[ editar artigo]

6 lições dos palhaços sobre a arte de se comunicar

6 lições dos palhaços sobre a arte de se comunicar

Faz 25 anos que o grupo Doutores da Alegria proporciona momentos de felicidade a pacientes em hospitais. Os membros do grupo são pessoas que doam seu tempo para aprender a ser palhaço de hospital e alegrar quem está lá. Não basta pintar o rosto. É preciso aprender a se comunicar de uma maneira especial, conseguir “ler” as emoções dos outros, unir corações.

E não é de hoje que os palhaços são os reis da comunicação. É só se lembrar do sucesso na televisão do palhaço Bozo, que ganhou uma biografia ficcionalizada nos cinemas, “Bingo, o Rei das Manhãs” – vale a pena assistir, inclusive! – para entender do que estou falando.  

Com isso em mente, revelo a seguir seis lições que os palhaços profissionais têm a ensinar para você e sua empresa sobre a arte de se comunicar. Acompanhe!

Essa comunicação é tão importante que faz parte de alguns pontos levantados no Caderno de Tendências do Sebrae. Vamos falar aqui sobre Conexão de Pessoas. Ou seja, tudo o que promova a interação entre indivíduos e que facilite a comunicação intraempresarial e facilite tarefas e processos.

1 – Fale para grupos como se fossem indivíduos.

Empresários e empreendedores muitas vezes têm que falar para várias pessoas ao mesmo tempo. Sua equipe, membros de entidades patronais, clientes. O mesmo acontece com palhaços, que muitas vezes executam suas performances em circos ou teatros lotados, com centenas e centenas de pessoas. Mas eles sabem construir um nível de intimidade tal que parece que falam com um só membro da plateia. Um membro, não. Você!

Para conseguir esse nível de comunicação, o mais importante de tudo é você sempre falar como se você estivesse falando com uma pessoa só. Para isso, organize suas ideias como se você estivesse se preparando para conversar com um cliente, um fornecedor etc. Nem pense em agradar todo mundo. Pense em como entregar sua mensagem para uma pessoa. Quanto mais pessoal e direta sua comunicação for, mais eficaz será sua mensagem. Isso simplifica tudo.

2 – Seja direto e específico.

Uma torta na cara é uma torta na cara, não há o que discutir. Algumas pessoas acham que, para se comunicar bem, principalmente em frente a um grupo de pessoas, é preciso buscar palavras mais elegantes e rebuscadas, ou buscar a maneira mais refinada e sutil de apresentar suas ideias. Nada mais falso. Quanto mais direto e específico você for, melhor será sua comunicação.

Isso não quer dizer ser rude ou seco. Mas, se você precisar falar que sua empresa está perdendo clientes para os concorrentes, fale com todas as palavras. Depois, use números e dados que apoiem sua afirmação, mas primeiro tenha certeza de que todos saibam exatamente sobre o que você está falando.

Da mesma forma, evite usar muitos jargões. É natural que empresas desenvolvam expressões próprias que, ligadas às palavras que só se usam em ambientes empresariais ou administrativos, podem fazer com que seu discurso se torne uma linguagem estrangeira para possíveis clientes ou parceiros.

3 – Interaja com sua audiência.

Os Doutores da Alegria vão até o paciente e não fazem um show. Eles interagem, perguntam, ouvem, fazem piadas com o que ouvem e veem. Fazem rir trazendo os hospitalizados para perto, para dentro de seu universo de maquiagem e alegria.

O mesmo acontece com os melhores comunicadores empresariais. Se você quer se conectar com pessoas, tenha certeza de que sua comunicação seja de duas vias. Estimule perguntas, pergunte a opinião da pessoa e se conhece histórias pessoais que ilustrem o que você diz, peça que ela dê exemplos.

Se, nas suas reuniões, negociações etc., sempre é a sua voz que é ouvida antes de se despedirem, talvez alguma coisa esteja errada. Escute para se comunicar. E escutar não significa apenas deixar que outras palavras ocupem o ambiente. Você deve prestar atenção na mensagem – não tenha medo de dizer que não entendeu –, bem como no tom, velocidade e volume da voz de seu interlocutor. Para isso, nada de já ir imaginando a resposta enquanto o outro fala. Se for preciso, reforce a mensagem com expressões como “Então, você está me dizendo que tal serviço precisa ser cancelado, é isso?”. Dê a ele toda a sua atenção.

4 – Emocione.

Se existe uma forma de comunicação na qual os palhaços são especialistas, é a emoção. Muitas vezes, ficamos com uma performance desses profissionais na cabeça por meses. É o esperado, afinal, eles sabem usar a emoção.

As pessoas dificilmente esquecem como você as faz se sentir. Para se conectar emocionalmente, abuse da imaginação das pessoas, use expressões como “visualize”, “imagine”, além de ilustrar sua comunicação com histórias.

5 – Não é hora nem local de pensar em sua autoridade.

Pense em um circo. O que eles anunciam? Algum número espetacular de trapézio, globo da morte, equilibrista. Dificilmente um palhaço está sob holofotes. Algumas vezes, são usados para distrair o pessoal enquanto a equipe desmonta os aparatos de um número e prepara o próximo. Ainda assim, são eles que conseguem as maiores reações da plateia!

Assim como o palhaço não se preocupa em afirmar sua importância, quando você está se comunicando ou negociando, não se preocupe em reforçar sua autoridade ou status. Ao contrário, use a empatia para fazer a outra pessoa se sentir valorizada. Novamente, isso se consegue fazendo perguntas e se interessando pelo que o outro tem a dizer. Deixe seu ego na porta e se concentre em realmente entender o seu interlocutor. O que nos leva a...  

6 – Preste atenção à linguagem corporal.

Palhaços de hospital frequentemente se deparam com acompanhantes de pacientes que não gostam nem um pouco de sua presença ali. E, mudando um pouco de área, todo comediante de stand-up sabe como enfrentar o engraçadinho da plateia que tenta arruinar o show.

Aprenda a identificar as pessoas que já vão a seu encontro com a ideia fixa de não concordar com nada do que você irá dizer. Certamente você já ouviu dizer para evitar pessoas que não olham direto nos olhos. Mas existem outros sinais. Corpo tenso, inclinado para trás, e outras dezenas de pequenos sinais que se percebem com o tempo.

E uma última dica: visite a página www.doutoresdaalegria.org.br e considere fazer uma doação. Fazer o bem faz-nos sentir melhor, e sorrir melhora sua comunicação!

Quer saber mais sobre a macrotendência da ultra-conectividade e conhecer outras grandes tendências mapeadas pelo Sebrae-PR? Baixe o Caderno de Tendências, material que é o ponto de partida para as nossas descobertas no Sebrae Trends. 

E para não perder as atualizações do projeto Sebrae Trends aqui no Clube do Empreendedor Sebrae, siga a nossa revista clicando aqui.

Leia também:

LUSH ensina como praticar inovação sustentável

Case Flying Tiger: inspiração para você divertir seus clientes, construir uma marca forte e vender mais

Infográfico: Os seis sentidos da compra

Resolvendo os problemas dos clientes. Um de cada vez!

MUJI - Qualidade e simplicidade como branding

Clube Sebrae
Brasílio Andrade Neto
Brasílio Andrade Neto Seguir

Redator especialista em vendas e marketing

Ler matéria completa
Indicados para você