[ editar artigo]

Projeto Foresight aponta um cenário tecnológico dos novos materiais nas construções inteligentes no Paraná

Projeto Foresight aponta um cenário tecnológico dos novos materiais nas construções inteligentes no Paraná

Em abril de 2018 foram definidos os temas estratégicos a serem trabalhados no âmbito do projeto denominado Foresight (previsão), por meio da aplicação da metodologia de previsão de cenário tecnológico no setor da Construção Civil. O projeto envolve empresas e instituições das regiões de Cascavel, Londrina, Maringá e Curitiba.

O trabalho visa a transferência de tecnologias e conhecimentos nas empresas locais, por meio de uma rede de instituições prestadoras de serviços tecnológicos. Dessa forma, torna-se possível a utilização de novos materiais, com foco na sustentabilidade. O cenário tecnológico desenhado pela metodologia Foresight mostra claramente que a utilização de novas tecnologias e materiais é considerada um fator de competitividade reconhecido pelo mercado.

De fato, os indicadores levantados nas quatros cidades pesquisadas confirmam uma tendência já consolidada em mercados como o da União Europeia. Por lá a aplicação de novos materiais, nas chamadas construções inteligentes, tem proporcionado um desempenho energético melhor, agregando valor aos empreendimentos, que apresentam preços de mercado superiores aos das construções tradicionais. (Fonte: ANCE - Associazione Nazionale Costruzione Edili, Italia).

O próximo passo é a organização das cadeias produtivas locais, com a inserção de uma visão compartilhada de futuro sobre a utilização de novos materiais (como mostrado no cenário tecnológico). Faz parte da nova etapa também um trabalho em rede e de formação de uma governança que possa apoiar a transferência das tecnologias e conhecimentos necessários para aumentar a competitividade das empresas. Consequentemente, ganha também o território como um todo, criando assim um ecossistema e um ambiente propícios à disseminação de inovação.

Exemplo da classificação energética utilizada no mercado europeu visando agregação de valor reconhecido pelo mercado nas construções sustentáveis e inteligente.

A imagem mostra um exemplo da classificação energética calculada com base da capacidade de isolar, o ambiente interno da casa mantendo as temperaturas quentes no inverno e frio no verão gastando menos energia possível.

Quanto maior a classe (por exemplo, classe A vs. classe G) da habitação, maior é o valor de mercado. Para realizar uma casa de cale A é necessário hoje utilizar novos materiais ligados a implementação de tecnologias e inovações sustentáveis.

Emilio Beltrami

Especialista internacional na definição de cenário tecnológicos nas cadeias produtivas locais. Diretor da empresa Conect com sede em Brasília e Pesaro (Itália).

Ler matéria completa
Indicados para você