[ editar artigo]

Segurança digital: tendências para implantar em 2019

Segurança digital: tendências para implantar em 2019

A segurança digital é a nova preocupação do mundo contemporâneo. Estamos em uma era na qual os dados e informações virtuais se tornaram parte do patrimônio de empresas e instituições. Por isso, os setores privados precisam direcionar sua atenção para o tema e buscar novos meios de proteger seus sistemas.

Com o número de fraudes e golpes online aumentando, os negócios não escapam. Existem diversos tipos de hackers e vírus com o objetivo de se infiltrar nos computadores dos empreendimentos e lucrar com isso.

Para aqueles que entendem o valor de seus dados e enxergam a necessidade de começar a se precaver agora, existe solução. Muitas tendências do mercado estão sendo aproveitadas para aumentar a segurança das redes. Quer conhecer essas ferramentas? Vamos mostrar as principais e ainda ensinar como proteger a sua empresa. Continue conosco e conheça os riscos virtuais e como você pode driblá-los!

O que é segurança digital?

Em sua empresa ou negócio existe uma estrutura física, que está constantemente sendo monitorada para evitar roubos e furtos, certo? Agora imagine o ambiente virtual do seu negócio e todas as operações que ocorrem usando os computadores, seus sistemas e conexão com a internet.

Lá, todos os dados, transações financeiras, dados de funcionários, detalhes fiscais e demais informações estão circulando de computador para computador, pela rede. Imagine se um invasor acessar tudo isso.

Nesse panorama entra a segurança digital. Ela significa aplicar técnicas e ferramentas para proteger a sua identidade online. A partir delas, é possível conversar, realizar operações financeiras e tratar de assuntos confidenciais pela rede, sem o medo de hackers invadirem a máquina e furtarem os arquivos.

Qual é a importância da segurança digital?

Na era da informação do Big Data, um dos patrimônios de maior valor para uma empresa são os seus dados. Imagine que eles informam todos os detalhes do seu financeiro, vendas, quem são seus funcionários (quais são as habilidades e a formação deles), quem são seus clientes e quais os dados financeiros deles, a matéria prima dos seus produtos, estoque, negociações etc.

Esses conteúdos dizem absolutamente tudo sobre como sua empresa opera, como pode melhorar e o patrimônio em dinheiro do empreendimento. Você deixaria tudo isso sem nenhum tipo de proteção? É nesse cenário que entra a importância de se proteger digitalmente.

Garante a confidencialidade

Os empresários de sucesso sabem como manter cada informação em seu nível de segurança é essencial. Cada dado deve ser conhecido apenas por parte dos funcionários, para assegurar a normalidade. Informações dos clientes e fornecedores, por exemplo, exigem confidencialidade inclusive por vias contratuais. Deixar seu sistema desprotegido pode resultar em vazamento.

Quais são os riscos dos crimes cibernéticos para as empresas?

Para muitos, os crimes virtuais podem parecer uma realidade distante, que ocorre apenas nos filmes de hackers. Mas a verdade é que uma onda de novos ataques cibernéticos acontece todos os dias e aumenta em diversos países. O Brasil figura como um dos países com alto número de incidentes do tipo.

A agenda mundial das empresas privadas tem como prioridade discutir novos métodos para expandir e potencializar a segurança das redes. As pesquisas acerca do assunto mostram como isso é necessário e como os negócios estão correndo grande perigo.

O cenário brasileiro

O Brasil é o país da América Latina alvo do maior número de ataques cibernéticos, figurando entre as primeiras posições quando comparado ao resto do mundo. Para se ter uma ideia da gravidade, as empresas de seguro já consideram esse risco com a mesma intensidade de uma catástrofe natural, pois ambos podem gerar uma grande perda de dinheiro.

Falando em números, houve um crescimento de 197% na prática desses crimes nas redes nacionais só entre 2013 e 2014.

