[ editar artigo]

Guia prático para desenvolver uma cultura de inovação em sua empresa

Guia prático para desenvolver uma cultura de inovação em sua empresa

Você já deve ter ouvido a expressão “pensar fora da caixa”, que significa ter uma visão diferenciada, sair do padrão. Muitas organizações reivindicam esse pensamento criativo e inovador em seus colaboradores. Mas o problema é que, ao mesmo tempo, grande parte delas não apoia os profissionais que realmente almejam “sair da caixa” e fazer a inovação acontecer.

O que diferencia as empresas inovadoras das demais é que elas incentivam a inovação. Elas dão a escada, jogam a corda e até derrubam as paredes da caixa para que os profissionais consigam enxergar além – e fazer mais do que se espera que eles façam.

Na prática, apoiar os colaboradores a pensar fora da caixa significa ter uma cultura organizacional focada na inovação, com processos e metas estabelecidas para apoiar a geração e o desenvolvimento de novas ideias.

A seguir, aprenda importantes lições com uma das empresas mais inovadoras do mundo e conheça algumas ferramentas que ajudarão sua empresa a desenvolver uma cultura de inovação.

A raiz do problema da inovação nas empresas

A capacidade de se adaptar e inovar de acordo com as mudanças do mercado sempre foi um fator crucial para a sobrevivência das empresas. No entanto, em uma era em que as transformações acontecem de maneira cada vez mais rápida e profunda, a habilidade de inovar de forma estratégica transforma-se em um requisito básico para qualquer negócio.

No entanto, apesar de grande parte das organizações entenderem a importância da inovação, poucas conseguem alcançar resultados efetivos em suas tentativas nesse sentido. A verdade é que ainda há um grande gap entre expectativas e resultados quando o assunto é inovação.

Em um recente estudo global realizado pela PriceWaterhouseCoopers (PwC), 54% dos executivos entrevistados disseram ter dificuldade em alinhar a estratégia de inovação com os objetivos do negócio. Você também enfrenta essa dificuldade?

Saiba que o problema pode estar na gestão.

De nada adianta investir em projetos inovadores e criar programas que incentivem a inovação se a cultura da sua empresa não abraçar e incentivar o jeito inovador de pensar e atuar em cada área e processo. Ou seja, a inovação não pode ser um departamento ou projeto isolado, precisa ser incorporada ao pensamento global da empresa.

Quando a inovação faz parte da cultura organizacional, as chances de que a empresa consiga inovar com sucesso são muito maiores. Afinal, dessa forma, todos estarão envolvidos e focados nesse objetivo.

A base para uma cultura de inovação

Uma cultura de inovação requer:

  • Pessoas criativas;
  • Metas desafiadoras;
  • Investimentos direcionados.

É o que garante Camila Cruz Durlacher, diretora de Pesquisa e Desenvolvimento da 3M do Brasil – marca que é referência mundial em inovação.

Além disso, de acordo com Camila, um ambiente organizacional propício à inovação demanda tolerância ao erro, foco no futuro e desapego com os sucessos do passado. Assista à entrevista que fizemos com ela e aprenda mais lições sobre como desenvolver uma cultura de inovação:

10 passos para desenvolver uma cultura de inovação

Inovação é criação de valor – tanto para quem usa o produto, para os clientes, quanto para a empresa. Essa coisa nova que você quer ofertar precisa impactar no resultado da organização – gerar venda, margem etc.”, aponta Luiz Eduardo Serafim, Head de Marketing da 3M do Brasil.

Em entrevista exclusiva ao Sebrae Trends, Serafim indica que esse esclarecimento sobre o que é inovação é a etapa número um para construir uma cultura propícia a gerar ideias inovadoras e que tragam resultados efetivos.

Na conversa, o executivo também falou sobre os 10 passos fundamentais para desenvolver uma cultura de inovação. Saiba quais são eles assistindo ao vídeo:

Ferramentas para construir uma cultura inovadora

Engana-se quem pensa que inovação e criatividade são dons divinos, reservados apenas a alguns seres especiais. A inovação é um processo e, como em qualquer processo, demanda conhecimento, metodologia, estratégias e metas.

No ambiente organizacional, o processo de inovação precisa ser apoiado por uma cultura focada nesse sentido, como você acabou de aprender com os especialistas em inovação da 3M.

Agora, como colocar tudo isso em prática?

Uma das principais dificuldades que as empresas encontram para inovar é aplicar o pensamento criativo na prática de forma eficiente. Em outras palavras: tirar ideias do papel e obter resultados efetivos por causa delas.

Pensando em ajudá-lo nesse sentido, listamos a seguir algumas ferramentas metodológicas que podem servir de apoio para que o processo de inovação aconteça com sucesso em sua empresa.

Confira!

MATRIZ SWOT – para identificar oportunidades de inovar

SWOT é uma sigla em inglês para:

  • Strengths (forças);
  • Weaknesses (fraquezas);
  • Opportunities (oportunidades);
  • Threats (ameaças).

