[ editar artigo]

Tudo o que você precisa saber sobre gestão financeira para MEIs

Tudo o que você precisa saber sobre gestão financeira para MEIs

A modalidade empresarial de Microempreendedores Individuais tirou milhares de profissionais autônomos da informalidade, por meio de um processo de formalização com facilidades burocráticas e carga tributária reduzida.

Acontece que, não é porque a abertura da empresa é simples que seu trabalho de gestão será fácil ou menos determinante para o sucesso do negócio. Quando falamos em gestão financeira então, esta lógica faz ainda mais sentido, afinal de contas estamos falando diretamente sobre a saúde e a sustentabilidade do negócio.

O que o MEI precisa saber para controlar suas finanças?

Como você já deve saber não há necessidade que uma empresa MEI possua um contador, pois as obrigações são simplificadas e diferentes daquelas exigidas de outros tipos de negócio. Isso não significa, porém, que o empreendedor deve trabalhar de maneira desorganizada. É essencial ter um controle com relação ao que se paga, o que se recebe e o que é lucro.

Falta de controle financeiro, inclusive, é o primeiro sinal de alerta para pequenas empresas em fase inicial e um dos maiores motivos pelo encerramento destes negócios nos primeiros dois anos. Mesmo que você já tenha vencido esta fase, independente do estágio em que seu negócio esteja é o controle das movimentações financeiras que vai garantir segurança, tranquilidade para seu cotidiano e redução no risco de endividamento.

No mais, a manutenção de documentos para gestão financeira, como planilhas de fluxo de caixa, relatórios mensais sobre a geração de receita e o controle de notas fiscais, vai ajudar você também na hora de transmitir ao governo informações obrigatórias e sua declaração anual DASN.

Dicas fundamentais para gestão financeira de MEIs

Controle o fluxo de caixa

Manter um registro sobre os recursos que entram e saem da sua empresa deve ser um hábito e não apenas uma consciência relacionada à saúde do negócio. Com este trabalho você conseguirá saber ao certo quando irá faltar ou sobrar dinheiro para a organização, além de poder também identificar com facilidade onde estão as maiores oportunidades de aumento de lucro ou corte de custos.

Faça um planejamento financeiro

De nada adianta ter uma visão clara sobre onde se quer chegar com o negócio se o empreendedor não tiver também objetivos claros, palpáveis, e com números trabalhando a favor do negócio. Por este motivo é importante que seja feito também um plano de negócios para guiar, com indicadores claros, as ações visando o desenvolvimento do negócio. É este plano que vai orientar a gestão financeira e a economia ou os investimentos feitos pela empresa.

Fique de olho no quanto gasta

A regra básica do jogo do empreendedorismo é simples: não gaste mais do que sua empresa ganha. Por este motivo é muito importante ter atenção com todos os custos do negócio, em especial aquelas despesas pequenas que parecem não impactar em nada no fluxo de caixa. Muitas vezes são elas que fazem toda a diferença para a saúde da empresa.

Não perca dinheiro na precificação do seu serviço ou produto

Uma das variáveis que mais impacta na gestão e no planejamento financeiro de um MEI é a precificação dos produtos ou serviços oferecidos. Para garantir que você não vai errar neste ponto é importante que sejam considerados tanto os fatores internos quanto os externos na hora da definição do preço.

Os primeiros tem a ver com os custos fixos e variáveis da empresa, incluindo o tempo e esforço dedicado pelo empreendedor individual. Já os últimos contemplam a concorrência, cenário econômico vivido, o mercado, assim como eventuais restrições legais que possam impactar na operação do negócio.

Separe o dinheiro pessoal do que é da empresa

Por fim, o maior dos erros daqueles que escolhem o MEI como modalidade para começarem sua jornada empreendedora. Como na maioria dos casos o empreendedor trabalha sozinho, inclusive em home office, é comum que ele misture os caixas pessoais e da empresa.

Muitas vezes isso acontece sem querer, quase naturalmente, e por este motivo o seu esforço deve ser o de separar cuidadosamente o dinheiro desde o começo. Para isso estipule um dia em que você vai pagar o seu "salário" e o dinheiro deixará de ser da empresa para ser da pessoa. Contas bancárias separadas podem ser muito eficientes neste sentido.

Planejamento e controle são essenciais para que este processo de gestão financeira funcione com perfeição. Com disciplina, logo você irá se adaptar e aprender a lidar com essa realidade no seu dia a dia.

Aproveite também para entrar em nossa Central de Atendimento para tirar suas dúvidas com o Sebrae. Nossos especialistas estão te esperando para te auxiliar ainda mais na solução dos problemas. Não perca tempo: fale agora com um especialista!

Clube Sebrae
Diogo Kalinke Seguir

Assistente - SEBRAE/PR

Ler matéria completa
Indicados para você