Os tipos de crimes

Os riscos digitais estão crescendo exponencialmente. Existem diversos tipos de crimes cibernéticos que os hackers praticam. é importante conhecer mais comuns para conseguir se prevenir contra eles e para saber que os perigos de fato existem. Veja!

  • Sequestro de dados

Um dos mais conhecidos é o sequestro de dados. Um indivíduo entra na rede usando-se de um vírus chamado ransomware e sem seguida bloqueia e criptografa todo o sistema da empresa. Ou seja, não é possível prosseguir as atividades, pois todos os dados, programas e informações estão bloqueados.

Então, o hacker cobra um quantia em dinheiro para poder liberar e desbloquear o sistema do negócio. Caso não tenha backups, o administrador precisa decidir entre pagar quantias altíssimas ou perder todas as informações da operação. A escolha geralmente é a primeira opção, resultando em um grande rombo financeiro.

  • Vírus

Os vírus são links maliciosos que podem se instalar no seu computador e permitir fácil acesso para os hackers ou, ainda, roubar informações. É estimado pelo Centro de Estudos, Respostas e Tratamento de Segurança que, em um único minuto, são criados 45 novos vírus. Para isso, são usados 200 sites maliciosos (em apenas 60 segundos), feitas 5 mil novas versões de malware. Em consequência, são roubadas cerca de 180 identidades e 2 milhões de dólares acabam perdidos.

  • Aplicativos falsos

Já precisou de uma ferramenta para agilizar uma tarefa e encontrou o aplicativo ideal? Conhecendo esse comportamento dos usuários, os hackers criaram maneiras de roubar dados durante essas atividades.

Está se tornando comum o uso de aplicativos para invadir os dispositivos móveis dos usuários. Assim, informações como números de cartões de crédito, senhas e todos os demais dados enviados virtualmente podem ser obtidos pelos hackers.

  • Espionagem

Uma das técnicas mais antigas para conseguir informações dos concorrentes é espioná-los. Empresas já foram pegas realizando procedimentos como esse enviando espiões para o local dos competidores, em busca de dados importantes.

Porém a era virtual permite que esse ato seja feito de maneira ainda mais invasiva. Os computadores contém câmeras e microfones para a comunicação por videoconferências. Com acesso a sua máquina, os hackers podem abrir esse recursos e observar o cenário a partir desses dispositivos.

Quais são as tendências de segurança digital para implementar em 2019?

Observando esse novo risco do mercado, a tecnologia aumentou suas buscas para aumentar a segurança e proporcionar uma navegação com menos ameaças. A partir desses esforços, surgem novos programas, softwares e alternativas para a proteção dos dados.

É importante para o setor privado acompanhar essas novas tendências. Uma vez que elas se tornam padrão, os sistemas que não contam com elas ficam mais expostos que os demais.

Para isso, separamos as novas ferramentas para segurança digital que vão se tornar tendência para a proteção de sistemas. Conheça quais são e como elas podem beneficiar os seus negócios e evitar problemas virtuais!

  • Machine Learning

A Machine Learning é a funcionalidade que permite máquinas, sistemas e robos aprender. Muitos consideram essas novas máquinas como a nova revolução da era digital. Afinal, elas funcionam de modo similar às comunicações neurais humanas e assimilam dados para construir informações.

Na segurança de dados e de sistemas, os robôs têm sido explorados como uma maneira de impedir invasões. Eles são treinados por padrões. Logo, podem ser ensinados para encontrar um padrão hacker e impedi-lo de agir.

Outra maneira é que as Learning Machine pode aprender quais são os algoritmos usados pelos vírus e pelos malwares. Então, quando um deles tenta entrar em contato, pode ser rapidamente percebido e consequentemente a ameaça é neutralizada. Assim, a máquina não chega a ser contaminada e não há risco de perder nenhum tipo de arquivo.

