Como o cenário econômico atual impacta no crescimento dos negócios?
[ editar artigo]

Como o cenário econômico atual impacta no crescimento dos negócios?

A economia brasileira começa a dar sinais de que pode estar se recuperando da pior crise econômica de nossa história, mas para milhares de empresas que fecharam as portas durante esse período, haverá ainda um longo caminho até a retomada.

Por outro lado, diversas empresas que praticam técnicas mais apuradas de gestão aproveitaram essa fase não apenas para se manterem ativas, mas também para aperfeiçoar suas estruturas e se prepararem para liderar o mercado em que atuam. Como essas empresas fizeram isso? Com controle rigoroso de suas operações, associado a estratégias de modernização e divulgação.

Controle de custos e despesas

Em uma situação de cenário econômico adverso, algumas atitudes são fundamentais para que a empresa possa, não apenas sobreviver, mas se preparar para retomar suas atividades de forma bem posicionada perante os concorrentes quando a crise passar. Entre essas atitudes é possível destacar o controle de custos e despesas.

Controlar o quanto a empresa gasta é algo que deve ser feito cotidianamente pelo empreendedor, mas são tantas as demandas diárias que essa tarefa acaba não sendo executada da forma como deveria. O básico do controle de custos e despesas para um período de crise é a realização do corte daquilo que não impacte diretamente na qualidade dos produtos e serviços.

É o caso, por exemplo, da redução do volume de estoque de uma pizzaria. O proprietário pode estar acostumado a adquirir certo volume de insumos e lidar com a perda de um percentual mensal (produtos que se estragam antes de poderem ser utilizados) porque considera mais prático dispor de tudo à mão do que ter que fazer as compras com mais frequência. Ao mudar esse comportamento, fazendo o estoque girar mais rapidamente, a empresa poderá economizar o suficiente para compensar parte da perda de receita de vendas.

Outro exemplo é uma empresa que está habituada a despender recursos para o pagamento de horas extras aos seus funcionários. O recurso da hora extra precisa ser uma exceção e não uma regra. Para reduzir essa despesa é necessário analisar o porquê de sua ocorrência, sendo que os motivos mais frequentes estão relacionados com processos ineficientes, falhas de sistema e erros na alocação da mão de obra. 

Para reduzir essa despesa, a primeira providência deve ser o estabelecimento de uma meta com trajetória em declínio, ou seja, a quantidade de horas extras precisa diminuir a cada novo período de medição. É necessário também atuar sobre o principal gerador de horas-extras, seja um determinado funcionário, equipe ou processo.

Com essas duas medidas será possível obter resultados rápidos, mas é preciso acompanhar o andamento dessas ações para não gerar impactos negativos no fluxo de atividades. Pode-se dizer que as palavras-chave aqui são controle e flexibilidade.

Modernização de processos

Tomar medidas para reduzir despesas é de suma importância, mas é igualmente importante analisar se os processos da empresa (as rotinas de trabalho) estão produzindo os resultados esperados ou se precisam ser aprimorados. 

Note que grandes empresas, quando enfrentam momentos de crise econômica ou impactos gerados pela atuação de concorrentes, normalmente modificam processos de forma a gerar economia e aumentar sua eficiência. Empresas de médio e pequeno porte também podem se beneficiar desse recurso, desde que a mudança seja bem planejada e devidamente executada.

É o caso por exemplo de uma padaria que há quase 50 anos faz uso dos bilhetes de papel para anotar os pedidos e para registrar o valor total da conta do cliente. Embora seja um modo simples e rápido para o dia-a-dia, ele também é sujeito a falhas e carece de eficiência. 

Um sistema informatizado poderia evitar falhas na anotação dos pedidos, reduzindo a insatisfação de clientes e evitando erros na cobrança. Isso também poderia agilizar o atendimento, visto que o garçom não precisaria ir à cozinha entregar os pedidos, além de permitir um controle parcialmente automatizado do estoque. O investimento inicial pode ser alto, mas ele vai garantir um bom retorno no decorrer do tempo.

