagamento e outros, faça pesquisa de mercado, compare-se a concorrência e descubra pontos a melhorar e pontos fortes a explorar.
  3. Se especialize em um nicho de mercado,, mesmo que seja em apenas um produto ou serviço, seja o melhor, assim até a concorrência poderá te indicar para casos específicos;
  4. Utilize a método SAVE (Solução, Acesso, Valor e Educação) para fazer marketing:
    1. Solução: com base no seu conhecimento sobre o cliente, explore como pode atender suas dores, necessidades e desejos sendo um facilitador no processo;
    2. Acesso: esteja acessível aos seus clientes de forma que eles preferirem, marque presença na Internet para isto, relacione-se com eles pelas mídias sociais, aplicativos, Chatbot, blog, site, loja física, eventos, entre outros.
    3. Valor: deixe claro para seu cliente os inúmeros benefícios que sua empresa oferece e quais são seus principais diferenciais frente a concorrência;
    4. Educação: muitos dos seus potenciais clientes não sabem que tem um problema ou não foi criado o desejo neles para comprarem a solução que oferece, então eduque-os, faça marketing de conteúdo e utilize o funil de vendas a seu favor.
  5. Utilize cada etapa da Jornada de Compra do Consumidor e faça follow up, faça seu cliente aprender e descobrir problemas e necessidades, querer buscar soluções, decidir comprar da sua empresa e mantenha relacionamento mesmo após a venda;
  6. Não tenha vendedores, tenha consultores de vendas na sua empresa, enquanto o primeiro apenas apresenta opções, o segundo faz venda consultiva, ou seja, ele é um facilitador que auxilia o cliente a encontrar a melhor solução em sua empresa;
  7. Torne-se uma autoridade na sua área de atuação, estude, faça benchmarking e gere conteúdo na Internet (Blog, Youtube, Mídias Sociais, etc), desta forma, será visto como especialista na sua área de atuação e educará seus potenciais clientes para saberem avaliar valor antes de preço.
  8. Ofereça uma experiência completa aos clientes utilizando o marketing de experiência e técnicas de visual merchandising, para isto, principalmente em lojas físicas, utilize estratégias que trabalhem os cinco sentidos deles e cria uma experiência memorável.
  9. Abrace uma ou mais causas que seu público-alvo valorize, mas que seja algo verdadeiro e encarado como propósito, por exemplo, comprar somente de pequenas empresas da região para valorizar a economia local ou algo relacionado a sustentabilidade.
  10. Não adianta sua empresa ser a melhor, tem que parecer ser a melhor, faça marketing (off-line e online) com seu público-alvo de forma a deixar claro todos os diferenciais do seu negócio apresentados acima.

Faço agora um desafio a você: escolha uma ou mais dicas de agregação de valor para aplicar em seu negócio, faça um brainstorming (“toró de parpites”) com a sua equipe, elabore um plano de ação definindo o que fazer, como, quando, porque, quanto custará e responsáveis para colocar em prática e avalie os resultados.

Após definir trabalhar com um modelo de negócio baseado em entrega de valor, tome cuidado para não cair na tentação de baixar preço ou dar descontos para não perder clientes, isto pode prejudicar a saúde financeira do seu negócio. Se o cliente o cliente está barganhando contigo, possivelmente é porque não é seu público-alvo ou não identificou valor agregado.

Como mensagem final para lhe ajudar escolher entre ofertar preço ou valor, lembre-se: cliente que vem por preço por preço vai embora!

Clube Sebrae
Rafael Souza
Rafael Souza Seguir

Analista de Negócios e Palestrante do Sebrae-SP no Escritório Regional de São José dos Campos, Empreteco, Agente Local de Inovação, formado em TI, especialista em Gestão de Pessoas e em Gestão Estratégica de Negócios.

Ler matéria completa
Indicados para você