[ editar artigo]

Conheça os principais erros que empreendedores cometem em seus negócios e saiba como corrigi-los!

Conheça os principais erros que empreendedores cometem em seus negócios e saiba como corrigi-los!

Ser empreendedor é um grande desafio e no começo da carreira empreendedora é comum cometer erros na gestão do negócio, visto que você é responsável por fazer tudo na empresa, passando pelos 3 níveis de gestão (estratégico, tático e operacional) em todas às áreas de gestão (planejamento, finanças, marketing/vendas, pessoas, processos, etc). Então, fica a dúvida: quais os principais erros que empreendedores cometem na gestão do negócio e como corrigi-los?

 

Planejamento

1) Não fazer planejamento: infelizmente existem muitos empreendedores adeptos ao “fazejamento”, desta forma, segundo pesquisa realizada pelo Sebrae, não é à toa que um dos 3 principais motivos de mortalidade das pequenas empresas no Brasil é a ausência de planejamento, acompanhada de falta de comportamento empreendedor e gestão deficiente. A solução aqui é simples – planeje – tenha objetivos, metas e indicadores que garantam a sobrevivência e o crescimento do negócio.

 

Finanças

2) Misturar as finanças pessoais com as finanças da empresa: você jamais saberá os resultados reais dos indicadores financeiros do seu negócio (lucratividade, rentabilidade, ponto de equilíbrio, etc) se cometer este erro, além disto terá grandes dificuldades para calcular corretamente o preço de venda de seus produtos e serviços. Determine um pró-labore (salário) mensal para você, seja com base no que pagaria para um funcionário fazer o que você faz ou com base no valor que precisa para pagar suas despesas pessoais.

3) Fazer controles financeiros de cabeça ou no papel: independentemente do tamanho do seu negócio, é humanamente impossível fazer todos os controles financeiros da empresa de cabeça, até mesmo os controles básicos como controle diário do caixa e/ou fluxo de caixa. Adquira um software gratuito ou pago (existem boas versões em torno de R$130,00) para fazer a gestão do seu negócio, assim você organizará e padronizará o seu negócio, além de lhe sobrar mais tempo para pensar e agir de forma estratégica ao invés de fazer “gestão bombeiro” e ficar apagando incêndios o dia todo.

4) Usar a “matemágica” para formar preço de venda: se você forma preço de venda de seu produto/serviço multiplicando por um número mágico tome cuidado, pode ter muito prejuízo fazendo isto e ainda ter a ilusão que terá lucro. A formação de preço de venda deve ter por base custos fixos (paga-se todo mês), custos variáveis (paga-se de acordo com o volume de compra/venda), lucro (resultado da diferença de entradas – saídas), modelo de negócio (diferenciais competitivos) e a concorrência.

5) Não lançar tudo nos controles financeiros: não é incomum encontrarmos empreendedores que desconsideram nos controles financeiros informações importantes como pró-labore, depreciação de máquinas e equipamentos, despesas com alimentação, hospedagem, combustível e pedágio quando fazem compra de mercadorias e chegam ao final do mês com um mistério de para onde foi o dinheiro. Não caia na tentação do “depois eu lanço” ou “um pouquinho não faz diferença”, alguns gargalos somente serão identificados quando controlados com indicadores, lance todas as entradas e saídas de dinheiro para garantir um bom controle e gestão do negócio.

 

Marketing e Vendas

6) Não pesquisar/acompanhar o mercado: os clientes atuais estão cada vez mais exigentes, conectados e acompanhando as tendências, então, se o empreendedor não ficar atento pode acabar sendo “demitido” pelo mercado. Abrir ou ter um negócio que não exista concorrência no mercado é algo quase impossível na atualidade, somado ao perfil do cliente atual torna-se imperativo que o empreendedor identifique os FCS (Fatores Chave de Sucesso) de seu segmento de atuação, compare sua empresa com a concorrência em relação a estes fatores e tome as providências necessárias para se destacar e ser especialista em um ou mais fatores.

7) Marketing digital não profissional ou inexistente: seja por desconhecimento ou por falta de conhecimento técnico no assunto, muitos empreendedores ainda resistem a este tipo de tecnologia e alguns utilizam de forma amadora. Marketing digital não é moda ou tendência, mas sim algo que chegou para ficar, então ou você busca o conhecimento básico necessário para usar excelente canal de marketing, vendas e relacionamento, ou contrata um profissional para fazer por você, do contrário sua empresa não será vista, lembrada ou reconhecida na Internet, o que pode ser extremamente prejudicial ao seu negócio.

