[ editar artigo]

Delivery de tempo: como Curitiba Messenger e James Delivery fazem isso

Delivery de tempo: como Curitiba Messenger e James Delivery fazem isso

A falta de tempo é uma realidade. Considerando que mais de 60% dos brasileiros sofrem com a sobrecarga de tarefas ao longo do dia, segundo pesquisa do International Stress Management Association Brasil, é evidente que alguém precisa dar um jeito de ajudar nas demandas diárias.

Com um apoio da tecnologia, é possível desenvolver alternativas e ainda criar negócios. Mercado a gente sabe que não falta. Inclusive, escassez de tempo virou até tendência no Caderno de Tendências do Sebrae. Em um mundo onde tudo é pra ontem, é preciso estar atento e ver nos detalhes as possibilidades.

Por sinal, foi o que fez a James Delivery. Os quatro amigos estavam cozinhando quando acabou o sal e a pimenta. Bom, se deslocar no meio do processo atrasaria tudo, então eles contactaram ubers - que não puderam atender a demanda. Mas a oportunidade deu um click: que tal criar um delivery que entregue de tudo?

A ideia foi implementada no ano passado e a empresa já cresceu 15 vezes em 15 meses. Além de Curitiba, o negócio está em Balneário Camboriú e São Paulo. Entrega comida, martelo, teste de gravidez, remédios e tudo que você precisar. A ideia é que a comodidade e o diferencial transformem o James, além de um serviço, num amigo que quebra o galho para você. Afinal, além dos estabelecimentos cadastrados, é possível pedir também daqueles lugares que ainda não estão no aplicativo - ele identifica pelo Google e te dá a opção.

As entregas são feitas, na grande maioria, por universitários, como complementação de renda, e que usam bicicleta, carro ou moto. Elas são feitas em até 1 hora e além do valor do produto, o app cobra uma taxa de conveniência de 10% sobre o valor do produto pedido + a taxa de entrega de R$ 6,99 para pedidos até 3 km de distância. Após essa distância, é cobrado R$2,50 por km.

No início, os sócios Juliano Hauer, Ivo A. Roveda, Eduardo Petrelli e Lucas Ceschin também faziam entregas, o que foi fundamental para entender a dinâmica do trabalho e como melhorar o serviço. Hoje eles se dividem entre as funções administrativas da empresa e esperam que o crescimento continue. A ideia é atingir mais capitais no próximo ano.

Curitiba Messenger move a cidade com entregas de bike

Quem sacou essa ideia também foi o Curitiba Messenger, mas de um outro jeito. Eles são conhecidos por vários nomes: mensageiros, entregadores, couriers, bikeboys. O nome do coletivo, no caso, é uma referência ao termo original em inglês – bike messengers. No Brasil, a cultura da ‘mensageria’ (termo derivado de ‘mensageiro’) é ainda recente, mas sua história no mundo é tão antiga quanto a própria bicicleta.

Hoje o serviço de entregas de bicicleta, sendo mais econômico, inteligente e rápido, passou a ser uma alternativa ao transporte motorizado, inclusive no Brasil. E mais do que quantidade, a Curitiba Messenger preza pela qualidade das entregas. E é assim que os meninos da bike vão ganhando as ruas de Curitiba e clientes que se encantam com o trabalho.

Com um valor atrativo, o serviço se tornou uma opção segura e viável para muitos segmentos. Além da questão sustentável, eles são mais rápidos e resolvem o que for preciso. Inclusive, atendem aquelas pessoas com rotinas corridas e que precisam se virar nos 30 para resolver perrengues do dia a dia. Isso porque o Bike Messenger deu um jeito de unir trabalho, estilo de vida e ainda quebrar um galho das pessoas que não conseguem mesmo um tempinho para sair comprar almoço ou levar um documento na secretaria da universidade, por exemplo.

Para eles, a profissão mostra que independente de segunda ou sexta, sol ou chuva, eles precisam estar na rua e fazer o que é preciso. A subida é compensada com o vento da descida e as fechadas dos carros são logo trocadas por uma cidade em movimento, tão próxima e possível para quem optou por esse ofício. O principal atrativo para quem escolhe a profissão é poder trocar rotinas engessadas pela liberdade do pedal.

Com esses 5 anos de entrega como Curitiba Messenger, o que eles perceberam é que, além de pensar no meio ambiente ou na agilidade do serviço, o que ganha o coração dos clientes é o modo como eles se apresentam. Depois de alguns quilômetros rodados, eles chegam sorridentes - os estudos comprovam que quem anda de bike é mais saudável e mais feliz. A empatia que acontece ali, longe de qualquer automação, é verdadeira. O serviço, que seria uma simples entrega, se transforma em uma confraternização.

Eles rompem com um dos grandes desafios das empresas que é ter um relacionamento próximo com os clientes. Fazem as entregas pessoalmente, mas resolvem várias coisas de forma prática e acessível  por telefone, Whatsapp e Facebook - principalmente o agendamento das entregas.  

E o modelo de negócio deles é crescer de forma saudável para todo mundo. Por isso não estão pensando em franquias ou em um boom no mercado, com vários entregadores. Eles prezam pela qualidade e querem que o negócio seja feito pelas 5 pessoas que hoje estão no coletivo. O objetivo é primeiro se estabilizar entre eles e suprir a necessidade dos clientes da melhor maneira possível. Vão cabendo no que podem fazer hoje.

Curtiu e quer implementar no seu negócio essa ideia de resolver a escassez de tempo? Então olha:

Como tarefas rotineiras podem ser atendidas por um negócio?

Como oferecer soluções práticas com base nos hábitos de seus consumidores?

Como produtos e serviços podem contribuir para facilitar as tarefas dos clientes?

E não esquece de seguir o Sebrae Trends para acompanhar o mundo das tendências de perto.

Clube Sebrae
Ricardo Dória
Ricardo Dória Seguir

Empreendedor, fundador da Aldeia e co-fundador da A Grande Escola. Alumni da Global Shapers Community, doutorando em computação, mestre em administração.

Ler matéria completa
Indicados para você