Caso a tecnologia seja ampliada, pode ser não apenas uma prevenção, mas também um combatente. A princípio, elas são a maior promessa para assegurar às máquinas. Mas a partir do momento que se desenvolverem melhor, podem atuar como guardas na internet, buscando por ameaças e neutralizando-as antes que entrem em contato.

  • Internet das coisas

A internet das coisas já tomou conta dos meios de produção e passa a ser uma rotina nas indústrias. Sendo inserida para aprimorar cada vez mais dispositivos, também é uma tendência para promover segurança nos sistemas.

Na IoT (Internet of the Things) todos os aparelhos podem se conectar e se comunicar. Sem que haja nenhum comando humano para isso. Assim, enviam mensagens caso algo aconteça.

Um exemplo explorado para aumentar a segurança é o que o Google vem implantando. O sistema entende e notifica quando um acesso estranho é feito em sua conta. Logo, as máquinas poderão verificar e informar que um acesso não usual foi feito em seu banco de dados e, então, as medidas poderão ser tomadas.

  • Proteção em camadas

Essa alternativa para segurança é extremamente eficaz, ao passo que deveria ser o padrão para segurabilidade nos computadores. Ela sugere uma combinação de diversas formas de proteção, para driblar os hackers.

Esses indivíduos exploram as vulnerabilidades de segurança nos sistemas e usam isso para invadir as máquinas. Porém, usando diversos tipos de combinações diferentes, fica difícil encontrar as fraquezas de todas as camadas. Daí tamanha efetividade.

As camadas são compostas por antivírus, antispam, firewall e todas as demais possibilidades. Assim, para conseguir de fato infectar a máquina, será preciso driblar diversas barreiras.

Debates acerca da privacidade online

Na era da informação, as discussões e o ganho de notoriedade de um assunto é parte fundamental para um processo de revisão e melhoria dos temas. No momento, as notícias sobre invasão de privacidade e comercialização das informações dos usuários de internet iniciaram discussões por todo o mundo.

A população de fato passou a reconhecer esse problema e cobrar por soluções rápidas para que esses problemas parem de acontecer indiscriminadamente. A partir das novas conversas, surgem iniciativas do mercado e do poder público para tratar a segurança digital e regulamentar a internet. A tendência é que os usuários dominem cada vez mais informações sobre a insegurança digital e se mobilizem para exigir um cenário diferente.

Regulamentação

A internet é conhecida por muitos como “terra de ninguém”. Isso acontece pois não existem leis e regulamentações para garantir a justiça no mundo virtual. Assim, é como se os crimes e ataques cibernéticos podem ocorrer de modo mais livre.

Crimes como invasão de privacidade de usuários e invasão de bancos de dados, por exemplo, agora passam a ser discutidos e normas vêm sendo estabelecidas. Esforços no Brasil e no mundo estão sendo aplicados para desenvolver legislações e regras para o uso da internet.

A iniciativa é importante para prever punições acertadas aos que cometerem crimes cibernéticos. A partir dessas informações, aumentará a procura e as ações para inibir os hackers, além de garantir que eles serão julgados adequadamente. Com isso, as pessoas ficarão mais inibidas quanto a prática.

Na Europa já foi dado o primeiro passo. Já está em vigência a Lei de Proteção de Dados Global (GDPR), que trata de maneira abrangente acerca da gestão e do uso das informações na internet.

Como evitar crimes cibernéticos em sua empresa?

Se você é um gestor precavido e entende a importância de gerir riscos, já sabe que medidas devem ser tomadas para conter ameaças como essa em sua organização. Identificar quais são as principais atitudes que possibilitam que hackers invadam seu sistema é essencial.

Propondo mudanças na cultura organizacional e inserindo ferramentas de proteção, é possível evitar ameaças e garantir um sistema de trabalho seguro para a instituição, clientes e fornecedores.

