[ editar artigo]

O que é uma startup e por que ela é diferente das outras empresas?

O que é uma startup e por que ela é diferente das outras empresas?

O que é uma startup?

O termo startup está entre as top 5 palavras mais mencionadas no universo do empreendedorismo. Tanto que o conceito de startup quase se confunde com o próprio conceito de empreendedorismo. Eu já ouvi coisas como: fulano tem uma startup que desenvolve aplicativos. Será que Fulano realmente tem uma startup?

O termo tem sido frequentemente utilizado para caracterizar empresas inovadoras no segmento de tecnologia, ou ainda, como no caso de Fulano, empresas na área de TI. No entanto, o termo startup já era utilizado muito antes dos anos 2000 para chamar qualquer empresa que estivesse em estágio inicial de desenvolvimento e operação do negócio. Esta talvez foi a primeira definição de startup que existiu.

Já nos anos 2000 para frente, influenciado por personalidades emblemáticas como Steve Jobs, Mark Zuckerberg e Larry Page (co-fundador do Google), e também pelo movimento dos investimentos em empresas de tecnologia, além do advindo de serviços na nuvem (cloud computing) que permitiam que  serviços passassem a ser globais ocasionaram a popularização do termo startup.

Atraídos por esse potencial de “escalabilidade” e pela possibilidade de ganho de valor de mercado de uma empresa em curto espaço de tempo, grandes grupos de investidores se voltaram para esse mercado, trazendo consigo trilhões de dinheiros.

Compreendendo esse breve contexto você percebe que não existe uma única definição de startup. Além disso, o termo vem sofrendo uma alteração do seu sentido original. Logo, a empresa de Fulano, pode ou não ser considerada uma startup, dependendo do que você entende por startup.

Veja abaixo algumas definições de pessoas bastante influentes no universo das startups.

Uma startup é uma entidade | organização criada para entregar um novo serviço ou produto em condições de extrema incerteza.  (Eric Ries, fundador do movimento Lean Startup)

 

“Startup é um modo de pensar” Adora Cheung, co-fundadora do Homejoy

 

Uma startup é uma organização criada para buscar um modelo de negócio repetível e escalável. Não tem muito a ver com a idade da empresa, mas se a empresa possui um modelo de negócio inovador.  (Steve Blank, empreendedor em série)

 

“Criar algo do zero” (Gidon Zundelevich, COO do Israel Innovation Institute)

 

“Startup é crescimento rápido, investimento alto e de alto risco, produto escalável com potencial para ser global” (Angela Zellweger, diretora - HelloNina)

 

As definições vão desde as mais genéricas como “empresas que criam algo do zero” até conceitos mais próximos do contexto de startup como objeto de investimentos, como é o caso do próprio Steve Blank que coloca como objetivo principal das startups encontrar um modelo de negócio que seja escalável.

Para mim, o conceito que se aproxima do meu entendimento é o do Eric Ries fala sobre ambiente de incerteza. Qualquer empresa que está num estágio de definição da sua proposta de valor e qual o seu público-alvo pode ser considerada uma startup. Concordo ainda com a ideia de que startup pode ser um mindset dentro da organização. Uma empresa preocupada em validar suas entregas com seus clientes, em compreender como os clientes enxergam a entrega de valor ou a busca constante por inovar no modelo de negócio pode ser chamada de startup.

Conceitos importantes do universo das startups que você precisa conhecer

Para entender melhor o que é uma startup e para que você possa chegar na sua própria definição, eu trouxe alguns termos pertencentes a esse universo, que são quase indispensáveis que você entenda e que influenciaram o conceito de empreendedorismo em si.

 

Modelo de negócio:

O primeiro desses conceitos é, obviamente, é o conceito de modelo de negócio. Segundo o próprio Steve Blank, modelo de negócio é um esquema (no bom sentido) que uma empresa explica como cria valor, entrega valor e como ganha dinheiro com isso. O mais famoso desses esquemas é a ferramenta visual Business Model Canvas, ou somente Canvas. Mas na realidade qualquer desenho que você fizer para explicar como a sua empresa irá ganhar dinheiro e sustentar os custos envolvidos é considerado um modelo de negócio.

O vídeo que melhor explica o conceito de modelo de negócio e que explica os caminho para inovar no modelo de negócio de uma empresa é esse aqui. É um e-talks da Endeavor de 2012 com o professor Marcelo Salim

 

Lean Startup:

Resultado de imagem para lean startup bookO Lean Startup ou Startup Enxuta é um método criado por Eric Ries, que começou com o lançamento do livro, mas hoje é conhecido como um movimento, uma forma de pensar que o autor leva para diversos setores muito além do ecossistema das startups.