8) Não ouvir o cliente atual: são poucas pequenas empresas que fazem pesquisa de satisfação, acham que é algo somente para grandes empresas. Neste caso, destaco aqui uma constatação de um dos principais consultores de marketing da atualidade, o norte-americano Philip Kotler, ele diz que conquistar novos clientes custa entre 5 a 7 vezes mais do que manter os já existentes, então o empreendedor precisa fazer pesquisa de satisfação para ter feedback de seus clientes e, com base nos resultados, criar estratégias de fidelização e aumento do ticket médio (Faturamento R$/ N.º de Vendas Realizadas).

9) Não saber vender: existem muitos vendedores, mas poucos consultores de vendas, enquanto o primeiro está preocupado em vender produtos/serviços, o segundo vende soluções para as necessidades, problemas e desejos do cliente. Sua empresa precisa ter consultores de vendas, vender é um processo em que é necessário conhecer muito bem o mercado (cliente, concorrência, fornecedores e tendências), para isto o empreendedor deve pesquisar e conhecer ferramentas valiosas como mapa da empatia, persona, jornada de compra do consumidor e funil de vendas para profissionalizar seu processo de vendas, treinar sua equipe e aumentar suas chances de sucesso.

 

Pessoas e Processos

10) Não se desenvolver enquanto líder/empreendedor: infelizmente uma parcela significativa de empreendedores é escrava do próprio negócio, alguns até conseguem tirar uma sobra de dinheiro como pró-labore. Talvez, esta situação aconteça por não se verem como protagonistas do negócio, aquele faz acontecer, que não irá colocar a culpa no mercado (governo, concorrência, fornecedor, cliente, etc) pelo insucesso da empresa, ou seja, eles não se veem como líderes pois, mesmo que tenham sucesso no início trabalhando sozinho, caso o negócio cresça ele terá o desafio de montar uma equipe que lhe ajude a continuar o sucesso, então a melhor solução aqui é se desenvolver enquanto líder e empreendedor.

11) Não investir no desenvolvimento da sua equipe: a justificativa para este erro é quase sempre a mesma “não vou investir em meu funcionário porque depois ele sai”, desta forma, neste tipo de situação, peço para que o empreendedor faça a reflexão do contrário, ou seja, e se não investir no funcionário e ele ficar. São inúmeros os empreendedores de sucesso que também são grandes líderes, estas duas habilidades caminham juntas, sendo que em ambos os casos você precisará de uma boa equipe, a qual se constrói com treinamento e desenvolvimento.

12) Falta de processo de recrutamento/seleção estruturado: grande parte das pequenas empresas no Brasil são familiares, isto contribui com o erro de contratar funcionários tendo como motivo principal o fato de ser parente. Não é errado contratar parente para trabalhar dentro de um negócio, porém, deve-se também levar em consideração outros fatores como: conhecimentos, habilidades, atitudes, experiências e compatibilidade do perfil do futuro funcionário com os objetivos, missão, visão e valores da empresa e perfil da equipe da qual fará parte.

13) Falta de padronização de processos: este erro está relacionado ao pensamento de curto prazo do empreendedor ao pensar que como sempre será ele que fará tudo não é necessário padronizar. A padronização de produtos, processos e serviços não é somente para permitir que outras pessoas continuem a fazer o que você sempre fez, ela é importante também para garantir qualidade, otimização de recursos, redução de custos e perdas, base para formação de preço de venda e permite a ampliação do negócio, pode torna-lo escalável e replicável (franquia e filiais).

 

Agora que você já conhece os principais erros cometidos pelos empreendedores e sabe como corrigi-los, reflita se você comete um ou mais destes erros e, em caso positivo, faço um plano de ação para corrigir logo. Se você deseja conhecer mais soluções para combater os erros acima, leia meus outros artigos disponíveis em meu blog, acesse: https://clubesebrae.com.br/@rafaelsoz

Clube Sebrae
Rafael Souza
Rafael Souza Seguir

Analista de Negócios e Palestrante do Sebrae-SP no Escritório Regional de São José dos Campos, Empreteco, Agente Local de Inovação, formado em TI, especialista em Gestão de Pessoas e em Gestão Estratégica de Negócios.

Ler matéria completa
Indicados para você