Para isso, preparamos algumas dicas de atitudes que precisam ser adotadas no dia a dia dos negócios. Vale lembrar que o pensamento é o se literalmente tornar essas dicas hábitos, a fim de ser e funcionar como uma empresa segura. Confira mais a seguir!

1 - Utilize a última versão do sistema

Os sistemas operacionais estão constantemente se atualizando. Frequentemente existe uma versão mais recente para download. Geralmente, o próprio computador nos indica fazer as pequenas atualizações periódicas e as ignoramos.

Mas estar com a última versão lançada instalada na máquina é uma segurança a mais. Sabe por que? Porque cada nova versão conta com menos falhas na segurabilidade oferecida.

O trabalho dos hackers é encontrar falhas de segurança nos computadores e explorá-las para fazer a invasão. Porém, quando uma brecha é exposta, os programadores dos sistemas operacionais trabalham arduamente para resolver aquele problema.

Assim, quando atualizam para uma nova versão, ela vem corrigida, para que problemas como os anteriores não tenham mais como se repetir. Logo, sistemas operacionais muito antigos e desatualizados podem deixar sua empresa muito mais exposta.

2 - Use um bom antivírus

As ameaças que assolam os sistemas muitas vezes são silenciosas. Nem sempre temos como saber que um arquivo contém um vírus. Alguns malwares, inclusive, se escondem no sistema durante um longo tempo e só depois passam a agir.

Muitos colaboradores também não tem domínio exato sobre as formas pelas quais os softwares maliciosos podem se instalar. Para sanar essa questão, existem os antivírus, que ajudam a evitar “contaminações” no computador.

A ferramenta opera em tempo real, monitorando a máquina a todo momento. Quando identifica uma situação potencialmente insegura, notifica o usuário. Ou, em casos mais extremos, bloqueia diretamente o link ou página e impede que o contato aconteça.

Outra funcionalidade pertinente para a segurança que o antivírus oferece são as varreduras. Elas monitoram todo o sistema e verificam se não existe um arquivo malicioso escondido por ali.

3 - Tenha um seguro

Como já citamos brevemente, as companhias de seguro já oferecem opções de cobertura para o patrimônio digital de sua empresa. É importante pensar em opções como essa assim como pensa para o patrimônio físico.

Do mesmo modo que um um acidente repentino pode afetar o negócio, um acidente virtual pode acarretar em grandes pernas financeiras. Por isso, é preciso pensar em uma alternativa para o caso.

Assim, se o pior ocorrer, é possível dividir as responsabilidades com uma empresa especializada. Além de suporte técnico, profissionais especializados para te fornecer informações, em caso de problemas irreparáveis, é possível resgatar o prêmio para realizar a reversão da situação.

Com um pequeno investimento mensal, você garante condições para se recuperar caso o pior aconteça. Ainda que se trabalhe ao máximo para a prevenção, é sensato possuir um plano B.

4 - Faça backups com frequência

Vamos enfatizar que os seus dados e informações movem a sua operação. Todas as ações demandam e geram arquivos de referência. Para elaborar contratos, definir políticas, comprovar pagamentos de tributos, emitir notas fiscais e todas as demais atividades requerem informações guardadas na máquina.

Ficar sem esses dados é como parar a empresa por completo. Ou seja, ficar sem a energia que faz as engrenagens rodarem. Porém existem alternativas que suprem essas necessidades.

O backup possibilita salvar as informações mais relevantes que estão no sistema naquele momento. Caso tudo seja perdido, basta fazer download do backup e ter todos os arquivos novamente.

No exemplo da situação de roubo dos dados, se a empresa tem uma unidade de backup externa, poderia ficar tranquila, pois haveria como recuperar tudo que estava nas máquinas anteriormente.

5 - Conscientize os funcionários

Uma das grandes verdades é que parte da vulnerabilidade nos sistemas é culpa dos usuários. Na maioria das vezes, a exposição não é proposital, mas ocorre. O que provoca isso é o mau uso da rede. Clicando em links maliciosos, abrindo e-mails com arquivos falsos, fazendo login em redes abertas desconhecidas etc.