O método é baseado no princípio build-measure-learn, ou seja, construa - mensure - aprenda. Isso quer dizer que é uma metodologia que busca o aprendizado contínuo no desenvolvimento de um negócio, produto ou serviço. O termo enxuto, inspirado nos preceitos do Sistema Toyota de Produção, é usado porque o método tem como objetivo agilidade no processo de desenvolvimento, com menor desperdício de tempo possível. Segundo o próprio autor, o Lean Startup não tem a ver somente com criar novos negócios de sucesso, mas também aprender com tudo o que a gente faz. Eu vejo o lean startup sendo aplicado no governo, no sistema de saúde e outros grandes problemas do mundo. (adoraria ver os princípios da startup enxuta sendo aplicado ao governo :)

 

Falhar rápido

O mindset do lean startup trouxe essa ideia de que falhar gera aprendizado, portanto, é melhor falhar logo. Há uma história que contam de que ao inventar a lâmpada, Thomas Edison havia falhado mais de 100 vezes até conseguir chegar no que conhecemos como a lâmpada. Sobre esse fato, existe uma frase, supostamente dita Thomas Edison:

Eu não falhei, eu apenas descobri  10 mil maneiras que não funcionam.

Esta é a essência por trás das startups, de que quanto antes você falhar, antes você vai identificar formas que o seu modelo de negócio não funciona.

Pivotar:

Este é outro termo altamente repetido nas rodas de startups. Mas o que pivot (palavra em inglês) significa?

Pivot significa girar ou mudar de direção a partir de um eixo fixo.

Mudar de direção a partir de um eixo fixo? O que seria esse tal EIXO FIXO? O eixo fixo é seu propósito, sua proposta de valor. Ou seja, você entende qual o valor você quer gerar para o mundo, só não descobriu ainda como.

Voltando ao Thomas Edison. Ele sabia exatamente qual era sua missão: Transformar energia elétrica em luz, só não sabia como fazer isso.

 

MVP - Produto mínimo viável.

O termo Produto mínimo viável foi trazido pelo autor Eric Ries, mas, assim como o próprio conceito de startup, vem se perdendo no uso em relação ao conceito inicial. A ideia era simples. Validar uma ideia, saber se ela é aceita pelas pessoas antes mesmo da empresa começar o desenvolvimento. Voltando ao conceito de “ambiente de incerteza” em que a startup se encontra. Quando há incerteza, significa que não há certeza. 

Mas quando não há certeza, o que há são hipóteses. O MPV é o teste que valida uma hipótese. Como você coloca seu produto à prova dos seus clientes, antes mesmo de tê-lo desenvolvido? Muito provavelmente você já deve ter topado com algum MVP e nem percebeu que estavam validando algo contigo.

São formas de MVP:

  1. vídeos explicativos: vídeos curtos que explicam o seu produto ou serviço e porque as pessoas devem comprá-lo. Publicando um vídeo no Youtube por exemplo, a startup tem um termômetro do que as pessoas pensam sobre aquilo

  2. Landing Pages, ou páginas de destino: ao clicarem em um anuncio ou email os usuários são enviados para uma landing page. Essa página muitas vezes tem a função de filtrar e quantificar o número de pessoas interessadas em um determinado produto ou serviço

  3. Crowdfunding: Você já recebeu emails de campanhas que estavam levantando fundos para algo? Sites de financiamento coletivo como Kickstarter e Catarse são excelentes formas de vender um produto que ainda estão em desenvolvimento.


 

Escalabilidade:

Segundo a Endeavor, escalabilidade é a capacidade que uma empresa, ou sistema, possui de crescer atendendo às demandas sem perder as qualidades que lhe agregam valor.

Como mencionei no começo deste artigo, a navegação em nuvem (cloud computing) permitiu que serviços online fossem oferecidos em nível global sem ou com quase nada de aumento incremental nos custos e despesas. Por exemplo, para o Netflix vender para 100 ou 1milhão de usuário pouco impactará os custos em relação ao incremento na receita gerada.

 

 

Por que uma startup é diferente das outras empresas?

Depois de mostrar alguns dos principais conceitos de startup e de princípios trazidos por esse universo, você pode concluir que realmente as startups têm são empresas com características peculiares, mas a provocação que eu gostaria de deixar é para você empreendedor, que tem uma loja física, ou prestador de serviços mais tradicionais: quanto desses conceitos e desses princípios são possíveis de serem adaptados para os processos de uma empresa mais tradicional?

Será que um prestador de serviço não poderia pensar em como aumentar o grau de escalabilidade do seu negócio? Ou um salão de beleza não poderia utilizar de MVPs para inserir produtos e serviços novos no seu portfólio. Ou ainda, quanto uma banquinha de jornal poderia se beneficiar de um pensamento de startup enxuta?

Deixo aqui esta reflexão. Por favor comentem aqui abaixo o que pensam disso para que eu possa validar a aceitação dessa ideia ;)

 

Abraços

 

 

Clube Sebrae
Matheus Ferraz
Matheus Ferraz Seguir

Escritor e consultor de SEO @Upwell

Ler matéria completa
Indicados para você