Outro exemplo de mudança de processo é a adoção de aplicativos de mensagens para a comunicação com os clientes, especialmente no caso de microempreendedores individuais. Essa alternativa é mais barata do que ligações telefônicas e geralmente é mais rápida do que apenas enviar um e-mail. 

Com essa ferramenta o empresário pode posicionar seus clientes (individualmente ou em grupos) quanto ao status da execução de um serviço, consultá-los sobre a reposição de produtos e até mesmo realizar campanhas promocionais. 

É preciso, no entanto, estar atento quanto às regras de uso da ferramenta selecionada e ter ciência de que a autorização expressa dos clientes é fundamental, para evitar reclamações. Se houver dúvida, consulte um especialista para saber mais sobre a adoção desse recurso.

Investimento em marketing

Publicidade é a alma do negócio. Essa frase bastante conhecida, embora antiga, continua tão atual quanto seu propósito. A propaganda e o marketing são elementos fundamentais para dizer ao cliente o que sua empresa tem a oferecer. Você pode ter o melhor produto do segmento em que atua e ainda oferecer preço e condições de pagamento bastante atrativas, mas se o cliente não souber disso você não conseguirá “vender seu peixe”.

No passado a propaganda era feita principalmente por meio do método boca-a-boca, tendo passado para as mídias impressas, rádio, televisão e mais recentemente internet e suas muitas ferramentas.

Todos esses meios ainda continuam sendo usados, em proporções diferentes e de acordo com o nicho de atuação do anunciante, mas os casos mais recentes de sucesso estão relacionados com empresas que fazem uso de recursos audiovisuais que são disseminados ao público por meio de redes sociais, blogs e anúncios em websites.

Lembre-se ainda que o cliente precisa, não apenas conhecer sua empresa, seus produtos e seu preço, mas também ter referências vindas de outros clientes que tiveram uma boa experiência ao fazer negócios com você. O boca-a-boca continua sendo uma das melhores formas de marketing.

Endividamento

Não é incomum ouvir falar sobre empresas que quebraram por causa de dívidas, mesmo que suas atividades e nicho de atuação as permitissem sobreviver em cenários econômicos adversos. Isso se deve muitas vezes a um mau planejamento e ao estudo impreciso das forças do mercado.

Antes de contrair um empréstimo é importante determinar se esse recurso realmente é fundamental naquele momento. Em alguns casos o empreendedor pode estar animado com o desempenho de seu negócio e acreditar que é o momento para uma expansão, mas isso pode ser uma estratégia inteiramente equivocada se os sinais do mercado estiverem indicando uma retração adiante.

Este é o caso de muitas empresas que buscaram empréstimos nos meses que antecederam a atual crise e se colocaram em uma situação de fluxo de caixa incompatível com suas obrigações de curto prazo.

O comportamento ideal é manter-se informado sobre os sinais do mercado, lendo o noticiário econômico, blogs sobre economia e até mesmo aprendendo a analisar os principais indicadores econômicos. 

Uma vez que o empresário esteja bem informado sobre a conjuntura atual, ele poderá determinar com mais propriedade se é ou não um bom momento para contrair um empréstimo destinado à expansão ou modernização dos negócios. Vale ressaltar que empréstimos, em geral, não devem ser usados para reforçar fluxo de caixa, exceto aqueles que são destinados especificamente para essa finalidade.

Planejamento de longo prazo

Momentos de cenário econômico desfavorável são especialmente úteis para a execução de planejamentos de longo prazo. Com a atividade em baixa o movimento de clientes costuma ser reduzido e o empresário poderá aproveitar o tempo disponível para pensar em novidades para seus produtos e serviços, pesquisar o mercado (interno e externo) em busca de tendências e novidades, além de investir em treinamento para seus funcionários e em seu próprio aprimoramento. A chave para o sucesso é buscar continuamente pelo aperfeiçoamento do negócio.

Clube Sebrae é um blog colaborativo e você pode fazer parte dele também! Conecte-se aqui com a maior rede de empreendedores do Brasil. Faça seu cadastro e navegue à vontade!

Continue lendo
Indicados para você