A matriz SWOT é utilizada para realizar uma análise do cenário do mercado e direcionar a gestão estratégica da empresa de acordo com as informações coletadas. Essa ferramenta ajuda a identificar as forças e as fraquezas do ambiente interno (na empresa), e as oportunidades e ameaças do ambiente externo (no mercado/concorrência).

Essa análise contribui para a criação de processos inovadores porque leva em conta todos esses diferentes fatores. Basicamente, ela ajuda a ampliar a visão dos profissionais, incentivando-os a pensar fora da caixa.

  • Analisando as forças, a empresa pode entender onde deve focar as ações de inovação;
  • Analisando as fraquezas, é possível pensar em ideias criativas para superar tais dificuldades;
  • Analisando as oportunidades, dá para identificar uma área de mercado com potencial para ser explorada;
  • E analisando as ameaças, é possível criar estratégias inovadoras para lidar ou mesmo evitar os perigos externos.

5W2H – para definir estratégias e ações de inovação

A sigla 5W2H diz respeito a cada um dos aspectos que precisam ser analisados e planejados no desenvolvimento de um projeto:

  • What (o quê) – do que se trata o projeto.
  • Why (por quê) – qual é o objetivo dele.
  • Where (onde) – onde ele vai ser realizado.
  • Who (quem) – quem serão os envolvidos nele.
  • When (quando) – quais são os prazos de execução.
  • How (como) – o que será feito para colocá-lo em prática.
  • How much (quanto) – qual será o orçamento.

Ao responder essas sete perguntas, você terá um mapa das necessidades e atividades a serem realizadas para que o projeto em questão seja efetivamente colocado em prática.

Essa ferramenta é muito útil no processo de inovação porque ajuda a identificar as melhores ideias e também a traçar um planejamento para a execução da ideia escolhida.

Muitos profissionais encontram dificuldade na hora de justificar investimento em inovação (não conseguem traduzir de maneira prática e objetiva a ideia criativa) ou na hora de executar os projetos nessa área.

O 5W2H irá direcionar de forma estratégica as ações que a empresa deverá tomar para que uma ideia se torne realidade e também indicará os resultados que deverão ser alcançados. É uma ferramenta que ajuda a transformar criatividade em um processo objetivo e estratégico.  

PDCA – para acompanhar a evolução das inovações

O ciclo PDCA ajuda as empresas a manter o planejamento em dia e a ajustar as ações quando necessário. A sigla tem origem nas palavras:

  • Plan (planejar);
  • Do (executar);
  • Check (verificar);
  • Act (agir).

O que acontece em muitas empresas é que os projetos são planejados e executados e, depois, acabam sendo “abandonados”. O objetivo do ciclo PDCA é justamente evitar que isso aconteça, focando na verificação constante e na melhoria contínua.

Em projetos de inovação, esse ciclo é extremamente importante. Como falamos anteriormente, para ser efetiva, uma ideia inovadora precisa estar alinhada ao mercado e aos objetivos estratégicos da empresa.

Como o mercado e os consumidores mudam constantemente, criar uma metodologia de acompanhamento contínuo é fundamental para entender se a inovação está trazendo resultados e identificar quando ela precisa ser ajustada.

CONSUMER TREND CANVAS – para analisar tendências e mudanças de mercado

Falando em mudanças de mercado e de consumidores, entender as principais movimentações globais e regionais relacionadas ao seu segmento e ao seu público também é crucial para conseguir inovar de forma efetiva – atendendo e/ou antecipando as necessidades dos seus clientes.

O coolhunting, modalidade de pesquisa e análise de tendências, ajuda a direcionar o olhar da empresa para as transformações mais importantes em seu mercado. Nesse sentido, recomendamos o uso do Consumer Trends Canvas, uma ferramenta prática que ajuda a fazer a leitura de uma tendência de consumo que pode resultar em uma ideia para um novo produto, serviço, campanha ou modelo de negócio.

Para aprender mais sobre como o coolhunting pode contribuir para a inovação em sua empresa e como utilizar o Consumer Trend Canvas, clique aqui e baixe nosso Guia Coolhunting: como identificar e analisar tendências e transformá-las em inovações.

Além disso, assista à entrevista que fizemos com a coolhunter Fah Maioli. A brasileira radicada em Milão (Itália) tem boas dicas para você que quer usar essa ferramenta em seu dia a dia profissional.

Essas ferramentas ajudarão sua empresa a criar processos de inovação mais alinhados à estratégia da empresa como um todo e, assim, contribuir para o desenvolvimento de uma cultura organizacional mais inovadora!

Mãos à obra!

Para mais informações e inspirações sobre como inovar, veja também:

Clube Sebrae
Francine Pereira
Francine Pereira Seguir

Jornalista baseada em Tóquio (Japão) e caçadora de tendências do Sebrae Trends.

Ler matéria completa
Indicados para você