Tecnologias imperceptíveis aos olhos dos clientes e que fazem toda a diferença
[editar artigo]

Tecnologias imperceptíveis aos olhos dos clientes e que fazem toda a diferença

Você ouve falar todo dia em Era da informação, Big Data e você não sabe o que fazer para aplicar essas tendências para o seu negócio? A oferta de ideias de soluções é extensa, diversificada e ainda conta com uma quantidade enorme de fornecedores, cada qual com modelos e metodologias diferentes de precificação e implementação. Como saber o que é imprescindível para elevar a experiência dos consumidores e conseguir resultados e o que é supérfluo?

A ideia deste artigo é justamente trazer soluções simples, inteligentes, que se conectam de maneira natural à operação e trazem resultados significativos.

Atualmente, as empresas adquirem muitas ferramentas tecnológicas mas não sabem usá-las para gerar dados relevantes para a tomada de decisão – os empreendedores implementam tecnologias e não sabem o que coletar de informações

As informações coletadas devem ser de qualidade e bem definidas para que os dados gerados sejam de qualidade na tomada de decisão

Hoje, tem sistema para absolutamente tudo. Você já passou pela seguinte situação: Um amigo seu, dono de uma empresa, ta usando X ferramenta e está sendo muito bom, ele te indicou. Então você coloca na cabeça que precisa contratar também. Mas será que isso é para o seu negócio mesmo? Só porque você tem dinheiro pra investir nisso, não significa que você tem que fazer.

Varejo físico

4% do total do varejo é online no Brasil. Ainda é muito baixo diante do potencial. Mas a questão do online não é só em você ter o ecommerce da sua loja, mas é também estar online no momento em que o cliente inicia a jornada dele de busca por um produto ou serviço, o que o Google chama de Momento Zero da Verdade. Hoje, 68% das vendas do varejo , iniciam de forma digital e isso significa que as decisões de compra acontecem online e você precisa estar lá , no momento em que seu cliente está tomando a decisão.

Uma pesquisa da Deloitte, empresa mundial de consultoria, considerada entre as 4 maiores do mundo, indica que há 86% de chances de uma venda acontecer quando o produto, ou marca é vista antes no online. Podemos dizer que 8 a cada 10 pessoas com potencial de compra do seu produto antes deveria ver seu produto online. Faça um cálculo rápido usando seu ticket médio para saber quanto, em Reais, você pode estar perdendo em vendas. Estou falando para você, comerciante que possui uma loja física.

Você pode até não querer ter um ecommerce (não necessariamente é uma regra que todos devam ter) mas o que você NÃO pode é estar fora do online.

Supondo que você tem uma loja de 50m2, mas tem um mix de produtos que não cabem em toda a sua loja. O que você pode fazer? Pode ter um tablet no seu ponto de venda com os demais produtos disponíveis em seu estoque mas que não estão à disposição na loja. Isso é digitalizar o seu ponto de venda. No seu site você não precisa vender mas você pode ter ali todos os seus produtos disponíveis, preços, características, dicas de como usar melhor o produto.

Nos EUA, 25% das vendas acontecem pelo celular, dentro da própria loja. Isso não está longe de acontecer no Brasil, até porque já existem ferramentas tecnológicas para isso.

Como o varejista pode usar o mobile a favor?

Sabe-se que 60% da jornada de compra tem o uso do mobile. Isso significa que 6 a cada 10 clientes que entram na sua loja estão conectados ao celular pesquisando, comparando preços ao mesmo tempo que estão olhando os produtos.

Você pode usar isso a seu favor. Como?

Que tal ofertar WIFI com login no seu PDV (ponto de venda)? Isso pode te ajudar muito a aumentar base de clientes. Você poderá por exemplo ter uma informação básica que é quantidade de clientes que entram na loja versus quantos deles você tem na sua base. Estes são clientes que você poderá enviar um email ou fazer uma ligação, enviar um SMS com promoções para trazê-los novamente a sua loja.

Como os varejistas podem se beneficiar com big data?

Se você possui câmeras e sensores em sua loja, você já pensou em utilizar essas informações para criar um mapa de calor e detectar os pontos mais acessados da sua loja, e ter isso comparado com a posição dos seus produtos de maior rentabilidade, ou maior venda? Algumas varejistas já estão aplicando esse tipo de análise em seus negócios. O resultado disso é uma revolução na experiência do consumidor.

Big data está possibilitando otimização de layout, posicionamento de vendedores e até pontos de oferta de produtos.

Gerenciamento na nuvem

As soluções em nuvem (Cloud Computing) pode ser consideradas uma revolução no mundo dos negócios. Soluções de CRM em nuvem permitiram que empresas oferecessem melhor serviços aos clientes gastando menos, porque permitiu que um lojista adquira a assinatura de um CRM, sem ter custos com implementação e sem ter que instalar o software. Hoje, é possível para um lojista contratar ferramentas de CRM no modelo Saas (Software as a Service) - empresas que oferecem uma solução e geralmente cobram uma quantia mensal. A vantagem é que esse tipo de solução em nuvem, permite a integração de todos os canais, preparando a loja para uma estratégia multicanais, com maior sintonia entre o espaço físico e virtual da loja.

Bom, uma coisa é essa certa. Os varejistas de lojas físicas precisam repensar o papel e o valor geral da loja. Se o comportamento do consumidor muda, é óbvio que o formato de uma loja física também precisa mudar. Ganham aqueles que forem mais assertivos em implementar tecnologias que agreguem à experiência de compra do consumidor.

Acea Ratcheva
Acea Ratcheva Seguir

Consultora - Sebrae

Continue lendo
Indicados para você