Atitudes como essa possibilitam que malwares adentrem a máquina. Depois disso, os hackers conseguem facilmente manipular e controlar o computador. Por isso, a parte mais importante do processo é conscientizar os usuários.

A maioria dos funcionários, de fato, não tem conhecimento de como funcionam as violações no sistema. Então, acabam clicando e confiando por inocência. Assim, ensinar quais são os perigos e as consequências para eles é fundamental.

Faz-se preciso oferecer capacitação para mostrar boas condutas ao usar a rede da empresa. Nela, também deve ser exposto os tipos de vírus, como adentram os sistemas, como é possível evitar etc.

6 - Proteja seu site

O site é um mecanismo de contato entre a empresa e os clientes. Porém também pode ser alvo de hackers. O adicional de periculosidade nesse caso é o de prejudicar também os seus consumidores, caso o endereço seja manipulado por hackers.

Imagine a mancha na sua reputação se ao acessar seu site os clientes acabam com computadores e dispositivos infectados ou com suas informações roubadas. Situações como essa precisam ser evitadas ao máximo.

Para isso, é possível contratar uma empresa para proteger seu site em tempo real. Também procure e use um bom certificado SSL (Secure Socket Layer), que criptografa as informações que são transmitidas. Logo, os dados dos consumidores contam com maior segurança. Vale ressaltar que muitos computadores nem permitem que os usuários consigam acessar seu endereço online se ele não conter esse certificado.

7 - Opte pelo armazenamento em nuvem

O armazenamento na nuvem vem dominando os sistemas particulares e empresariais. Também conhecida como cloud computing, a alternativa permite arquivar seu conteúdo online. Ou seja, ao invés de ele ser guardado apenas dentro da sua máquina, ele é enviado para a nuvem e pode ser acessado a partir de qualquer dispositivo conectado com a internet.

Consequentemente, você sempre terá um backup disponível virtualmente. Ao conectar-se com sua conta na nuvem, tudo o que antes estava no computador e foi enviado para lá consegue ser encontrado.

Em caso de perda de dados, o usuário pode ficar mais tranquilo. Afinal, se sua máquina for comprometida, os arquivos estão salvos. Existem empresas que trabalham inclusive com seus sistemas de gestão hospedados na nuvem.

A segurança digital é essencial nos dias de hoje. A maioria das operações das empresas ocorre, de fato, por vias digitais. Proteger esse patrimônio é tão importante quanto cuidar dos bens físicos do empreendimento. Afinal, no sistema e no banco de dados da empresa estão as informações que movem o negócio.

A internet é uma ferramenta fundamental para otimizar processos e se manter competitivo. Deixar de usá-la seria como escolher operar de maneira mais lenta. No entanto, deve-se ter o devido cuidado ao usar as redes, pois existem crimes e pouca regulamentação. Tomar atitudes quanto a isso é o papel de qualquer organização que pretende estar atualizada, otimizada, mas sempre gerenciando os riscos aos quais está exposta.

Orientando os funcionários sobre segurança digital, mantendo as máquinas atualizadas e usando as alternativas de proteção, se torna possível certificar-se de que seus dados estão bem cuidados.

Nosso artigo ajudou a entender como gerenciar os riscos cibernéticos na sua empresa? O objetivo do texto é auxiliar a aprimorar sua gestão e cuidar do patrimônio virtual do seu negócio! Curta o post e compartilhe com seus amigos e parceiros de negócio, para que outros também aproveitem essas dicas!

Clube Sebrae
Isabela Palazzo Seguir

Graduanda em Ciências Sociais pela UNESP e escritora. Certificada pela Rock Content como Especialista em Produção de Conteúdo e redatora na plataforma Sorting. Experiência em blog posts, e-books e mídias sociais abordando diversos temas.

Ler matéria completa
Indicados para você